Carmen Larroza - Entrevistada

Carmen Larroza - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

CARMEN JACQUES LARROZA, professora de Português, Espanhol e Literatura, pela Fundação Universidade Federal Do Rio Grande (FURG).

Teve trabalhos publicados  em: Cadernos Literários, Vol. I, II. III e IV (FURG); Jornal Agora (Rio Grande); Jornal Cassino; Antologia Poética Poetas do Brasil I (ZMF Ed.,RJ).

Participou de vários concursos de poesia, com os quais foi agraciada com  certificados: Casa do Poeta Brasileiro (Cassino/Rio Grande), Z.M.F. Ediições e Promoções Culturais LTDA., I Concurso Nacional de Poesia Roldão Mendes Rosa (Santos/SP), Concurso Primavera de Prosa e Verso do Grupo Poetas do Espaço Cultural (Santos/ SP). I Primeiro lugar no Concurso de Poesias da Revista Observando. (Rio Grande).

Ativista do Tradicionalismo Gaúcho, teve poesias defendidas e classificadas, em primeiro e em segundo lugar, em vários concursos locais e regionais.

 

“Muita, muita fé em Deus. Não parem de lutar por um ideal. Empecilhos, lutas e "baldes de água fria", fazem parte da vida. Não desistam. Se algo não for para o seu bem, Deus fechará a porta. Se for, Ele abrirá e a porta que Ele abre, ninguém pode fechar, se você tiver uma aliança com Ele.”

 

Boa Leitura!

 

SMC - Escritora Carmen Larroza é um prazer contarmos com sua participação no Projeto Divulga Escritor. Conte-nos o que a motivou a ter gosto pela escrita?

Carmen Larroza - Participar do projeto Divulga Escritor é uma honra para mim, e, portanto, só tenho a agradecer.

O que  me levou a interessar-me pela escrita? Diria que dois motivos foram fundamentais. O primeiro, foi o gosto pela inúmera quantidade de "versinhos" que meu avô sabia e os dizia para mim. Um dia ganhei um caderno e resolvi anotá-los. Vivia de lápis e caderno, na mão, atrás do coitado. Não lhe dava sossego. Depois fui interpelando mãe, pai, tios e a mim mesma, pois resolvi inventar os meus próprios e ... o caderno acabou. Fiquei tão triste, porque ninguém dava valor para ele. "Bobagens de criança". Acho que cheguei a coletar mais de trezentos. Como lamento não ter guardado essa relíquia, mas...

 O segundo motivo foi o fato de não saber fazer  o que, na época, chamava-se "composição"; hoje, se diz redação. Era péssima! E, no meu barco, havia uma boa tripulação. Um dia, nossa professora, nos chamou para uma aula extra, à tarde.

Leu para nós, (mimiógrafo ou xérox eram inimagináveis. Se aparecesse algum, acho que até os professores fugiriam com medo da "alma do outro mundo") rs rs. Bem, voltando ao assunto, Dona Célia, leu a fábula A Cigarra e a Formiga.

Depois, partiu para uma composição coletiva, no famoso quadro-negro. Não lembro o tema.

A partir dai, minhas redações eram sempre fábulas. É claro que naquela época eu desconhecia essa palavra e seu conceito. Cada vez, era um bichinho e um cenário diferente.

 

SMC - Que tipos de textos gostas de escrever?

Carmen Larroza - Adoro poesias! Agora, com o incentivo e o "Vamos lá!" do Divulga Escritor, comecei a gostar e muito, de crônicas. Penso até, em rabiscar um conto.

Incentivada por minha mãe, que sempre sonhava estudar e nunca pôde, eu lia muito. Até bula de remédio! Um pedaço, rasgado, de jornal velho era motivo para eu parar tudo o que estava fazendo e ler.

Fotonovelas (é... sou deste tempo), romances como Júlia, Bianca, Sabrina... Meus professores de Português, admiravam-se do meu vocabulário e minha preocupação em não repetir palavras nas ditas composições. rs rs.

Por falar nisso, quando passava férias de verão com meus avós, li meu primeiro romance: Thelma a Princesa da Noruega.

Era "um tijolo de oito furos". A noite, meu avô me entregou e disse: A partir de hoje, todas as noites vais ler para nós. Lembro que chorei muito, com determinadas passagens. Ele ria, minha vó ficava séria e suspirava. Como gostaria de reaver este livro e ler de novo. Fazê-lo meu livro de cabeceira! Se o primeiro amor nunca se esquece (só tive um, meu marido), meu primeiro livro nunca esquecerei.

 

SMC - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor, através de seus textos literários?

Carmen Larroza -  Reflexão sobre o que estão fazendo de suas vidas, de seus relacionamentos, de seu ver e tratar o outro, já que nada levaremos daqui, que deixemos marcas positivas. Que não passemos à vida centrados em nós mesmos. O egocentrismo é letal. Ele corrói a alma e nos entulha de doenças psicossomáticas. Deixa-nos vazios, ocos. Vai matando, enquanto a pessoa se acha super herói. Não consegue ver-se como  um "Chaves, da vida real." Infelizmente!

Outra mensagem é que jamais deixem de sonhar, nem de lutar pelos seus sonhos. Se eles forem bons e não lesarem ninguém, lutem e mantenham-se firmes em um pensamento "Não posso parar".

 

SMC - Como foi a construção do seu livro "Não posso, parar"?

Carmen Larroza - Há muito tempo, as escrevia e as engavetava. Algumas de cunho tradicionalista, foram defendidas em concursos e venceram. As vezes, as enviava para concursos interestaduais. Ganhei alguns diplomas e certificados.

Entretanto, as confiava às gavetas. Um dia, navegando pela internet, me deparei com o Divulga Escritor e pensei: - E por que  não me informar?

A Shirley me deu a oportunidade das crônicas. Depois, através de um link, também enviado por ela, entrei em contato com Ismael da Garcia Edizione. E estamos ai. Não digo realizando um sonho, porque jamais sonhei isso. O que sei é que Deus abre as portas de onde está a felicidade. É por isso, que O amo e respeito tanto.

 

SMC - Que temas você aborda nessa obra?

Carmen Larroza - Abordo diversos temas  reflexivos, sociais, culturais,  sagrados, amor, valorização da família, desamor, saudade, solidão... Tudo que faz parte da vida de qualquer  ser humano.

 

SMC - A quem você indica a leitura de seu livro?

Carmen Larroza - A todos que gostam de ler, refletir, pensar além de si mesmo.

 

SMC - Onde podemos comprá-lo?

Carmen Larroza - Pelo site da Garcia Edizione. Custa R$ 12,00 sem despesas de frete.

http://www.garciaedizioni.com.br/nao-posso-parar

 

SMC - Você pensa em publicar um novo livro?

Carmen Larroza - Agora que provei esse sabor maravilhoso, sim penso. Sempre com essa dupla maravilhosa Shirley e Ismael. Enquanto me aceitarem. Obrigada queridos.

No próximo, pretendo mesclar crônicas, poesias e  assuntos sociais, que nos tire da mesmice e nos leve à reflexão e  à ação. 

 

SMC - Quais os principais hobbies da escritora Carmen Larroza?

Carmen Larroza - Hum... Adoro ir para o sítio, nos fins de semana, mexer nas minhas flores e plantar novas. Amo artesanato, principalmente agora, que descobri a reciclagem. Passo horas criando coisas. Meu projeto, atual, é tornar-me uma multiplicadora: compartilhar, gratuitamente, o pouco que já sei com mães de alunos. Enquanto as crianças ficam na escola, elas esperaram-nos produzindo. Quem sabe também a arte as ajude  na renda familiar?

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista; agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor. Muito bom conhecer melhor a escritora Carmen Larroza. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Carmen Larroza - Muita, muita fé em Deus. Não parem de lutar por um ideal. Empecilhos, lutas e "baldes de água fria", fazem parte da vida. Não desistam. Se algo não for para o seu bem, Deus fechará a porta. Se for, Ele abrirá e a porta que Ele abre, ninguém pode fechar, se você tiver uma aliança com Ele.

E a última, ler, ler e ler tudo e de tudo. A leitura faz parte do currículum interior de cada um. Aumenta o conhecimento, leva ao raciocínio lógico e a expressá-lo com mais clareza, (sem os famosos hãm), amplia nosso conhecimento de mundo, nos faz crescer. Abre um leque em nossa intelectualidade. Jamais afunila.

Leia e creia.                       

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor