Joao Bosco Esmeraldo - Entrevista

Joao Bosco Esmeraldo - Entrevista

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)

João Bosco Rolim Esmeraldo, ou simplesmente, Bosco Esmeraldo.

Pseudônimo OD LAREMSE M PETERSON, um anagrama do seu nome em conjunto com uma homenagem a seu pai, Pedro Esmeraldo.

Casado com Rosiland e com esta tem dois filhos, uma filha e duas netas.

Cursou Ciência da Computação, Ciências Contáveis e Teologia. Ama escrever em qualquer estilo, inclusive os que ele próprio criou. É aposentado do Serviço Público Federal e Pastor Evangélico. Fala Inglês, Espanhol e razoavelmente Francês. Tem em torno de vinte livros escritos e ainda inéditos, indo ao prelo no próximo ano o seu primeiro livro ECOS E REFLEXOS EM TOM POÉTICO – Volume I.

“...O mundo pode ser melhor se eu quiser me modificar. Abaixo o egocentrismo e avante o altruísmo. Isso não é utopia até que se tome uma atitude. Sejamos  melhor ente! Sejamos simplesmente gente!”

Boa Leitura!

 

SMC - Escritor João Bosco é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos o que o motivou a ter gosto pela escrita?

JB - Creio que o exemplo de minha mãe e meu avó foi o início de tudo. Mas o incentivo pela leitura por meus professores foi de fundamental importância para o gosto pela escrita, as aulas e exercícios de redação, criar uma história a partir de uma rica gravura, sem dúvida me despertaram o interesse pela escrita.

 

SMC - Quais os principais conteúdos literários que gostas de escrever?

JB - Isto depende muito da inspiração. Gosto de criar situações problemas – solução, principalmente quando tenho uma mensagem que desejo transmitir. Atualidades é algo que está sempre presente em meus escritos. Qualquer flagrante pode ser o motivo para um novo texto, quer seja em prosa ou poesia. Algo que sempre está presente em meus textos é o amor de Deus e Sua infinita graça e misericórdia, quer direta ou indiretamente, nas entrelinhas estão, de alguma forma implícitas.

 

SMC - Hoje você criou um  estilo próprio de escrita, nos conte sobre seu estilo literário, se possível, por gentileza o exemplifique.

JB - Isto soa como um paradoxo. Gosto de liberdade para escrever e muitas vezes o que queria escrever, fugia às regras predefinidas para estilo qual ou tal. Foi fugindo às regras que me deparei escrevendo em novas criações. O primeiro foi o Gradílio. Queria escrever uma poesia que fosse se desenvolvendo gradualmente e culminasse com um fecho de ouro. Então nasceu o Gradual Idílio, “Grad+ílio”. Depois vieram outros que hoje integram o que chamamos de Alelos Esmeraldinus, não exatamente nesta ordem:

Altertrix, Anacruse Tupletino, Carminis Pastorales, Contos Nublares, Decatos Tetraectos, Decatosectos, Desafios Tetraectos, Duetos Tetraectos, Entrevistas Tetraectos, Extrato Interlinear, Extrato Pó Ético, Extrato da Capo, Extratos intertrix, Hebdomus Melodísia, Paraletrix, Pentatrilho, Philosofix, Poemwabi-sabi, Queiex,Selene Léxis, Simplismo sapiente, Sonatilhos, Sonidilho, Tetraebdomos, Trixidilho, Univerbum, Versonitus.

 

SMC – Um Exemplo de Gradílio:

JB - Este Gradílio se utilisa das Estações do Ano como figura das fases de nossa existência:

 

Gradílio #050: INVERNO

 

Frio intenso, calor interno;

Do fim, jamais eu vou ter medo.

O tempo avança, mais tarde ou cedo;

Saudade, presença do amor alterno.

 

Chegamos perto, de Ti, oh, Eterno!

É o curso da vida, não há segredo,

E nos aquece Teu Amor sempiterno.

 

Em cada estação, viver sem remedo.

Em Ti confiante, sigo meu enredo:

 

Primavera, Verão, Outono, Inverno.

 

SMC - Por que Alelos Exmeraldinus?

JB - Amáveis comentários online vinham com a expressão “...com o teu DNA”. Então os batizei de Alelos (um de dois mais dos caracteres contrastantes transmitidos por genes alternativos; alelomorfo). Esmeraldinus, óbvio, tudo a ver com Esmeraldo, meu sobrenome paterno.

 

SMC - Que temas você aborda em seus textos literários?

JB - Amor, companheirismo, conflito, conselho, parábolas, atualidades, civismo, política, espiritualidade. Ocorrências, notícias podem resultar num texto literário.

 

SMC - Hoje você tem vários livros prontos a serem publicados, você já pensou em publicar um, ou mais, como experiência em um site sob demanda como por exemplo, Clube dos autores, ag-book....?

JB - Precisaria entender melhor como funciona. Certamente utilizaria, mas ainda não me decidi por justamente não compreender ainda como funciona.

 

SMC - Quais os seus principais objetivos como escritor?

JB - Alcançar o público leitor, trazendo uma mensagem consistente que lhe traga algo que o edifique, instrua, console, informe. Não escrever por escrever, mas trazer algo que marque o leitor.

 

SMC - De que forma você hoje divulga o seu trabalho literário?

JB - Através dos meus blogs, no Recanto das Letras e no Beco dos Poetas e Escritores. Estes são os principais meios que utilizo para divulgar meu trabalho.

 

SMC - Quais os seus principais hobbies?

JB - Música , compondo ou fazendo arranjos espontâneos ou a pedido e a escrita têm sido hoje os meus mais frequentes hobbies. Violão e escrita  são os meus instrumentos de lazer.

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário no Brasil?

JB - Consideremos que somos, queira ou não, formadores de opinião. Precisamos como tais, cuidar do que escrevemos, pois temos incrível papel de influenciar gerações com nossas ideias. Quanto ao  mercado literário é o meio através do qual alcançamos nosso público-alvo. Este meio tem sido revolucionado com as novidades de mídia em todos os seus aspectos. A Internet tem-se tornado poderosa ferramenta na divulgação de todo tipo de produtos, inclusive os literários. O escritor, a meu ver, precisa de mais facilidade para alcançar o objetivo de publicar suas obras. Quando falamos de livro, vêm em nossa mente o tradicional formato, papel, tinta, cheirinho etc. Precisamos admitir também o formato digital que certamente é o futuro já bem presente. Os editores precisam criar pontes que alcancem os escritores para que estes possam vazar, fluir sua obra e alcançarem o grande mar, seus  leitores , público alvo.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor o Escritor João Bosco Esmeraldo, que mensagem você deixa para nossos leitores?

JB - A vida é bela, curta e passageira, muito mais do que imaginamos. Viver é a arte de fazê-la valer a pena, ou melhor, valer o prazer. Isto depende de como a encaramos. Amar, servir são dons e ferramentas que podem transformar o mundo a começar por si. Amar é servir e não ser servido. O Amor transforma o mundo através de você. Amemos sem reserva sem buscar interesse próprio, mas o bem-estar de quem está ao seu lado, começando por este e estendendo aos mais afastados. Somos, por natureza codependentes. Não somos ilhas, mas necessitamos um do outro, seja em que aspecto for. Sejamos humildes e prontos a ajudar e servir a quem precise, sem preconceito nem predileção. O mundo pode ser melhor se eu quiser me modificar. Abaixo o egocentrismo e avante o altruísmo. Isso não é utopia até que se tome uma atitude. Sejamos  melhor ente! Sejamos simplesmente gente!

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor