Cabeça quente II - por Mirian M. de Oliveira

Cabeça quente II - por Mirian M. de Oliveira

CABEÇA QUENTE II

Mirian Menezes de Oliveira

 

Na pretensão de “finalizar” uma história “sem fim”, remeto-me à Crônica “Cabeça Quente I”, voltando às intempéries da “acalorada” jovem senhora, que, na tentativa de resgatar lembranças da antiga praça da cidade de interior, vivenciou  situações “bizarras”, que a forçaram a refletir além da conta.

Desculpem-me pela assertiva, mas a culpa é TODA dela. Por que não optou por subir a serra e tomar um chocolate quente, envolvida em cachecóis? Ou... por que não se dirigiu ao litoral, para tomar uma cervejinha gelada... disputar uma sombra com centenas de pessoas e sentir a brisa do mar? Por que não adquiriu um “pacote de viagens”, em suaves prestações de 12 vezes e viajou para a Europa?

NÃO!

A senhora queria muito resgatar suas memórias e viu que o “presente” instiga o “futuro”. E quanto ao “passado”...  ESTE se encontra em “ponto morto”, pulsando no peito proprietário das memórias.

AH! A viagem não foi tão ruim assim, mas ELA queria tanto esvaziar sua mente... preenchê-la com lembranças... esfriar seus “miolos quentes”... Por fim, retornou com mais fervura na mente (cabeça quente, por dentro e por fora!)

Em sua “cachola”, fervilhavam questões: “O mundo está ficando mais difícil, ou mais fácil?”;  “Estamos nos contentando com MENOS?”; “As pessoas estão menos ou mais exigentes, diante das prioridades da vida?”

A última questão foi motivada pelo estranho prazer de ler o horroroso extrato bancário, para aproveitar o ar-condicionado do banco, em um momento de insuportável calor!

Depois disso, seguiu-se uma lista de cenas (antes não muito observadas!)

Percebeu que pessoas comuns, quando não estão com pressa (coisa rara!), tem despendido um pouco mais de tempo no setor de frios dos supermercados, lendo os preços dos laticínios: ricotas, queijos, bebidas lácteas, ainda que levem apenas um saquinho de leite. Pequenos atos do cotidiano têm sido promovidos  a “relevantes”, até mesmo pelos mais exigentes.

AQUECIMENTO GLOBAL? Tentativa de RESFRIAMENTO MENTAL? Atitudes geradas pelo DESESPERO TÉRMICO (duplo sentido)?

Se os bichos ainda falassem, como nas antigas histórias, o que diriam dos seres racionais e superiores?

Melhor não saber!

Terá fim essa história?

(?)

NÃO! Não escreverei “Cabeça Quente III”, para alívio de todos.

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor