Buscas - por Adriana Freitas

Buscas - por Adriana Freitas

 

Tem algo fora da ordem. Pessoas morrem por questões banais e sem sentido. A felicidade é algo efêmero ou seria o ideal dessa felicidade? O que acontece com pessoas que teoricamente já tem tudo e mesmo assim não conseguem ser felizes? Em seus rostos estampam sorrisos enquanto por dentro o seu corpo é consumido pela tristeza. O que é ser feliz hoje em dia?  Qual o sentido de tanta busca se o que nos falta não é encontrado em lugar nenhum. Como ser feliz com conquistas se o que temos por dentro consome a nossa vitalidade?

Nenhum objeto, nenhuma pessoa é capaz de preencher espaços vazios, ninguém é capaz de fazer o outro feliz, se esse outro não consegue ser feliz sozinho. Quando a felicidade é apenas uma palavra distante e quase desconhecida. Quando a gente mesmo não se basta, quando é insuportável se olhar no espelho, ouvir a própria voz.  Correr atrás do outro esperando uma salvação é um recurso inútil e quase sem volta. O detalhe faz toda diferença. A simplicidade da vida, o sol que brilha ou a chuva que vem refrescar o calor. Uma linda borboleta que voa ou passarinho que canta são apenas motivos para se sentir vivo e feliz ou justamente o contrário.

Quando estamos infelizes o sorriso alheio parece agredir e quando somos felizes a infelicidade incomoda. A felicidade não é apenas um estado de espírito, é uma condição de vida. Há pessoas que apesar de todas as adversidades que a vida lhe presenteia, apesar das escolhas erradas, dos fracassos e decepções escolhem ser felizes, agradecem pelo aprendizado e vão seguindo a vida. Outras por mais que conquistem, por mais que se sucedam bem em suas atividades, não conseguem sorrir e querem sempre mais e reclamam do sol pelo calor e da chuva pelo frio. E sem se darem conta os dias vão passando, a vida vai passando e aquela velha sensação de frustração e de vazio eterna.

Algumas pessoas são mesmo ingratas e mal agradecidas, outras precisam de ajuda profissional. Saber quando se precisa de ajuda ou quando se deve mudar a postura diante da vida não é tarefa fácil. E acima de tudo é preciso humildade para se reconhecer defeitos, deficiências. Sempre precisaremos das pessoas em determinadas situações. As pessoas devem ficar bem sozinhas, sabendo que são apenas momentos, não ter medo da solidão e nem optar por ela. As pessoas entram na nossa vida para complementar, dividir e somar. Nunca para serem usadas ou nos salvar de nós mesmos. 

 

Publicado em 06/03/2014

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor