Bernadete Bruto - Entrevistada

Bernadete Bruto - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Bernadete Bruto é  poeta e metroviária, natural de Recife – Pernambuco (1958). Tem dois livros de poemas lançados: Pura impressão (2008) e Um coração que canta (2011).

Suas poesias versam sobre a vida cotidiana, bem como também, contem muitas reflexões existenciais que são apresentadas numa abordagem psicossocial sem perder, contudo, a simplicidade da forma de expressão que tem por finalidade atingir a todas as classes sociais, uma vez que o propósito maior da autora é "falar aos corações" e deixar mensagens de alegria, esperança e fé na vida.

“Desde cedo, participava das apresentações domésticas com meus irmãos, a primeira poesia que recordo recitar:

“Eu sou tão pequenininha ,

do tamanho de um botão.

Carrego papai no bolso

e mamãe no coração...”

 

Boa Leitura!

 

SMC - Escritora Bernadete é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos o que a motivou a ter gosto pela poesia?

Bernadete Bruto - O gosto pela poesia e artes em geral, veio desde cedo, estimulado pelo próprio ambiente familiar, tanto pela influência  pelos tios como pelos pais. Sou a 11a. filha de uma família de 13 filhos, nascida numa época em que as pessoas ficavam  muito em casa e por lá se divertiam. Desde cedo, participava das apresentações domésticas com meus irmãos, a primeira poesia que recordo recitar:

Eu sou tão pequenininha ,

do tamanho de um botão.

Carrego papai no bolso

e mamãe no coração...”

Recordo também minha mãe  recitando enquanto fazia os serviços domésticos. Um desses poemas dizia : “as esperanças vão conosco a frente e os desenganos vão ficando atrás”

Com irmãos mais velhos, lembro particularmente de um caderno de uma de minhas irmãs que estudava o clássico e no qual descobri poemas de camões.

Essa irmã já escrevia poemas e comecei a me interessar...tinha uns 8 anos para 9 anos na época, mas não achava tão bons como os dela, que era adolescente, e  então eu escrevia lia e rasgava. Somente com 15 anos comecei a guardar os poemas que escrevia num caderninho.

Lá em casa, nós tínhamos a nossa disposição enciclopédias e livros de poemas. Nas enciclopédias conheci os representantes de várias escolas brasileiras e numa coletânea de poemas, os poetas estrangeiros. Aos 12 anos, junto com uma prima da minha idade que também despertava para este gosto, comecei a decorar alguns poemas de Alvares de Azevedo e de Raimundo Correia e assim fui, devagarzinho, fui me interessando pelos poetas e pela poesia.Seja Ouvindo Vinícius de Moraes, lendo muitos poemas e escrevendo no meu caderninho, adquirindo livros, sentindo a vida.

 

SMC - Em que momento se sentiu preparada para publicar o seu primeiro livro?

Bernadete Bruto - Perto de completar 50 anos, um ano antes, comecei a reorganizar meus escritos, que num passado distante eu tinha datilografado e guardado no sentido de um dia, talvez, publicar. Então resolvi trabalhar nos poemas e  me presentear com um livro nos meus 50 anos, pois ia esperar mas quanto tempo? Já tinha realizado muitas coisas e sentia falta desta. Não sei se estava preparada, mas decidi pela realização deste sonho antigo.

 

SMC - Como foi a escolha do Titulo para o seu livro:

 

 “Pura impressão” - Meu primeiro livro é uma coletânea de poemas organizada em ordem cronológica, reunidos na forma de contar uma história. O nome foi escolhido Pura Impressão foi para significar, ao mesmo tempo, versos e sentimentos puros e simples que foram impressos.

 

“Um coração que canta” – O meu segundo livro também é uma coletânea de poemas, que desta vez conta a história do caminho em direção a ser poeta.

O nome um coração que canta, é assim denominado porque além da grande influencia da musica sobre a poeta, no sentido figurado, um coração também “canta” quando escreve as poesias.

 

SMC - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor através de seus textos literários?

Bernadete Bruto - Escrevo porque sinto essa necessidade de me conhecer. No entanto reconheço que sou parte de um todo e que essas experiências são comuns a tantos, por que não compartilhar? A poesia, assim como a musica, fala direto ao coração e tem essa intenção de passar uma mensagem. A minha é de esperança e persistência frente à vida, sem querer indicar nenhum caminho, apenas, como na musica, deixar algo de bom no coração das pessoas.

 

SMC - Onde podemos comprar os seus livros?

Bernadete Bruto - Os livros estão atualmente sendo comercializados, na Livraria Cultura, podendo ser adquirido  pelo site, na Cultura Nordestina, Letras e Artes podendo ser adquiridos pelo telefone:81-32433927ou com  a própria autora, através do e-mail bernadete.bruto@gmail.com

Há ainda a versão digital do livro Um coração que canta no site da Amazon.

 

SMC - Escritora Bernadete, você escreve em outros gêneros literários além da poesia?

Bernadete Bruto - Às vezes escrevo algum artigo a pedido, mas minha intenção é me dedicar exclusivamente à poesia, por escolha e por amor a esse tipo de linguagem, no qual sei quer tenho muito ainda a aprender.

 

SMC - Quais os seus principais objetivos como escritora, pensas em publicar um novo livro?

Bernadete Bruto - Este ano, no mês de abril, há a previsão de lançar meu terceiro livro de poesia intitulado Querido Diário Peregrino, que da mesma forma que os outros, tem a intenção de contar uma história por meio de poesias.

 

SMC - De que forma você divulga o seu trabalho literário?

Bernadete Bruto - De todas as formas possíveis ao meu dispor. Tenho uma pagina na internet ( www.bernadetebruto.com  )  na qual estão todas as informações sobre os livros e recitais que realizo, bem como outros trabalhos.

Há ainda entrevistas ou artigos , em jornais, revistas, sites. blogues sobre o meu trabalho,com também  vídeos com poemas de cada livro no youtube.

Além disso, realizo recitais poéticos em vários lugares, nos quais me utilizo das poesias e faço a divulgação dos livros

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário no Brasil?

Bernadete Bruto - Uma  maior valorização dos escritores nacionais e contemporâneos, onde o seu trabalho pudesse ser mais divulgado, apresentado ao público de forma equitativa, onde o critério seria somente a sua potencialidade pura.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora Bernadete Bruto, que mensagem você deixa para nossos leitores?

 

Bernadete Bruto - Deixo aos leitores uma poesia que espero leve o melhor a cada um que estiver lendo, pois todo dia é o tempo:

Tempo de aproveitar

o local ideal
não está na cidade
numa praia
ou no campo
nem mesmo numa estação
não é onde…
é quando!
Naquele espaço
momentâneo
espontâneo
que você está bem
e pronto
não é aqui
nem além
esse é o encanto!

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor