Amaro Poeta - por Eduardo Garcia

Amaro Poeta - por Eduardo Garcia

Amaro Rodrigues, Amaro Poeta, escritor, poeta, cordelista, produtor cultural. Natural de Vitória de Santo Antão, PE, reside em Paulista, PE, desde 1960. É o atual presidente da Academia de Letras e Artes do Paulista, PE

 

Trecho do poema

DIGNÍSSIMO ENTRE ASPAS

 

Digníssimo seja digno

Porque o país conhece,

 Cidadão que não merece

Ser chamado de mui digno,

Quando num ato indigno

Atua em duas etapas,

Tem duas faces e capas

A do fascista e do hipócrita,

 E não se conhece a incógnita

Do digníssimo entre aspas.

No discurso dos seus lábios

Já se transformou sentença,

 Desviou-se alguma crença

Com ojeriza ou ressaibos,

Confundiu rudes e sábios

Dentro do seu uniforme,

E na incúria enorme

 Ingere a taça sorrindo,

Pelo resultado findo

Deita, fecha os olhos, dorme.

 

Soneto Ariano Suassuna

 

Prodígio divino num raio de luz

“Os homens de barro” o transformou em pedra,

“O arco desolado”, Alto de João da Cruz,

“A pedra do reino” o aplaudiu no êxedra.

 

A saga “O alto da Compadecida”

“O santo e a porca”, “O rico Avarento”,

“A pena e a lei”, uma lição de vida,

“A mulher vestida de sol”, um rebento.

 

Com seu idioma do adagiário

No linguajar puro do abecedário

“O castigo da soberba”, venceu o arcano.

 

A marca indelével da literatura

Dono do nirvana da nossa cultura

Mestre Suassuna, sublime Ariano.

 

Trecho do Poema Saudade

 

A saudade é como um raio

Que vem como um estopim,

Que rasga o peito da gente

Como uma pedra no rim,

E eu não posso abandoná-la

Que ela está dentro de mim.

 

Se a saudade é coisa ruim

Quando a minha alma invade,

Que o peito fica vazio

De saudade numa grade,

É o coração sentindo

Saudade de ter saudade.

 

Se ela faz crueldade

Massacrando o coração,

Só quem tem saudade sabe

A dor da separação,

É melhor sentir saudade

Que morrer na solidão.

 

AMARO RODRIGUES - Nascido em 03.09.53, em Vitória de Santo Antão, PE. Funcionário Público Municipal, já escreveu duas obras falando de cultura, das raízes e histórias do Município. Foi o primeiro vice presidente da ALAP, e hoje Presidente da Instituição. OBRAS: "Paulista Cantada em Versos"; na área da poesia e da cultura, já compôs várias músicas, hinos, cordeis e poemas. Publicou os livros "O Filho de Dona Lindu", "Paulista Terra e Gente", Das Entranhas da Minha Alma e Luiz Gonzaga (Sua vida).
Homem talentoso, sobretudo no improviso, simples, que eu conheci na Feira Literária de Paulista PE, onde ele convido-me a frequentar as Reuniões da Academia de Letras de Paulista PE, na qual ele é o Presidente.
Atuante, participa em Recitais, Congressos, Palestras, leva a poesia a praça e colégios, lidera anualmente o Encontro de Repentistas no município, enfim é completo, também faz parte do Núcleo Paulista, PE, da UBE (União Brasileira de Escritores)

 

 

Fonte, o Autor e própria do Colunista.

 

Pesquisa e Comentários

Luis Eduardo Garcia Aguiar

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor