Demônios - por Karem Schumacher Lacerda

Demônios - por Karem Schumacher Lacerda

DEMÔNIOS

 

“Por séculos a humanidade tenta se proteger, por séculos pedindo aos céus por clemência, mas o fim acontecerá aqui, não haverá necessidade de morrer para chegar ao purgatório”.

 

Era assim que ela enxergava o mundo atualmente, dor, guerra, violência gratuita, obras demoníacas com toda a certeza.

Isso era tão angustiante que acabou desenvolvendo medos contraditórios, sensações de morte e agonia, passou a trancar-se dentro de casa.

Os demônios estavam por toda parte, trazendo a desgraça para o mundo, as pessoas estavam possuídas, ela podia ver, olhos com sombras malignas, vozes que sussurravam veneno, queria gritar, queria correr, mas para onde quer que fosse eles a encontrariam.

Precisava proteger sua casa do mal, não se sentia forte o bastante para sair à rua, tinha medo, olhos a espreitavam em todos os cantos, não conseguiria se esconder ou ficar a salvo.

Da última vez que havia posto seus pés fora de casa, presenciara tanta violência irracional, tanto ódio e desrespeito humano que não suportou.

Ondas de guerra, migração em massa, fuga, morte, ódio, maldição e preconceito, unindo raças, separando humanos, todos perdidos na fábrica de lama que o planeta se tornou.

Decidiu então que não sairia mais, que não podia mais enfrentar a vida, mas estava destinada ao terror, os demônios assumiam as mais diversas formas, ela não estava protegida, sua casa era um cenário obscuro e temeroso, passando a se restringir ao seu quarto, nem isso, nenhum lugar era seguro.

Não podia mais ligar a tevê ou o rádio, os demônios lhe diziam coisas, estavam esperando por ela, se deliciariam com seu corpo, para em seguida arrastarem sua alma.

Deitada em sua cama, escondida embaixo de cobertores como se fossem barricadas, tentava em vão se proteger, ouvia os suspiros malditos, as palavras de rancor as promessas de sofrimento, eles estavam em toda parte.

Estava enlouquecendo, queria pedir ajudar, mas a quem? Sua cidade era dominada por monstros, queria escapar, mas não tinha chances.

Foi encontrada dias depois, por um vizinho que sentia um forte cheiro que se espalhava por toda a rua, estava morta, seu corpo parecia ter sido sugado, estava ressecado, sem vestígios dos líquidos corporais.

Os demônios tinham feito um excelente trabalho mais uma vez, era considerada esquizofrênica, com mania de perseguição.

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor