Desesperado - por Antonio Montes

DESESPERADO

Aqui em meio a esse oceano de sentimentos
As ondas me levam...
Levam-me mar adentro... Distante da praia
Longe da pele e do suor do seu corpo
Mas sempre no cais do meu coração
E esse cais de fronte ao horizonte
Fica em meio a brumas de saudades
E nessa saudade de ti, eu me vejo
Em volta dos corais de suas vontades
Rodeados pelas perolas dos seus desejos
Me sinto adentrando nas areias dos seus beijos
E ao sentir me vejo cheio de ensejo
Entre essa areia movediça que me move
Esse sentir que me leva e me comove
Em ensejo que me arrasto nas asas dessa paixão
Eu padeço e me esmoreço nessas lembranças
... Lembranças que me leva como o vento
E sobre o vento moldado pela imensidão
Navegando nas ondas dos meus sentimentos
Eu sinto... Eu sinto o meu coração tropo de calor
Sobre esse tenro amor eu debruço o meu olhar
O com os olhos lacrimejando de recordação
Presencio uma lagrima despencar do meu rosto
Insatisfeito com a minha cruel e triste sina...
Sina que tombado pela recordação
Me vejo sem terra, em meio as águas
Me vejo distante do inicio e começo a chorar
Esse choro me leva ao desespero
Desesperado eu fico, desesperado pela ausência
desse amar.

Antonio Montes 01/06/14

 

Página de nosso colunista Antônio Montes

http://www.divulgaescritor.com/products/antonio-montes-colunista/

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor