Carlos Vargas - Entrevistado

Carlos Vargas  - Entrevistado

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

É Mestre em Filosofia, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, e doutorando pela mesma instituição. Casado, tem dois filhos e reside em Curitiba, onde atua como analista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Foi professor em cursos das Faculdades Integradas Santa Cruz de Curitiba. Autor do livro “Félix em busca do ser humano” (Chiado Editora), é colunista do Projeto Divulga Escritor. É acadêmico da Litteraria Academiae Lima Barreto e da Academia de Letras e Arte de Valparaíso (Chile), tendo recebido a comenda Castro Alves (Literarte). Publicou artigos em revistas especializadas em filosofia, sendo coautor de antologias de poesias e contos das seguintes editoras: Grupo Editorial Scortecci, Editora Delicatta, Grupo Editorial Beco dos Poetas e Escritores, Editora Celeiro de Escritores e Câmara Brasileira de Jovens Escritores.

 

    “Essa é a lição do “Félix em Busca do Ser Humano”. Nesses contos filosóficos encontramos um instrumento para aperfeiçoar nossa capacidade de diálogo reflexivo. Esse livro é valioso, pois oferece critérios filosóficos para enfrentar problemas que nos afetam diariamente. “

 

Boa Leitura!

 

SMC - Escritor Carlos Vargas é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos em que momento pensou em escrever o seu livro “Félix em Busca do Ser Humano: Contos Filosóficos”?

Carlos Vargas - Esse livro surgiu da inspiração que tive ao ler “Félix e as Maravilhas do Mundo”, obra escrita pelo filósofo e teólogo Raimundo Lúlio. Neste livro, identifiquei o ideal socrático, expresso em diálogos filosóficos, em uma perspectiva cristã. Foi uma experiência fascinante, na qual identifiquei o modelo do meu personagem. Eu queria uma espécie de “Sócrates cristão” que pensasse em problemas contemporâneos, naquelas questões que passam despercebidas em nosso cotidiano: “a maravilha nem sempre está no mundo, mas nos olhos de quem se maravilha ao ver o mundo”.

 

SMC - Que temas você aborda nesta obra?

Carlos Vargas - Os temas são variados, mas dizem respeito ao conjunto da vida humana, desde a gravidez até a morte, passando pelas escolhas profissionais e pelo casamento. Os temas surgem em função do desenvolvimento da personalidade de Félix, mas também dependem das influências dos seus interlocutores. Nos diálogos, Félix é desafiado com questões amplas sobre a consciência, a felicidade, a vocação, ética, virtude, política e o próprio Estado. Mais do que respostas prontas, ele apresenta um modelo de atitude filosófica que serve de contraponto reflexivo a determinados modismos culturais. Cada tema é apresentado a partir de alguma referência filosófica, literária ou teólogica que se mostra importante naquele momento.

 

SMC - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor através dos seus textos literários nesta obra?

Carlos Vargas - “Félix em busca do Ser humano” é um livro que expressa a importância da amizade e do diálogo na pesquisa filosófica.  Mais do que um conteúdo específico, o livro mostra o valor da dimensão humana aberta à transcendência. O protagonista está em busca do ser humano, pois acredita que nós podemos ser melhores do que ainda somos. Para encontrar o ser humano ele usa a luz da razão e da fé. Entretanto, ele não vai sozinho, mas acredita que é fundamental utilizar a linguagem na companhia amiga dos outros que também estão nessa busca. A
amizade que Félix tanto busca não é simplesmente desinteressada, mas
pretende construir os fundamentos do bem comum, que vai brotando
devagar, indo além das motivações iniciais.

 

SMC - A quem você indica a leitura?

Carlos Vargas - Eu indico a leitura desse livro a todas as pessoas que acreditam no valor do ser humano. É indicado para todos aqueles que acreditam no poder do diálogo e da amizade. Também é um livro bom para aqueles que gostam de contos, isto é, de estórias curtas. O livro vai interessar aqueles que estudam a filosofia como a busca fundamental pela sabedoria. A Chiado Editora incluiu o livro na coleção “Viagem Filosófica”, sendo que o livro pode ser utilizado como recurso paradidático em cursos de filosofia para ilustrar assuntos relacionados à ética, antropologia filosófica, introdução à filosofia, política, filosofia da religião, etc. Mas enfatizo que não é um livro difícil! Minha motivação é que seja uma porta aberta para o desenvolvimento filosófico de cada leitor, seja iniciante ou experiente.

 

SMC - Onde podemos comprar o seu livro?

Carlos Vargas - O livro está sendo vendido no site e nas lojas da Chiado Editora (www.chiadoeditora.com), cuja sede é em Lisboa, Portugal. Também está sendo vendido no site e nas lojas curitibanas da Livrarias Curitiba (www.livrariascuritiba.com.br/‎). Eu estou vendendo alguns exemplares que são solicitados pessoalmente, em eventos, por e-mail (sammler@gmail.com) ou pelo facebook (http://facebook.com/carloseduardo.vargas.395 ).  A Chiado Editora está enviando o livro para ser vendido nas Livrarias Saraiva e Cultura. Em Portugal, o livro estará disponível nas livrarias portuguesas Fnac Online, Wook, Bertrand Online e Sítio do livro.  O Instituto de Filosofia e Ciência Raimundo Lúlio também pretende vender o livro no Brasil, em Portugal e na Espanha.

 

SMC - Quais os seus principais objetivos como escritor, pensas em publicar um novo livro?

Carlos Vargas - Quero continuar publicando poesias, contos e artigos em antologias, revistas acadêmicas e no Projeto Divulga Escritor. “Félix em Busca do Ser Humano” é meu primeiro livro solo, mas pretendo publicar outros. Já estou revisando um livro de poesias que pretendo publicar até o próximo ano. Até 2016, pretendo completar o meu próximo livro de contos, narrando as aventuras rurais de Zezinho, um personagem que criei inspirado nos meus filhos. Como estou fazendo doutorado em filosofia, pretendo publicar um ou mais livros com os resultados da minha tese e dos meus artigos filosóficos. Outro projeto é começar a publicar em inglês, o que deve acontecer após a minha participação no encontro anual do Husserl Circle, que, neste ano, será sediado no Dartmouth College (Hanover, NH, EUA).  

 

SMC - De que forma você divulga o seu trabalho literário?

Carlos Vargas - Eu ainda estou aprendendo a divulgar minhas obras literárias, mas tenho utilizado principalmente a internet e o contato pessoal. Penso em criar um blog, mas utilizo principalmente o Facebook. A Chiado Editora também divulga o meu livro na Internet e nos catálogos para as livrarias. Quando ocorreu o lançamento, fiz pequenos panfletos para distribuir. Também divulguei nos jornais, portais e revistas que possuem agenda cultural e tive uma boa resposta. Depois da Copa do Mundo, pretendo investir mais em eventos culturais, incluindo doações para bibliotecas, onde meu livro ficará à disposição dos leitores. Como meu livro pode ser usado como paradidático, será essencial divulgá-los em faculdades e nas escolas para que os professores comecem a adotá-lo.

 

SMC - Como você vê o mercado literário brasileiro?

Carlos Vargas - Há dificuldades, inclusive nos aspectos da economia como um todo, mas é possível encontrar muitas portas abertas, como eu sou testemunha. A concorrência é muito grande entre editoras, livrarias e autores, mas percebo que há muita diversidade em nosso panorama literário. Há grupos grandes, mas há espaço para pequenas editoras e para a autopublicação. Uma novidade interessante está vindo com os livros digitais, mas talvez ainda seja cedo para avaliar o impacto deles no mercado editorial.  Um exemplo de ajuda da tecnologia é a Internet, que facilita a comunicação entre leitores, autores e editoras, além de ajudar a encontrar os livros e fazer as compras. Também tenho muita expectativa nos encontros e nas feiras literárias, que devem ser incentivadas.

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário no Brasil?

Carlos Vargas - Penso que a principal ajuda para o mercado literário está na melhoria do nível cultural. O mercado editorial brasileiro é um dos maiores do mundo, mas poderia ser maior se os brasileiros lessem mais. A melhoria da cultura passa pela formação das pessoas, o que exige um esforço individual, mas também é possível pensar em uma política continuada, que valorize tudo aquilo que é relacionado com a educação: professores, livros, tradutores, revisores, editores, livrarias, bibliotecas, etc. O mercado editorial não pode depender apenas do governo e também não pode pensar apenas em retorno financeiro. Eugen Rosenstock-Huessy mostrou a relação entre a linguagem e as crises na sociedade. É preciso reconhecer que o escritor tem um papel fundamental na manutenção da linguagem em uma sociedade.  

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor o Escritor Carlos Vargas, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Carlos Vargas - Minha mensagem é de gratidão pelo apoio que tenho recebido de diversos segmentos da sociedade. Também deixo uma mensagem de incentivo: nunca é tarde para aprender mais. Confiem na capacidade humana: podemos nos desenvolver e sermos melhores do que somos, pois temos a dimensão da transcendência. A cada passo que damos na direção do crescimento cultural, podemos encontrar novos amigos que podem nos ajudar, na medida em que enfrentamos problemas parecidos. Não nos deixemos desanimar pelas dificuldades. Essa é a lição do “Félix em Busca do Ser Humano”. Nesses contos filosóficos encontramos um instrumento para aperfeiçoar nossa capacidade de diálogo reflexivo. Esse livro é valioso, pois oferece critérios filosóficos para enfrentar problemas que nos afetam diariamente.  

 

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor