A Virgem Maria - por Antonio Eustáquio Marciano

A Virgem Maria - por Antonio Eustáquio Marciano

À VIRGEM MARIA

 

Minha mãe me dizia, com insistência:

Meu filho, jamais, em tua existência,

Seja na escura noite, seja no claro dia,

Jamais te esqueças de quem, de verdade,

Te ama e protege em qualquer realidade:

Nossa Mãe do céu, a Virgem Maria.

 

Mamãe, Deus levou, eu segui minha vida,

Que é dura, difícil, por vezes, renhida,

Que a fraqueza nos faz querer desistir.

Porém, nos momentos de mais dissabor,

Clamei pela Virgem, vinde em meu favor!

E a tudo eu venci, e pude seguir

 

Dizendo melhor, em muito eu superei

O que eu esperava, quando a luta iniciei,

Apesar da fome, do medo, que tive.

Mas hoje sou rico da Graça e feliz

Com a família e os amigos que fiz.

E sei que com ela sempre eu estive

 

Se, junto a sua imagem, me ponho a rezar,

Peço ao seu Filho, Jesus, para me ajudar.

Pois eu fui tentado a ser a ela infiel,

Pois ouvi tantas vezes: “não reze a Maria.

Ela nada pode, isto é idolatria,

Em nada a elogia a Palavra do Céu”!

 

E, incrédulo, corri a estudar a Escritura

E ali me “enterrei” em intensa leitura

Pra crer pelos olhos e pela razão.

Mas qual não foi o meu sofrimento,

Ao ver que, pra ter este entendimento,

Faltava me apenas a pureza de coração.

 

Vi o quanto era fácil pra se entender

O que lá nos mostra que Deus quis fazer

Pra dar a todo ser humano a felicidade.

A ação divina é plena e evidente.

Mulheres e homens precisam somente

De coração se dispor a aceitar a verdade

 

Ora, o homem não pode a Deus avistar,

Pois é muito forte a luz e ele pode cegar.

Então o Senhor resolveu, por amor,

Diminuir-se até a nossa possibilidade

E viver a condição de humanidade

Na carne do Mestre Jesus, Salvador.

 

E, nesta obra de amor e de graça infinita,

Contou com alguém e a chamou bendita.

Era uma jovem simples de puro coração.

Recebeu no seu corpo, do verbo, a semente

Incompreensão enfrentou, certamente.

Sou levado a dizer: ajudou na redenção

 

Aprendi, na leitura, que no terceiro dia,

Lá em Canah, um casamento acontecia

E a Mãe de Jesus estava lá presente.

O hageógrafo mostra, num recurso novo:

A festa é encontro de Deus com seu povo.

E o papel da Senhora está bem evidente

 

Pois, em certo momento, faltando vinho,

Ela instrui os garçons a agir direitinho,

Logo após, a seu filho, uma frase, ter dito.

E foi assim que seus sinais, Jesus começou.

Pelo menos é o que a Escritura nos contou.

E manifesta sua glória pra o tempo infinito

 

Não pensava eu que a Escritura me mostraria

Tantas vezes a influência da santa Maria

Na história de toda a nossa Redenção.

Ela a nós é entregue pelo Filho Jesus.

E a todos nós recebe aos pés da cruz

E ficará em nossa casa e em nosso coração

 

Ela é chamada de mãe do meu Senhor,

Por aquela que é a mãe do Precursor.

Temos que, esta simbologia, estudar.

E, os apóstolos, após a ressurreição,

Com ela permaneciam em oração,

Com o povo, o Evangelho, a anunciar

 

Minha mãe querida muito me ensinou.

E eu, apesar do pecador que sou,

Recebo tanta graça que me vem.

Depois de tudo, peço-vos, Senhora:

Que rogue a Deus por mim, agora,

E na hora da minha morte. Amém!

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor