João Lúcio de Matos - Tenente - Entrevistado

João Lúcio de Matos - Tenente - Entrevistado

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

João Lúcio de Matos, 1º Tenente/Reformado da PMMG, 65 anos de idade.

Ingressou na PMMG em 1968, na condição de Recruta. Em outubro daquele ano foi promovido à categoria de Soldado de 1ª Classe;

Em janeiro de 1969 foi aprovado na Seleção para o Curso de Formação de Sargentos, tendo sido graduado como 3º Sargento PM;

Em janeiro de 1970 foi aprovado na Seleção para o Curso de Formação de Oficiais. Em 1973 declarado  Aspirante a Oficial PM. Em outubro de 1974, foi promovido ao posto de 2º Tenente PM. Em abril de 1981, promovido ao posto de 1º Tenente PM. Em agosto de 1982 foi reformado (ilegalmente) por problemas de saúde (erro-médico).

Em agosto de 2008, tendo conseguido os documentos que provavam a irregularidade da reforma na PMMG, escreveu o livro “MINHA VIDA NA PMMG – CRIME E COVARDIA  /  ERRO MÉDICO – RACISMO E ABUSO DE PODER”.

 

Boa Leitura a todos!

 

SMC - Escritor João Lúcio de Matos é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor. Conte-nos em que momento pensou em escrever seu livro “ Minha vida na PMMG – Crime e covardia?

Tenente João Lúcio: Sempre pensei que tivesse tido algo de errado na minha prematura reforma. Contudo naquela época da ditatura militar, a PMMG também seguia as normas do militarismo. Não tínhamos acesso a qualquer documento nosso, em fim, não sabíamos nada de nada dos assentamos em nossa ficha funcional.

Com o encerramento do período da ditadura militar, em 2008 consegui todos os documentos e ali tomei conhecimento de toda covardia praticada contra minha pessoa. Então escrevi o meu livro numa forma de desabafo e resgate de minha dignidade, pois era chamado de simulador de doenças e preguiçoso. Hoje estou mostrando e provando, com farta documentação, quem enrolou quem!

 

SMC - Nem sempre é fácil escrever sobre nós mesmos. Como foi a construção da obra?

Tenente João Lúcio:  Sei que não é fácil. Mas não escrevi falando de mim e sim mostrando o que acontecia naquela época. Então, falei de outras pessoas que por maldade ou para proteger o Estado cometeram as maiores atrocidades. Por exemplo: proibiram os médicos de me darem atestado médico para que eu não descobrisse que o diagnóstico de Escoliose, proferido por um Major Médico, estava errado. Eu tinha uma hérnia de disco e, por indicação do major, me tratavam como sendo portador de escoliose. Se tivessem me operado quando a hérnia surgiu, teria continuado na ativa da PM e conseguido realizar o meu sonho de ser Coronel PM.

 

SMC - A quem você indica a leitura do seu livro?

Tenente João Lúcio - A leitura do meu livro, indico a todas as pessoas, tanto militares como civis, principalmente aquelas que tem cargos de chefia e tem pessoas sob seu comando, alertando a todos o que é Bíblico: “ O PLANTIO É LIVRE, MAS A COLHEITA É OBRIGATÓRIA”. Digo isto porque todos os que me prejudicaram já estão no segundo andar (morreram) e, segundo pesquisei, foram com muito sofrimento. Portanto, não devemos desafiar o poder de Deus pois: Deus é tão bom que nos permite plantarmos o que quisermos  e também, Deus é tão justo que nos permite colhermos tudo aquilo que plantamos. Portanto vamos plantar bons frutos para termos boas colheitas.

 

SMC -  Onde podemos comprar o seu livro?

Tenente João Lúcio: Com vocês, através do Facebook, pelo meu e-mail: joaoluciodematos@gmail.com ou através dos meus telefones: (34) 9113-8359 (TIM)  /  (38) 9816-9007 (VIVO) . Para concretizar a venda o futuro cliente deverá depositar R$25,00 na minha conta – João Lúcio de Matos  -  Banco do Brasil  - Agência: 1001-4  - C/Corrente: 37.610-8, confirmar o depósito através do meu e-mail e enviar-me o endereço completo. O livro será entregue pelos Correios. O tempo para entrega vai depender da distância. Obs: Fineza guardar o comprovante de depósito.

 

SMC - João, que tipo de textos gostas de escrever?

Tenente João Lúcio: Gosto de escrever textos que levem o ser humano a refletir sobre o TER e o SER. Hoje, para TER: casa bonita, carro e moto importados, dinheiro em Bancos, etc, se esquecem do SER: humano, justo, leal e, principalmente, temente a Deus. Basta observarmos que quando morremos daqui nada levamos e muito menos, CAIXÃO NÃO TEM GAVETA.

 

SMC - Qual a principal mensagem que você quer levar aos leitores através dos seus textos literários?

Tenente João Lúcio: Convido as pessoas a fazerem suas viagens interiores, observarem onde tem errado, se arrependerem e começarem a escrever um novo final para suas vidas.

 

SMC - Pensas em escrever um novo livro?

Tenente João Lúcio:  Sim, com certeza. Já estou preparando o meu próximo livro. Vai demorar um pouco pois tenho que pesquisar muito. O título será: EM BUSCA DO AMOR”. Não este amor desenfreado que leva as pessoas a praticarem os maiores absurdos. Quero falar do amor fraterno entre irmão, do amor perdão e amor que nos leva a Cristo, nosso Salvador.

 

SMC - Você é hoje Presidente da Academia Januarense de Letras – Secc ALB/MG. Quais as principais atividades desenvolvidas na Academia?

Tenente João Lúcio: Já estamos em fase de instalação. Vamos seguir o que preconiza o Estatuto da ALB/MG. Além de procurarmos atender aos mais carentes, a nossa principal atividade será divulgar a cultura regional, motivar os jovens a lerem mais, escreverem mais, levar a efeito a Gincana Cultural que colocará nossos estudantes num confronto literário de alto nível, uma escola enfrentando a outra na busca do melhor texto, da melhor poesia, assim por diante.

 

SMC: Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário no Brasil?

Tenente João Lúcio: O que vocês estão fazendo é um dos pontos positivos que cito nesta oportunidade. Que as Editoras se dediquem mais na busca de valores literários, dando oportunidade a quem realmente quer e sabe escrever. Promover mais encontros pelo Brasil a fora. Que a Bienal do Livro não seja tão somente em São Paulo. Que os custos sejam mais em conta para se divulgar um livro, etc.

 

SMC: Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Tenente João Lúcio: Nesta oportunidade quero deixar uma mensagem de fé aos nossos leitores. Que nunca desistam dos seus sonhos e, lembrando o que disse o Martin Luther King : “ Se você não pode voar, corra; se você não pode correr, ande; se você não pode andar, rasteje. O que você não pode é DESISTIR DOS SEUS SONHOS.

 

                                    Muito obrigado pela oportunidade

                         Tenente João Lúcio de Matos

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor