Eduardo Galeano - por Eduardo Garcia

Eduardo Galeano - por Eduardo Garcia

Foto Google

Eduardo Galeano

 

Nasceu em 3 de setembro de 1940 em Montevidéu, faleceu na mesma em 13 de Abril de 2015, aos 74 anos. De uma família católica de classe média de ascendência europeia. Na infância, Galeano tinha o sonho de se tornar um jogador de futebol; esse desejo é retratado em algumas de suas obras, como O futebol de sol a sombra (1995). Na adolescência, Galeano trabalhou em empregos nada usuais, como pintor de letreiros, mensageiro, datilógrafo e caixa de banco. Aos 14, vendeu sua primeira charge política para o jornal El Sol, do Partido Socialista.

 

No início da década de 1960 começou sua carreira jornalística como editor do Marcha, importante jornal semanal que tinha como colaboradores Mario Vargas Llosa e Mario Benedetti. No diário Época foi editor e editor-chefe do jornal universitário por dois anos.  "As Veias Abertas da América Latina.", sua obra de destaque foi publicada em 1971.

 

Com o golpe militar do Uruguai em 1973, Galeano é preso e mais tarde exilou-se na Argentina, onde lançou Crisis, uma revista sobre cultura. Com golpe militar liderado pelo general Jorge Videla em 1976, sentindo-se ameaçado e temendo por sua vida, exila-se na Espanha, onde deu início à trilogia Memória do Fogo. Retornou a Montevidéu em 1985, com a redemocratização de seu país, onde viveu até sua morte, em 2015.

 

Seu trabalho

 

"As Veias Abertas da América Latina"

A obra mais conhecida de Galeano é: "As Veias Abertas da América Latina", onde analisa a História da América Latina desde o período colonial até a contemporaneidade, escreveu sobre o que considerava a exploração econômica e política do povo latino-americano primeiro pela Europa e depois pelos Estados Unidos. A esquerda latino-americana adotou-o como um clássico. Após mais de 40 anos do lançamento do seu mais conhecida obra, durante a 2ª Bienal do Livro de Brasília Eduardo Galeano admitiu ter mudado de ideia sobre o que escrevera: "'Veias Abertas' pretendia ser um livro de economia política, mas eu não tinha o  preparo necessário, eu não seria capaz de reler esse livro; daria sono. Para mim, essa prosa da esquerda tradicional é extremamente árida, e meu físico já não a tolera.".

 

Memória do Fogo

É uma trilogia da História das Américas. Os personagens são figuras históricas retratadas em pequenos episódios que refletem o período colonial do continente. Desde os pré-colombianos e terminando no início da década de 1980. Galeano destaca a opressão colonial, e a resistência. Aclamado pela crítica literária Galeano foi comparado a Gabriel García Márquez. Destaque no suplemento literário do The Times, Ronald Wright escreveu que "os grandes escritores dissolveram gêneros antigos e encontraram novos. Esta trilogia de um dos escritores dos mais ousados e talentosos da América Latina é impossível de classificar, conclui".

 

O Livro dos Abraços

É uma coleção de histórias curtas , onde apresenta emoções, arte, política e valores. A obra também oferece uma crítica à sociedade capitalista moderna, com o autor defendendo aquilo tudo em que acredita. Jay Parini do The New York Times, no suplemento literário disse que é talvez a obra mais ousada do autor.

 

O futebol ao sol e à sombra

Como fã de futebol, Galeano escreveu O futebol ao sol e à sombra, que revisa a trajetória histórica do jogo. Nele narra a final da Copa de 1950, Rio de Janeiro, que entrou para a história do futebol como Maracanazo, a virada do Uruguai por 2 a 1 na Seleção Brasileira em pleno Maracanã.

 

Espelhos

Seu livro mais recente, Espelhos, onde o autor recontou episódios que a história escondeu. Galeano se definia:" Como um escritor que remexe no lixão da história mundial."

Eduardo Galeano negava o caráter meramente histórico de suas obras, dizia que era "Um autor obcecado com a lembrança, com a lembrança do passado da América e, sobretudo, da América Latina, uma terra intimamente condenada à amnésia".

 

Nos Estados Unidos Eduardo Galeano escreveu artigos para publicações de esquerda como New Internationalist, The Nation, Monthly Review e The Progressive.

 

Fonte Wikipédia

 

Pesquisa e Comentários

Luis Eduardo Garcia Aguiar

Poeta, Escritor, Colunista, , Palestrante, Pesquisador, Diretor da UBE PE

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor