Existência - por Fernanda Comenda

Existência - por Fernanda Comenda

Existência

 

Passado, dizem que não o devemos recordar porque o passado já passou e o presente é que é preciso viver!

Concordo com esta afirmação até certo ponto, ou seja, não nos devemos deixar levar pelo passado, devemos viver o presente, mas como é possível a nossa cabeça, os nossos pensamentos só estarem no presente? É algo para pessoas perfeitas, muito racionais, o que na realidade eu não sou, nem perfeita, nem completamente racional. A minha parte emotiva é muito forte, as recordações de outrora assolam-me de tempos a tempos, a saudade, por vezes,é uma dor no meu peito. Tenho saudades dos meus pais, de tios, de primos, de amigos, que infelizmente partiram para outra dimensão. Podemos dizer que cumpriram os seus destinos, as suas vidas…

Tenho também saudades de pessoas que felizmente ainda continuam nesta dimensão mas que por razões da vida, numa determinada altura os nossos caminhos se cruzaram mas distanciaram-se e no presente estão afastados, uns cruzando-se de vez em quando, outros nunca mais.

Todas essas pessoas deixaram algo delas connosco e levaram algo de nós com elas. Umas mais outras menos.

Mas toda esta minha conversa para quê e porquê? Pergunta quem lê. Pois eu respondo: é que hoje há tristeza dentro de mim, há lágrimas nos meus olhos, dor no coração por me deparar com o sofrimento de alguém que me é muito querido: a minha última tia, a única tia que ainda tenho viva. É uma tia linda com oitenta e cinco anos que sempre com muita coragem e olhar sereno enfrenta o primeiro aviso da morte, um AVC, paralisada do lado direito e sem falar. No seu olhar há consciência e embora sereno há muita tristeza…

E assim, se inicia o princípio do fim que poderá, se Deus quiser, ser ainda longo e com recuperação.

Mas afinal, tem de haver uma razão para a nossa vida, para o sofrimento, para a alegria, para as nossas vivências para a nossa essência…que razão será essa? É um mistério…assim como viver é um milagre…assim como amar, odiar, perdoar faz parte do processo da nossa vida.

O que eu penso afinal de toda este problema existencial, é que nós somos um todo, e embora indivíduos únicos e singulares, necessitamos uns dos outros. Fomos feitos para interagir, agir e nos ajudarmos mutuamente a percorrer o caminho de vida de forma a nos aperfeiçoarmos e quem sabe nos transformarmos em amor e luz!

O nascimento é alegria, o fim da vida é tristeza, mas na realidade, nada há a fazer, é necessário então aproveitar bem o que temos e fazermos do presente aquilo que aprendemos no passado e transportá-lo para o futuro.

Bem-haja quem consegue transformar o ódio em AMOR!

                                                                                                     

08-09-2016

Maria Fernanda Comenda

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor