Alfredo Paiva Nogueira - Entrevistado

Alfredo Paiva Nogueira - Entrevistado

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Chamo-me Alfredo Melo de Paiva Nogueira, nasci em 13 de Novembro de 1938, em Margaride, Felgueiras, e, após a Escola Primária, estudei no Seminário da Congregação da Missão (Padres Vicentinos) onde tirei o Curso Completo de Filosofia. Após o cumprimento do serviço militar obrigatório, concorri para oficial da Guarda Fiscal, onde prestei serviço como tenente e depois capitão. Entretanto inscrevi-me como aluno voluntário no Instituto Superior de Psicologia Aplicada (Lisboa) tendo concluido a Licenciatura em Psicologia. Ainda que fugazmente, pois mais não o permitiam as minhas funções, fui professor de Psicologia na Escola de Enfermagem de Viana do Castelo, e de Francês no Seminário de Viana do Castelo (possuo Diploma Superior de Língua Francesa). Quando atingi as condições devidas, pedi a passagem à reserva/reforma para exercer a Psicologia Clínica que tenho exercido em várias Clínicas e na Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde. Vivo em Mindelo, Vila do Conde.

 

“...a lei da mudança permanente de tudo; a lei da morte universal, abrangendo tudo; finalizo com dois poemas relativos à nostalgia do passado.”

 

Boa Leitura!

 

Escritor Alfredo Paiva Nogueira é um prazer contarmos com a sua participação na Revista Divulga Escritor, conte-nos o que mais o encanta em textos poéticos?

Alfredo Nogueira - A poesia é uma arte que se manifesta por uma configuração estética verbal, isto é, pela palavra, como a música pelos sons e a pintura pelas linhas e cores. Faz-nos compartilhar ou, pelo menos, surgir as vibrações de uma disposiçã interna, de um estado de ânimo humano. Tem musicalidade (ritmo,  melodia/configuração audível) se declamada ou mesmo perceptível quando apenas lida. Assim, a poesia, com a emoção estética que nos provoca, transporta-nos para um ambiente de magia.

 

Em que momento se sentiu preparado para publicar o seu livro “De pé olho a vida”?

Alfredo Nogueira - Desde há muito, no final da minha adolescência, iniciei a escrita de poesia, com vista  a publicação, em tempo oportuno, aliás alguns poemas são desse tempo, todavia os problemas e exigências da profissão não foram favoráveis à produção poética. Após a passagem à situação de reforma tenho mais disponibilidade, razão porque agora publico o presente livro.     

   

Conte-nos um pouco sobre esta obra.

Alfredo Nogueira - No presente livro, em verso com rima e verso branco ou sem rima, abordo vários temas que me interessam ou preocupam: numa primeira  parte, o acontecimento da poesia, numa perspectiva geral e outros poemas específicos da minha ambiência; na segunda parte, o amor sensual e o de solidariedade; seguem-se três temas que considero do maior interesse, a meu ver de carácter transcendente, diria mesmo de carácter metafísico: interrogação sobre  as causas das coisas, origem da nossa existência e da relação com Deus; a lei da mudança permanente de tudo; a lei da morte universal, abrangendo tudo; finalizo com dois poemas relativos à nostalgia do passado. De entre estes poemas destaco um, denominado “Oceano de Horrores”, que se refere, adequadamente,  ao drama que alguns povos vivem na zona do Mediterrâneo.

 

Podes nos deixar um texto para apreciação, que esteja publicado no livro?

                        DE PÉ OLHO A VIDA                                   ARCO-ÍRIS

                  

                         No umbral do Futuro,                    Quando, mesmo à tardinha,                 

                         De pé olho a Vida,                            Como hoje, então sentires

                         Passada, esquecida,                         Um grandioso arco-íris,

                         Traçada no duro.                              Escuta, pois, e caminha

                           

                         Suspensa por fio,                              Para o festival de cores.

                         Para toda a gente,                             Separa uma por uma,

                         Tudo é como um rio,                        E enlaça-te na bruma

                         É móbil, cadente.                               Da noite , com teus amores.

                                                                               ………………………………………..

                         Vindo do Passado                              Hoje também acordei                                                                

                         Regresso ao Presente:                      Com arco-íris no quarto,

                         Por mim superado,                            De solidão ‘stava farto

                         Formei minha mente.                        E de amores me lembrei.

 

                         ‘Stá muito nublado,                            Por isso é que te escrevi

                         Mas sigo em frente…                          Mas com alguma tristura,

                                                                                           Queria trocar ternura

                                                                              Mas aqui…

                                                                                               eu

                                                                                                      não

                                                                                                             te

                                                                                                                  vi!...

 

Onde podemos comprar o seu livro?

Alfredo Nogueira -  No lançamento do livro, que ocorrerá no dia 22 de Outubro próximo, pelas 21h00, no Diana-Bar, na Póvoa de Varzim, e através do autor, contactando pelo telemóvel  916784235, ou E-mail : apaivanogueira@iol.pt

É possível ainda  comprar o livro nas livrarias Locus, e Graça, sitas na Póvoa de Varzim.

 

Quais os principais hobbies do autor Alfredo Nogueira?

Alfredo Nogueira - É a música, ouvindo, especialmente clássica, e tocando órgão electrónico, e passeando, com a minha cadela, que é “personagem” em dois poemas.

 

Além de textos poéticos, que tipos de textos gostas de ler?

Alfredo Nogueira - Textos de Psicologia, Filosofia, e Ensaios.

 

O que mais a encanta na leitura destes tipos de textos?

Alfredo Nogueira - É o conhecimento, com vista  à evoluçao para o exercício de psicólogo clínico, e o desenvolvimento de cultura geral.

 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Alfredo Paiva Nogueira. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Alfredo Nogueira - Espero que leiam o livro, o apreciem e gostem, pois  aborda temas de interesse geral, com originalidade. Mais espero que haja entre o leitor e o livro uma participação sentimental e emotiva suficientemente gratificante.

 

 

Divulga Escritor unindo Você ao Mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

divulga@divulgaescritor.com

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor