Agora não - por Cassiane Santos

Agora não - por Cassiane Santos

AGORA NÃO!

 

Um jovem rapaz casado a pouco mais de seis anos, lutava para ser bem sucedido, um dia chegou à casa muito feliz e sua amada esposa lhe pergunta qual seria a razão de tanta felicidade, ele então lhe conta que seu chefe estava promovendo uma disputa entre os funcionários daquela empresa, quem criasse a melhor propaganda de publicidade seria promovido e o seu salário seria muito melhor, sua esposa abraça o marido e também se alegra com a possibilidade de uma melhora na área financeira do casal, enquanto o casal comemora sua pequena filha chamada sol entra na sala e pergunta ao pai se ele não gostaria de brincar, o pai diz à filha que agora não poderia brincar, pois teria que trabalhar, no dia seguinte a menina novamente chama seu pai para brincar e ele diz mais uma vez que agora não, no outro dia a menina curiosa entra no escritório do pai e vê uma linda maquete que o pai estava fazendo e ela acaba achando que deveria deixar a maquete ainda mais bonita, e Sol desenha vários corações no trabalho do pai sem imaginar o que estaria prestes a acontecer, como de costume o pai chega do trabalho e vai direto para o escritório e quando abre à porta e vê àquela maquete cheia de corações ele fica irado com a menina, ela chora e pedi desculpa ao pai que nem dá ouvidos a ela, o pai diz à esposa que no dia seguinte teria que apresentar o trabalho e que não daria tempo para fazer outra maquete, ele fica frustrado e a menina se sente mal por que não poderia imaginar que o pai ficaria tão irado com ela, uma semana depois do acontecido o pai continuava a trabalhar como nunca ele agora fechava a porta do escritório para sua filha não entrar, o pai chega do trabalho e ela diz que tem uma coisa para ele, e como de costume diz à filha que agora não dava para falar com ela, pois estava muito atarefado e ela sabendo que seu pai nunca teria tempo para ela, pega a carteira do pai escondido e colocou um bilhete, ao amanhecer a mãe arruma a filha para ir à escola, a menina abraça a mãe e diz que a ama muito, seu pai a essas alturas já tinha saído para o trabalho, o dia passa rápido e quando volta a tarde a mãe liga chorando para o pai dizendo que sua filha estava brincando no quintal e a bola acaba caindo na rua e a menina na tentativa de pegar atravessa a rua e um carro em alta velocidade atropela a menina, o pai vai ao hospital e os médicos dão a noticia que a menina não havia resistido aos ferimentos, pai e mãe totalmente destruídos por uma tragédia, durante aquele momento de dor o pai se lembra das muitas vezes que não brincou com a filha e com uma profunda dor ele abre a carteira para pagar as despesas do funeral, ele encontra o bilhete escondido ao abrir estava escrito: papai me desculpe eu te amo.

Moral da historia mesmo nas lutas do nosso dia a dia, não desperdice a chance de estar com pessoas que você ama, pois nunca sabemos por quanto tempo estaremos com elas!

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor