Emerson Cesar - Entrevistado

Emerson Cesar - Entrevistado

por Giuliano de Méroe

Mineiro do Vale do Jequitinhonha, o professor e palestrante Emerson César é cronista e escritor romancista, sendo autor da trilogia "Revolucionários" (Editora Pandorga, 2014), romance que narra a saga dos personagens Mário e Heitor ao protagonizarem uma incrível e dramática Revolução no Brasil. Em seu blog, Dragão Urbano, o autor escreve crônicas e artigos polêmicos sobre temas como política e atualidades. Sua obra é um convite ao pensamento crítico e a reflexão. Com cada vez mais leitores e menos amigos, poucos são os que conseguem ficar indiferentes aos seus escritos. Tente.

 

“Procurei construir uma obra cuja narrativa fosse marcada pelo dinamismo da leitura e dos acontecimentos. Quero que meus leitores sejam incapazes de largar o livro já a partir das primeiras páginas, se vendo completamente envolvidos na trama.”

 

Boa Leitura!

 

Divulga Escritor - Escritor Emerson Cesar, é um prazer contarmos com sua participação no Projeto Divulga Escritor. Conte-nos, em resumo, como se desenvolveu seu primeiro livro “Revoluções – E se a próxima revolução acontecesse aqui”?

Emerson César - Antes de mais nada, agradeço a oportunidade de participar desse projeto que vem ampliando o espaço para a divulgação de autores e os aproximando do público cada vez mais interessado em nossa literatura. O prazer é todo meu.

Sobre a criação do primeiro volume da trilogia “Revolucionários”, foi e ainda tem sido um grande desafio e uma enorme satisfação em minha carreira. Comecei a escrever esse romance em setembro de 2012, num momento em que procurava formas de compilar minhas visões de mundo e de sociedade, especialmente àquelas que envolviam o levante revolucionário conhecido como “Primavera Árabe” e também o contexto político e social no Brasil daquele período. Bem antes de qualquer sombra revolucionária em terras tupiniquins, eu imaginava como se daria uma Revolução aqui, a partir das características peculiares do nosso povo e do nosso país. Mas foi somente quando terminei de ler o clássico “Crime e Castigo”, de Dostoiévisk, que me empreendi na então “arrogância” de escrever um livro. Pretendia, através de uma história fictícia, convidar meu leitor a imaginar comigo e minhas personagens como se daria uma Revolução no Brasil, bem como instigá-lo a refletir sobre algumas das questões mais atormentadoras do nosso tempo, como a violência, corrupção, consumismo, crise ambiental e muitas outras. Curiosamente, terminei de escrevê-lo em maio de 2013, apenas um mês antes da onda de protestos que se iniciaram em junho daquele ano em todo o Brasil.  

 

Divulga Escritor - Conte-nos em linhas gerais sobre a estrutura de organização pela qual compõe sua Obra.

Emerson César - Procurei construir uma obra cuja narrativa fosse marcada pelo dinamismo da leitura e dos acontecimentos. Quero que meus leitores sejam incapazes de largar o livro já a partir das primeiras páginas, se vendo completamente envolvidos na trama. Por essa razão, apesar do contexto político e social como plano de fundo, empurrei minhas personagens em dramáticas cenas de tiroteios e assassinatos, conflitos psicológicos e ideológicos, além de embaraçosas relações de amor, ódio e traição. Mais do que simples recursos literários para conquistar o leitor, enxergo cada um desses elementos como os insumos de qualquer Revolução no mundo real e procurei da melhor forma incorporá-los a trama de Revolucionários. Outra característica marcante em minha obra, é que os capítulos não seguem o padrão de tempo linear, ou seja, o primeiro capítulo não é necessariamente o início da história, como acontece na maioria dos livros desse gênero. Essa estrutura tornou meu trabalho de escrevê-la um pouco mais difícil, mas o leitor, por outro lado, ganhou uma narrativa mais dinâmica e envolvente.  

 

Divulga Escritor - Este tema, pelo qual o escritor se dedicou a uma investigação mais apurada, está de alguma forma, atrelado a alguma fase, situação ou acontecimento de sua vida pessoal ou profissional?

Emerson César - Sou professor universitário, no entanto, os temas que me dedico a pesquisar e escrever em nada ou muito pouco se aproximam da minha formação acadêmica ou profissional. Sou um entusiasta das ciências sociais e um pesquisador voraz dos temas ligados a ela, especialmente política, filosofia e sociologia. Essa paixão voluntária é que me levou à aprofundar meus conhecimentos e escrever sobre o tema.

 

Divulga Escritor - Sabemos que seu livro foi inspirado na “Primavera Árabe”, na Revolução Indiana (com Gandhi) e Revolução Francesa (Robispierre)? Poderia nos contar qual a influência de cada um desses vetores naqueles momentos da história, retratados em sua obra?

Emerson César - A “Primavera Árabe” esteve bem longe de ser um levante revolucionário uniforme em todos os países por onde passou. Perceber algumas dessas diferenças decorrentes das características culturais, políticas e sociais de cada país, me levou a avaliar, antes de mais nada, de que ou quais formas a cultura, a política e a configuração social brasileira poderia promover e até destruir um movimento revolucionário em nosso país. Quanto a Gandhi e Robespierre, eles emprestam suas características essenciais aos personagens protagonistas da trama: o pacifista Mário e o guerrilheiro Heitor, respectivamente. Em seus pensamentos, diálogos e ações se revelam, de maneira mais ou menos sutil, semelhanças entre a Revolução Indiana e Francesa com a então Revolução Brasileira.  

 

Divulga Escritor - Emerson Cesar, é óbvio que cada leitor fará sua própria interpretação. Porém, como resultado de suas pesquisas, qual é sentido que mais fortemente deseja infundir no leitor, através de seu livro?

Emerson César - Desejo que o leitor, ao chegar ao final da trama ou quem sabe bem antes disso, possa se tornar o agente de sua própria revolução mental. Nós nascemos nos fundos de uma senzala invisível de uma sociedade decadente que há tempos aprisionou nossas mentes e nosso futuro. Por meio da minha obra tenho a arrogante pretensão de fazê-lo enxergar suas correntes mentais, e, caso o leitor consiga rompê-las, terei contribuído no surgimento de mais um(a) revolucionário(a). E acredite, o mundo precisa de revolucionários.

 

Divulga Escritor - Como avalia o mercado literário brasileiro?

Emerson César - No ano passado tive a oportunidade de participar da Bienal do Livro de São Paulo. Lá pude perceber aquilo que algumas pesquisas já vinham apontando: o brasileiro está tomando gosto pela leitura! Ainda estamos muito distantes de países como França e Argentina, onde se lê em média muito mais que os brasileiros, no entanto, que nosso povo tem mostrado cada vez mais interesse na literatura é notório. Logo, temos um enorme mercado consumidor para autores novos e consagrados. Para quem pensa em tirar os escritos da gaveta, a hora é essa!

 

Divulga Escritor - Sugere alguma melhoria? Algum aspecto em particular gostaria de ressaltar?

Emerson César - Penso que o mercado literário para o gênero de romance ainda está tomado, em boa parte, por grandes autores internacionais. A concorrência com os best-sellers estrangeiros é um desafio e tanto para os romancistas brasileiros, especialmente quando as editoras investem pouco na divulgação e marketing dos seus autores nacionais. Apenas ter uma boa história e publicar o livro não é garantia de sucesso de vendas se não houver um bom investimento em comunicação por parte dos autores, mas, principalmente, por parte das editoras. A maior valorização dos trabalhos e autores nacionais seria uma mudança bastante positiva em nosso mercado literário e um grande incentivo para a literatura nacional.

 

Divulga Escritor - Onde podemos comprar os seus livros? (indicar até 3 links para a compra e endereço de e-mail).

Emerson César - O primeiro volume da trilogia “Revolucionários – E se a próxima Revolução acontecesse aqui?”, publicado pela Editora Pandorga, pode ser adquirido nas principais livrarias do país, como Cultura, Nobel e Saraiva. Para quem não quiser sair de casa, também pode adquiri-lo pelo site da Editora ou, se preferir, pode adquirir seu exemplar autografado diretamente comigo, basta fazer contato através do meu blog ou página no Facebook.

Blog Dragão Urbano

http://dragaourbano.com.br/contato/

Página Dragão Urbano no Facebook

https://pt-br.facebook.com/DragaoUrbano

Site Editora Pandorga

http://editorapandorga.com.br/V2/revolucionarios?search=revolucion%C3%A1rios

 

Divulga Escritor - Como Professor e Escritor, como enxerga a relevância da leitura para as pessoas ?

Emerson César - Sabemos, por meio de pesquisas, que o próprio pensamento e a inteligência do indivíduo estão intimamente relacionados ao seu vocabulário. A leitura é capaz de enriquecer seu vocabulário e conseqüentemente aumentar sua inteligência, ao permitir que você construa pensamentos e conceitos cada vez mais diversificados e complexos. Mais que isso, a leitura é, sem dúvida, a mais importante ferramenta de conquista de conhecimento e cultura acessível à maioria das pessoas. Se nada disso lhe convencer a ler, leia simplesmente por ser divertido.

 

Divulga Escritor - Chegamos ao fim da entrevista. Agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor. Estamos felizes em conhecer o pensamento do escritor Emerson Cesar. Que mensagem quer deixar para nossos leitores?

Emerson César - Agradeço mais uma vez à toda equipe envolvida com o Projeto Divulga Escritor, que faz um belo e importantíssimo trabalho de valorização da nossa literatura e de fomento a cultura. Foi uma grande satisfação poder compartilhar um pouco do meu trabalho com seu público de leitores e escritores tão assíduos e talentosos. Espero conversar com todos eles através das páginas e ideias do meu livro, das ácidas polêmicas em meus artigos ou da simples troca de mensagens pelas redes sociais ou email.

Um abraço a todos e que a Revolução esteja com vocês!

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor