Aonde a beleza se encontra - por Adriana Freitas

Aonde a beleza se encontra - por Adriana Freitas

AONDE A BELEZA SE ENCONTRA

 

            O que é beleza? Aonde podemos encontrá-la? Será que ela tem idade e prazo de validade? Será que ela é, como dizem, efêmera? Ou será que podemos encontrar a beleza em todos os lugares e em todas as fases da vida?

            Segundo a definição do dicionário, beleza é a combinação de qualidades que agradam aos sentidos. Qualidade do que é belo. Harmonia de proporções. Perfeição de formas. Bondade, excelência. O que agrada e causa prazer.

            Costumo ouvir por aí a relação da beleza com a juventude. De frases do tipo: “-Já fui bonito(a). Ele(a) é assim hoje, imagina quando era jovem.” Por que a beleza é vista apenas na juventude? É só lá mesmo que ela se encontra? Será que a beleza é apenas atributos físicos? Se beleza é tudo que agrada aos olhos e aos outros sentidos, eu teimo em aceitar que os anos são cruéis e arrastam a beleza junto com eles.

            Tenho o hábito de repetir que há beleza nas várias etapas da vida. Ela é muito mais um estado de espírito que rostos sem linhas de expressão e peles rijas e tonificadas. Não acredito que a beleza se encontra apenas nas primeiras fases da vida.

            São tantos os momentos, são tantas as etapas. A beleza se encontra no bom humor. Na maneira feliz e animada que algumas pessoas costumam levar a vida. No sorriso fácil e largo. Nos atos bondosos. Nas pequenas coisas da vida. Beleza é tudo o que nos traz alegria, conforta o nosso coração, agradam aos nossos sentidos.

            Acredito que pessoas que só conseguem enxergar a beleza no novo estão fadadas a insatisfações e frustrações futuras. Sabe-se lá que problemas internos elas poderão desenvolver quando o tal conceito de beleza ser apenas uma lembrança do passado.

            Como estas pessoas irão gostar delas mesmas e das pessoas que estão ao seus lado? Como elas serão felizes quando os seus rostos encherem-se de rugas, suas peles perderem a tonicidade? Irão ser escravos de intervenções estéticas? Dependentes de antidepressivos ou perder-se-ão no passado?

            Não vejo problema na vaidade, em querer sempre melhorar a imagem. Sentir-se belo e confortável. Mas é preciso entender que assim como a vida, a beleza também é feita de fases. Adaptemo-nos a elas. Aceitemo-las. E entendamos que pessoas felizes, bem humoradas e com senso de humor são mais agradáveis aos sentidos, logo são mais bonitas, independente das voltas que elas tenham dado em torno do sol. 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor