Carta de uma tia a seus sobrinhos adolescentes, por ocasião do dia das mulheres - por Teia Camargo

Carta de uma tia a seus sobrinhos adolescentes, por ocasião do dia das mulheres - por Teia Camargo

CARTA DE UMA TIA A SEUS SOBRINHOS ADOLESCENTES, POR OCASIÃO DO DIA DAS MULHERES:

 

Queridos sobrinhos:

 

Como é do conhecimento de vocês, no dia 8 de março comemora-se o DIA DA MULHER. Sei que estudaram a origem e o porquê desta data marcante e emblemática e portanto, devem ter tomado conhecimento que em algum momento deste dia a maioria dos homens do nosso planeta abordará suas parceiras, amigas, amantes, clientes, pacientes, esposas, funcionárias, mães e até as tias, surpreendendo-as com flores, bombons, abraços, perfumes, elogios e agradecimentos.

 

Tudo isso é muito bem-vindo. As mulheres adoram, acreditem, e todas esperam por estes gestos afetuosos de reconhecimento e ficam muito ofendidas, magoadas, sentindo-se a mais infeliz das mulheres caso não recebam uma palavra de carinho ou um mimo, por insignificante que seja.

 

Vou além! O fato de um homem não agradar a mulher neste dia, além de transformá-lo num tremendo grosseirão – caso ele ainda não o seja - poderá render longos períodos de cara feia, mau humor, vingancinhas cruéis ou, em situações extremas, o sofá da sala como destino, sem direito a café da manhã. Portanto, meus amores, nunca, em hipótese alguma, se esqueçam deste compromisso, combinado?

 

Mas o que sua tia gostaria de acrescentar é que em geral, para a mulher - e não importa em que situação ela esteja na vida ou no caminho de vocês - não basta uma flor num dia comemorativo, um presente caro na data de seu aniversário, um jantar à luz de velas no dia dos namorados ou um anel de brilhante por ocasião do pedido de casamento. Claro, tudo isso é ma-ra-vi-lho-so e é muito aconselhável que vocês usem e abusem desses métodos de galanteios, pois não existe limite de idade nem restrições de fase da vida para se agir com cavalheirismo e elegância.

 

Agora vem a parte mais difícil desta carta: como é que eu posso dizer a vocês o que as mulheres esperam receber além desses rompantes de romantismo? O que é necessário fazer para agradá-las no dia-a-dia, distante das festividades? Essas respostas são tão complexas que até sua velha tia, após tantos anos de convivência com seu tio, às vezes sente dificuldade em expressar-se ou demonstrar seus desejos, suas necessidades, deixando-o perdido, confuso e atrapalhado na ânsia de me fazer ainda mais feliz.

 

Pensei em fazer uma comparação singela e espero, com sinceridade, que eu seja consiga ser capaz de me fazer entender para que um dia, quem sabe, vocês consigam se beneficiar destas palavras.

 

Imaginem as mulheres como se fossem rosas. 

Atraentes ao olhar, exalando odores e possuindo uma variedade quase infinita de formas e cores. Umas agradam mais a uns, outras não agradam tanto a outros, tem aquela de beleza inigualável, que todos gostariam de possuir e também aquela outra que fica ali no seu cantinho, aguardando e embora não haja unanimidade a seu respeito, todas à sua maneira enfeitam e tornam o mundo mais alegre e colorido.

 

A rosa, ainda em botão, necessita de cuidados especiais para desabrochar em sua plenitude. A mulher, ainda menina, precisa de atenção, reforço positivo, delicadeza e compreensão, para desenvolver uma autoestima saudável.

 

As rosas necessitam de luz direta em seu cultivo. A mulher tem luz própria e ao homem quando dela se aproxima, cabe o papel de deixá-la reluzir sem o receio de ser ofuscado, pois essa claridade iluminará o seu redor alcançando-o e os dois brilharão juntos.

 

A rosa se desenvolve bem em qualquer tipo de solo, mas é melhor que a terra tenha boa drenagem. A mulher se desenvolve ao pisar em terreno sólido e ainda que saiba muito bem caminhar sozinha, se deixará amparar por um braço firme, desde que este seja capaz de transmitir-lhe parceria e companheirismo. 

Para se cultivar rosas, há que se preparar o canteiro utilizando as medidas certas de profundidade, espaçamento entre elas, usar a adubação mais indicada para fortalecê-las e estimular sua floração e eliminar as pragas e fungos que podem contaminar toda a produção. A mulher também necessita de espaço, espera que sua privacidade seja respeitada, que sua individualidade seja considerada e que sejam abolidos tanto a praga do poder quanto o fungo da submissão para que o amor fertilize e frutifique em sua vida.

 

Rosas precisam de regas regulares, mas é fundamental deixar o solo secar um pouco nos intervalos entre uma rega e outra, evitando assim que as raízes apodreçam. Da mesma forma, convém regar a mulher de forma constante, com respeito, carinho, docilidade, educação, tomando cuidado, todavia, para que não cair no exagero a ponto de se tornar meloso, pois a maioria delas não aprecia muito os homens pegajosos. 

Apesar da aparência delicada, os pés de rosas possuem troncos fortes e robustos que devem ser podados na sua formação e ao longo de sua existência, para limpeza e manutenção. É preciso ser muito cuidadoso nesse processo para não cortar a roseira ou feri-la de morte. O chamado sexo frágil, tal como o pé de roseira, possui uma estrutura robusta. A vida se encarrega de podar e de ajustar a mulher. Ela luta, coleciona vitórias, é cobrada, chora, vibra, enfim, vive, como qualquer ser humano e o homem que tiver habilidade e sabedoria para identificar suas emoções, ajudando-as a aparar as arestas de suas inseguranças e incertezas, tem grande chance de ser feliz a seu lado.

 

As rosas são capazes de suportar temperaturas baixas ou altas, mas o ideal é que sejam mantidas num clima ameno e agradável e que a transição entre a temperatura diurna e noturna seja lenta e gradual. As mulheres também têm grande capacidade de sobrevivência em ambientes inóspitos e se adaptam com certa facilidade, mas têm limites muito definidos quanto às mudanças drásticas e rupturas repentinas sem as quais elas tenham concordado e é bom que o clima seja ameno, agradável, sem, contudo se transformar em chato ou entediante. Como fazer isso? Ah! Queridos, deixá-las eufóricas, alegres, animadas e apaixonadas é incumbência do charme pessoal e da estratégia de sedução de cada um de vocês. Nem sua tia nem ninguém nesse mundo poderão ou precisará ensiná-los. 

O que sei é que vocês reclamarão muitos dos espinhos e serão por eles muitas vezes espetados e até feridos, mas a suavidade e a textura aveludada das pétalas farão com que vocês se rendam aos encantos dessas flores e sigam pela vida, orgulhosos, realizados, empunhando seus caules.

 

Basta para isso que saibam ser felizes, pois afinal, sozinhos ou acompanhados, isso é o que mais importa nesta vida.

 
Para Leonardo e Igor, com amor!
 
Téia Camargo
05/03/15
 
 
 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor