Amanhecer - por Lilian Lopes Fernandes

Amanhecer - por Lilian Lopes Fernandes

AMANHECER

 

Ah... Tantos acontecimentos, tantas angústias e tormentas aparecem o tempo todo para nos paralisar. Como uma erva daninha que cresce em meio às flores mais perfumadas, assim também são nossos problemas, que insistem em aparecer e muitas vezes permanecer por períodos que parecem infinitos.

Tenho aprendido a tirar força da fraqueza, água da rocha, esperança da desilusão...

Todos os dias ao amanhecer Deus nos presenteia com o brilho do sol para iluminar nosso dia e chego à conclusão de que isso não é toa! Mesmo que o dia esteja nublado ou chuvoso, o sol está lá e o dia é claro. Mesmo cinzento ele é claro, não é escuro como a noite. Penso que Deus está nos forçando a levantar e agir...

Ao olharmos para a claridade do dia logo após a imensa escuridão de uma noite, podemos comparar esse ciclo diário a nossas vidas e erguer a cabeça para recomeçar. Não é o que fazemos todos os dias? Recomeçamos ao amanhecer e continuamos a recomeçar infinitamente, até que nosso tempo se esgote. Mas sobre isso não temos o domínio. Não sabemos o dia nem a  hora! Por isso recomeçamos e continuamos a recomeçar.

Parece redundância, mas não é! Pense...

Todos nós passamos por momentos difíceis e tristes, assim como também por momentos de alegria e satisfação. No entanto, a dor comumente é mais forte que a felicidade, fica impregnada em nosso ser, em nossa alma e por mais que tentemos relutar contra ela, parece que nunca se finda. Só parece, porque assim como uma noite escura e fria, logo chega o dia, e há dias que são puro inverno, mas nos quais temos regozijo na primavera.

Como uma ave ferida, ficamos sem voar por algum tempo, choramos, amargamos a dor de uma perda ou de uma decepção. Seja qual e como for, dor é sempre dor: escura, opressora, fria e imensa, não importa o tamanho real.

Mas uma hora chega a cura... água hidrata, sol aquece, alimento puro e saudável traz vitalidade, carinho e cuidado nunca são demais.... Uma hora chega a cura e a ave sai voando novamente... numa dessas até melhora o voo.

De repente a gente se vê em pé, no dia, aproveitando a claridade do sol para iluminar nossa própria alma.

De repente a gente vê que aprendeu, que cresceu... e aquela ave ferida que parecia que nunca mais voaria, de repente descobre até mesmo que é uma águia, diferente do que pensava ou sabia sobre si mesma.

Jamais intencionei fazer apologia à dor nem queria ter de passar por ela para aprender tanta coisa e ser mais forte. Mas é quase inevitável passar por essa vida sem sofrer... Em algum momento, em alguma curva dessa estrada, o sofrimento estará lá e a dor será inevitável...

Então, vamos passar com integridade e mais do que passar, vamos sair desses momentos renovados e experientes!

Ser como um arco-íris logo após a tempestade! O Sol que brilha logo após a noite! O sorriso que sobressai ao choro e ,principalmente, o ser  humano que suporta e segue novamente...

 

 

Lilian Fernandes

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor