Helena Santos - Entrevistada

Helena Santos - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Helena Maria Magalhães Cardoso dos Santos, 49 anos, nasci em Angola de onde vim para Portugal com 10 anos, aquando do 25 de Abril de 1974. Sou casada e tenho um filho. Tenho o 12º. Sou Casapiana. Estudei na casa Pia de Lisboa – Secção de Santa Clara. Nunca fui uma aluna brilhante, mas sempre fui das melhores na disciplina de Português e Educação Física. Sempre gostei de ler, sempre devorei livros, até à morte do meu pai, altura em que deixei de fazer muita coisa e nunca mais fui a mesma. Continuo a ler, mas não com a mesma intensidade. O meu primeiro contacto directo com a poesia foi em 2011, com o convite para administradora de um grupo de poesia, que acabou por ser uma experiência enriquecedora. Só comecei a escrever em Fevereiro de 2013. Isso para dizer que se a escrita nasceu comigo, estava disfarçada porque até meses atrás, não tinha dado por ela. Dos 12 aos 28 anos, estive mais ligada na prática e em fomentar o desporto, mais propriamente o Ténis de Mesa.

“Ninguém tem o direito de criticar. As pessoas são livres de fazer o que lhes dá prazer, desde que não prejudiquem ninguém… Quem me sabe explicar o que é boa e má poesia? Se ninguém sabe, deixem os outros serem felizes à sua maneira. É um sonho editar um livro? Força e muito sucesso para todos.”

 

Boa Leitura!

 

SMC - Poeta Helena Santos é um prazer entrevistarmos uma parceira do projeto Divulga Escritor,  conte-nos o que a motivou a ter gosto pela leitura?

Helena Santos -  Não poderia responder à tua pergunta, sem antes agradecer o convite e a oportunidade de colaborar com o projecto Divulga Escritor. Um projecto inovador e que tanto prazer me dá trabalhar nele.

Quanto ao gosto pela leitura, já nasceu comigo. Sempre adorei ler. Enquanto estudei, a minha disciplina favorita sempre foi Português. Quando tinha condições para o fazer, todos os fins de semana  quando ia às compras, adquiria dois ou três livros. Outros, pedia emprestado a amigos porque aproveitava todos os bocados para ler.

 

SMC -  Quais, escritores, são as suas referências literárias? Por que eles se tornaram uma referência para você?

Helena Santos -  Eu simplesmente gosto de ler e os autores de referência são os que faziam parte do plano escolar e que nós éramos obrigados a estudar. Miguel Torga apaixonou-me com “Bichos” e “Contos da Montanha”. Foi a partir daí que me apaixonei pela leitura. A única coisa que preciso, é de sentir empatia com a história quando inicio um livro, seja de um autor nacional ou estrangeiro. Não gosto de me limitar.

 

SMC - Em que momento te sentes mais inspirada a escrever poesias?

 Helena Santos -  Antes de responder, quero deixar claro que eu não me considero nem escritora, nem poetisa. Sou simplesmente uma curiosa que apanhou o gosto pela escrita.

Eu escrevo muito à noite, quando já estou na cama. Tenho sempre um caderninho na minha mesinha de cabeceira, porque se acordo e me vem uma ideia, tomo nota senão no dia seguinte já não me lembro de nada. Durante o dia, dificilmente consigo escrever, a não ser que me meta na cama.

 

SMC - Como você vê a poesia?

Helena Santos -   A poesia para mim já é uma paixão desde que tive o primeiro contacto mais constante em 2011. Em termos de escrita, ainda é uma novidade. É uma forma de exprimir o que sinto em relação a vários temas: amor, desamor, sociedade, alegria, tristeza, sensualidade, ao meio que me rodeia, etc. Escrevo consoante o meu estado de espírito. Não sigo uma linha. Mas fico feliz quando recebo mensagens de pessoas que dizem que gostam e se identificam com o que escrevo.

 

SMC - Pensas em publicar um livro?

Helena Santos -   Editar um livro, não é nada que esteja fora dos meus objectivos. Mas sinceramente, não perco o sono a pensar nisso. Se acontecer, melhor. No momento o importante é o prazer que sinto em escrever e saber que alguém me lê e gosta.  E quero aproveitar estes momentos, distribuindo, abraços, beijinhos e muitos SORRISOS. Quando chegar o amanhã, verei o que me foi destinado.

 

SMC - De que forma você divulga o seu trabalho?

Helena Santos -  Divulgo o meu trabalho no meu Perfil do Facebook, https://www.facebook.com/helenasantos25,  em dois ou três Grupos que selecciono na altura de publicar e no meu Blogue http://jardimsorrisosdepoesia.blogspot.pt/  Curiosamente, não gosto de publicar no meu Grupo.

 

SMC - Você hoje é administradora dos Grupos: “Pincelando, Fotografando, Poetando” e “Sorrisos Nossos”, o que diferencia um do outro?

Helena Santos -   Entre os dois Grupos que tenho neste momento, a diferença só está no aproveitamento que faço deles. O “Pincelando, Fotografando, Poetando”, https://www.facebook.com/groups/pincelando.fotografando.poetando/,  quando o criei estava direccionado para essas três artes, uma vez que pratico um pouco de cada uma delas. Mas nunca estive muito presente por questões de saúde e por ter ficado impossibilitada temporariamente de pintar. Depois decidi criar o “Sorrisos Nossos” https://www.facebook.com/groups/172907859557885/, só para poesia e acabei por me desligar do primeiro, que agora aproveito para usá-lo mais para divulgações de Eventos de amigos, embora os poucos membros que tem, continuem a publicar lá. Com tempo, irei aproveitá-lo melhor. Agora o Grupo que tem toda a minha atenção, é sem dúvida o “Sorrisos Nossos”. Tem poucos membros porque eu tento que seja um Grupo essencialmente de amigos e por isso não me preocupo com os números. Não quero um Grupo com conflitos.

 

SMC - Helena, quais os seus principais hobbies?

Helena Santos -   Escrever para mim é um hobby. Ler, é outro. Outro ainda e que amo é a pintura. E assim como a escrita surgiu numa fase menos boa da minha vida, a pintura também. Comecei a pintar há 7 anos, aquando do falecimento do meu pai, em que entrei em choque e fiquei sem mexer os braços durante um ano. Comecei a pintar como terapia, uma vez que precisava de exercitar os ombros com algo que me provocasse menos dor. Comecei, gostei e nunca mais parei. Também tenho um perfil que é o “Pinceladas Poéticas” https://www.facebook.com/morena.iluminada, onde publico os meus trabalhos. Estive algum tempo parada, mas já recomecei a pintar. Também não me considero pintora. Brincar com os meus cães, é um hobby; contemplar o mar que o tenho aos meus pés, é um hobby; estar simplesmente de papo para o ar sem nada fazer, também é um hobby.

 

SMC - Como vê o mercado literário na área que você escreve?

Helena Santos -  A ideia que tenho é que uns são filhos e outros enteados. Ou seja, temos tão bons escritores ou poetas que continuam com as obras na gaveta porque não conseguem quem queira editar um livro que seja, mesmo que tenha talento. Se for uma figura pública, ou alguém que tenha conhecimentos, tem sempre as portas abertas, com ou sem condições financeiras. Acho injusto.

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário em Portugal?

Helena Santos -   Em primeiro lugar, que fossem criadas condições para que o valor dos livros não fosse tão exorbitante, para que todos pudessem adquiri-los em maior quantidade. Depois, a oportunidades para todos realizarem o seu sonho, o de editar um livro. Em relação à poesia,  eu costumo dizer que não há boa nem má poesia. Tudo depende do gosto de quem  lê. Felizmente que há gostos para tudo. Mas com certeza que deveria haver um critério e alguém com capacidade de avaliação e selecção de novos talentos. Não se pode banalizar, porque o que se verifica hoje em dia é que qualquer pessoa edita um livro, desde que tenha condições financeiras. Até eu própria já tive convites para editar um livro. E pergunto: eu sou escritora ou poetisa? Claro que não sou. E conheço tanta gente talentosa. Mas por outro lado, também acho que quem tem o sonho de editar um livro, deve fazê-lo. Afinal os sonhos não são para serem realizados? Claro que quando alguém edita um livro há sempre vozes de burros que espero não cheguem ao Céu, que criticam. Ninguém tem o direito de criticar. As pessoas são livres de fazer o que lhes dá prazer, desde que não prejudiquem ninguém… Quem me sabe explicar o que é boa e má poesia? Se ninguém sabe, deixem os outros serem felizes à sua maneira. É um sonho editar um livro? Força e muito sucesso para todos.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora/poeta Helena Santos, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Helena Santos -    Doce Shirley, eu é que agradeço o carinho com que me acolheste neste teu projecto e a oportunidade de me dar a conhecer através desta entrevista. Espero que continues a brindar-nos com as tuas inovações que tanto engrandecem a literatura e quem te segue.

A minha mensagem para os leitores, é que leiam muito e de tudo e que incentivem os mais novos, assim como os escritores adquirindo as suas obras. Que leiam mais e mais, porque a ler ganhamos asas e viajamos pelos sítios mais fantásticos que se possa imaginar. Leiam e leiam, porque da leitura vem a paz de alma, a sabedoria, o conhecimento, a leveza…a Realização. E se a tudo juntarmos um SORRISO, é perfeito.

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor