Juareiz Correya - por Eduardo Garcia

Juareiz Correya - por Eduardo Garcia

JUAREIZ CORREYA 

 

Nasceu em Palmares, região Mata Sul do Estado de Pernambuco, Poeta, contista e editor. Diretor editorial da Panamerica Nordestal Editora, do Recife (PE), e assessor da Companhia Editora de Pernambuco – CEPE. Foi colunista de arte do Diário do Grande ABC (Santo André, SP), de 1970 a 1972, e colunista literário da Folha de Pernambuco (Recife, PE), onde publicou a página “Letras & Leituras”, de 1990 a 1991. Assessor da FUNDARPE – Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (1987/1991), foi responsável pela coordenação geral do Encontro Cultural de Pernambuco, realizado, no ano de 1987, no Recife (PE). É autor do projeto de criação da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, de Palmares (PE), terra natal do escritor homenageado, Presidiu a instituição palmarense de 1984 a 1987 e de 1997 a 2004. Publicou 4 livros de poesia), 3 em parceria com José Terra; organizou e publicou antologias de poesia, de crônicas e entrevistas  em parceria com Jair Pereira, Raimundo Carrero, Ricardo Leitão e Vanja Carneiro Campos, A PALAVRA DE HERMILO, com Leda Alves); e tem, inéditos, prontos para publicação, 3 livros de poesias, 3 livros de contos e 3 antologias poéticas, publicou 3 e-books.

 

Publicou, entre outros, estes livros e livretos de poesia:


POETAS DOS PALMARES, organização (1973/1987/2002)
AMERICANTO AMAR AMÉRICA (1975/1982/1993)
POESIA VIVA DO RECIFE, organização (1996)
CORAÇÃO PORTÁTIL (1984/1989)
POESIA DO MESMO SANGUE,em parceria com José Terra (2007) ARRAES NA BOCA DO POVO - Cordéis & Repentes -, organização (2007).

Organizou e publicou estes outros títulos: 
PALMARES E O CORAÇÃO, de Hermilo Borba Filho, crônicas (1997) 
LOUVAÇÕES, ENCANTAMENTOS E OUTRAS CRÔNICAS, com Leda Alves e Jaci Bezerra (2000) 
ASCENSO, O NORDESTE EM CARNE E OSSO,biografia (2001) OUTROS POEMAS & INÉDITOS, de Ascenso Ferreira, antologia (2006)
A PALAVRA DE HERMILO, reportagens,com Leda Alves (2007)

Outros / Poesia: 
TODOS OS SETEMBROS 
AMAR RECIFE (20 poemas para a cidade)
A PALAVRA MAIS HUMANA 
EM NOME DA AMÉRICA, antologia (organização) 
POESIA VIVA DE SÃO PAULO, antologia (organização com Dalila Teles Veras)
POETAS DO NOVO SÉCULO, antologia (organização com José Terra)
POESIA VIVA DO RECIFE, antologia (segunda edição, aumentada)

 

Fonte: recantodasletras

 

Os “Políticos”

os “políticos” todos os dias
ensaiam as mesmas loas
e o homens cantam,
remontam os mesmos figurinos
e os homens copiam,
repetem os mesmos chavões
e os homens aplaudem,
discursam as mesmas louvações
e os homens se encantam,
mantêm as mesmas lutas
e os homens lhes seguem,
recitam as mesmas cartilhas
e os homens publicam,
usam os mesmos métodos
e os homens arrebanham-se,
postulam os mesmos credos
e os homens guerreiam,
revivem a mesma vida
e os homens matam-se.

(de “Canção Portátil”)

 

UM POEMA SOBRE A CIDADE


Um poema sobre a cidade  
é arquitetônico estatístico 
geográfico histórico urbanístico ? 
Um poema sobre a cidade  
tem gente trânsito tragédias  
ruas avenidas pontes viadutos 
atropelamentos histórias nascimentos  
naturezas vivas e mortas? 

Um poema sobre a cidade  
atravessa casas edifícios condomínios  
desorienta números e Institutos de Geografias e Estatísticas  
reinventa a  humanidade antiga e nova que nela habita  
e rejuvenesce o passado e morre o futuro e perpetua o presente  

Um poema sobre a cidade  
é o tempo e não é o tempo 
de criação e de danação 

Um poema sobre a cidade  
manda para o espaço a cidade  
e é terra batida asfalto árvores verdes e negras rio lama 
atmosfera cósmica  
ou apenas uma praça nua rua uma viela um beco 

Um poema sobre a cidade  
tem mários oswalds bandeiras ascensos drummonds hermilos cabrais 
celinas vinicius thiagos gullares amados pessoas florbelas  hortas  
adélias notaros jacis bruskys ledas vanjas márcias marias 
mariamas terras guaranis pedros floras e um poeta que escreve  
um poema sobre a cidade  

Um poema sobre a cidade  
é claro e transitável como as Matemáticas e Cibernéticas Ciências  
morre de amores e renasce amando  
ébrio de versos e de fantasias livrescas  
memorável como os endereços dos catálogos de bairros  
impublicável como os jornais e as revistas de plantão 
está acessível em todas as telas de computadores  
e chegará às mentes e aos corações por qualquer via da Internet  
Um poema sobre a cidade  
é só um poeta e a sua humanidade  

Recife, julho 2008. 
(Do livro POEMAS DO NOVO SÉCULO)

 

 

Juareiz, destaque, talento, incansável em seu trabalho de divulgação de escritores e da literatura local.

Texto Pesquisa Comentários

 

Luis Eduardo Garcia Aguiar

Escritor – Jornalista – Diretor de Comunicação da UBE

DRT 6006/PE

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor