Ismael Gaião - por Eduardo Garcia

Ismael Gaião - por Eduardo Garcia

Ismael Gaião é poeta declamador, cordelista e contador de causos. Tem atuação efetiva na área da Literatura Popular desde 1989, tendo atualmente 45 cordéis publicados.      Foi um dos principais declamadores e um dos maiores vendedores de cordel da FENEARTE (2009 e 2011) e da BIENAL DO LIVRO DE PERNAMBUCO, em 2009 pela extinta UNICORDEL (União dos Cordelistas de Pernambuco).                 Conquistou o 1º lugar na 4ª RECITATA – 2009 (Concurso de poesia declamada) promovido pela Fundação Cultura da Cidade do Recife, onde tirou nota 10 (dez) no Júri Popular, obtendo também o 4º lugar no Júri Técnico, com seu poema “MENINO DE RUA”. Gravou o CD “CAUSOS E CORDÉIS”, em 2010 e “CAUSOS E CORDÉIS 2” em 2015, ambos em parceria com o poeta Felipe Júnior.                                                 

 É colunista do blog Jornal da Besta Fubana, assinando a página “Colcha de Retalhos” e colaborador Diário de Pernambuco, com artigos no caderno OPINIÃO, desde 2010.

 

É TRISTE O DIA DOS PAIS
SEM TER PAPAI DO MEU LADO

Aquele beijo na testa,
Aquele cheiro gostoso.
Do seu jeito carinhoso,
Só a saudade me resta.
Para mim era uma festa
O seu abraço apertado.
Hoje eu sofro um bocado,
Por não poder tê-lo mais,
É triste o dia dos pais
Sem ter papai do meu lado.

Toda família hoje vive
Lembrando o quanto era forte.
Feliz é quem teve a sorte
De ter o pai que eu tive.
Hoje a gente sobrevive,
Pelo exemplo que foi dado.
E é esse seu legado
Que alivia nossos aís,
É triste o dia dos pais
Sem ter papai do meu lado.

Ismael Gaião
Recife, 08 de agosto de 2009

SONETO DA VIDA

 

(resposta ao poema DESENCANTO de Manuel Bandeira)

Às vezes eu acho que a vida é um porre
Assim mesmo quero teimar em viver…
Porém consciente que hei de morrer,
Não faço jamais versos como quem morre.

Da minha tristeza um poema se escorre.
Se faço meus versos estando a sofrer…
Se quero um alguém para me socorrer,
Eu sei, que o poema é quem mais me socorre.

É ele que acalma e me tráz esperança…
Tal qual o sorriso de uma criança…
Que ainda é tão pouco, mas que sobrevive!

Meu verso é a vida que pulsa na veia,
É como o amor sob a lua cheia.
- Pois eu faço versos só como quem vive!

Ismael Gaião
Recife,24/07/2009

 

Ismael, bom no improviso, grandes shows, talento quando apresenta seu Pocket Show, seu Stand UP, cordéis e sonetos bem elaborados, premiado em concursos e uns dos maiores vendedores de cordel na Fenearte 2009, 2011, contador de causos, gravou dois CDS “CAUSOS E CORDÉIS”, “CAUSOS E CORDÉIS II” em parceria com Felipe Jr..

 

 

Texto e Comentários

 

Luis Eduardo Garcia Aguiar

Escritor – Jornalista – Diretor de Comunicação da UBE

DRT 6006/PE

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor