Geraldo Ferraz de Sá Torres Filho - Entrevistado

Geraldo Ferraz de Sá Torres Filho - Entrevistado

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Nome:   GERALDO FERRAZ DE SÁ TORRES FILHO

Cidade: RECIFE                                     País: BRASIL

O livro que foi autografado na BIENAL PE foi THEOPHANES FERRAZ TORRES. A PRISÃO DO CANGACEIRO ANTÔNIO SILVINO E O JÚRI DO SÉCULO, segundo número da Coleção Pernambuco no Tempo do Cangaço.

Tema do conteúdo que escreve:

       A temática é o Ciclo Histórico do Cangaço, com ênfase a briosa atuação de um dos mais destacados militares pernambucanos, durante o combate ao banditismo, reinante nas décadas de 10 e 20 do século passado, e, em especial, uma biografia do primeiro Rei do Norte, capturado, ferido, em 29 de novembro de 1914, pelo então alferes Theophanes Ferraz Torres.

 

 Divulga Escritor - O que o motivou a participar da BIENAL PE?

Geraldo Ferraz - Além de a BIENAL ser um excelente Farol Literário, informo que já venho participando desde o ano de 2005 (Quinta Bienal Internacional do Livro de Pernambuco), oportunidade em que fui palestrante com a temática: A situação da pesquisa histórica em Pernambuco. Palestras e lançamentos de outros livros foram realizados nos demais encontros.

 

 Divulga Escritor - Em que momento se sentiu preparado para publicar um livro?

Geraldo Ferraz - O meu primeiro livro, em dois volumes, Pernambuco no tempo do cangaço (Antônio Silvino, Sinhô Pereira, Virgulino Ferreira “Lampião”. Theophanes Ferraz Torres, um bravo militar (1894/1933), foi um trabalho de pesquisa de 15 anos. O Mestre Frederico Pernambucano de Mello, prefaciador do trabalho, me orientou a parar minhas pesquisas e publicar, logo, aquelas 1.024 páginas. Com o passar do tempo, segundo ele, as novas informações colhidas deveriam subsidiar uma nova edição, revista e ampliada. Devido aos altos custos para editar uma nova edição, decidi atender outra grande sugestão/desafio de Frederico Pernambucano, que me disse: “Convém que Geraldo, cumprido o dever que se assinou no tocante à vida do avô, ponha seu instrumental investigativo a serviço do levantamento do triênio de ouro da ação policial em Pernambuco,...”. Assim surgiu a ideia de criar a Coleção Pernambuco no Tempo do Cangaço, que teve para o seu o primeiro número, a biografia do desconhecido cangaceiro, Dé Araújo, um parente de Theophanes que estava do outro lado da lei.

 

Divulga Escritor - O que mais o encanta na área literária?

Geraldo Ferraz - O encanto pela leitura.

Desde que tomei meus primeiros contatos com o universo das letras, no início da década de 60, me apaixonei e passei a “devorar” qualquer tipo fonte que fosse testemunho oral da palavra escrita.

Resolvida a “fome literária”, passei a estudar a História do Ciclo do Cangaço, incentivado pela visita da escritora Aglae Lima de Oliveira, em meados da década de 60, do século passado, na cidade de Gravatá/PE e pela leitura do extraordinário trabalho do Mestre Frederico Pernambucano de Mello, Guerreiros do Sol. No ano de 1984, após notar a ausência e a necessidade, imperiosa, entre historiadores, estudantes, pesquisadores e curiosos no tema Cangaço, em se obter dados concretos e organizados sobre os difíceis anos do banditismo no Nordeste, e, principalmente, das enormes dificuldades que se tinha para combatê-lo, decidi que era a hora em estabelecer uma cronologia histórica e dividi-la com meu público leitor.

 

 Divulga Escritor - Conte-nos um pouco sobre o seu novo lançamento, o livro “Theophanes Ferraz Torres. O centenário da prisão do cangaceiro Antônio Silvino e o Júri do Século.”

Geraldo Ferraz - Neste trabalho, onde se enfatiza a vida e o centenário da prisão do cangaceiro mais famoso da época, tratado pela imprensa daquela época como o Rei do Norte, ou seja, o primeiro Rei do Cangaço, o leitor tem a oportunidade de confrontar-se com duas figuras antagônicas (Silvino e Theophanes), entre outras centenas de personagens que forjaram a verdadeira saga do povo nordestino, no final do século XIX até a primeira década do XX, tudo isto dentro de uma atmosfera histórica totalmente diferente da que vivemos na atualidade.

Demonstra-se, sobretudo, o caráter do jovem oficial que realizou tão importante prisão (com 19 anos) e a sua meteórica ascensão na iniciante vida militar na então Força Pública de Pernambuco.

 

Divulga Escritor - Onde podemos comprar  o seu livro?

Geraldo Ferraz - Através do e-mail: geraldoferraz@uol.com.br

Site para mais informações:

www.geraldoferraz.net.br

 

Divulga Escritor - Quais os seus principais objetivos como escritor?

Geraldo Ferraz - Divulgar para o mundo lusófono a temática que abracei, com muito carinho literário, mostrando a autentica saga do nosso povo.

 

Divulga Escritor - Como você vê a Bienal Internacional do Livro de Pernambuco para o desenvolvimento literário pernambucano?

Geraldo Ferraz - Excelente oportunidade para discutirmos o que produzimos e aprender, mais, com os outros profissionais, em uma atualização constante e muito saudável para o universo das letras.

 

Divulga Escritor - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor sua trajetória literária. Agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Geraldo Ferraz - Leiam bastante, cercando-se, sempre, de fontes seguras de leituras confiáveis, para não prestarem um desserviço à história do nosso povo. Desejando que todos possam usufruir deste grande encontro das letras em nossa terra, só me resta dizer que aproveitem bastante e usufruam de um boa leitura

 

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor