Liberdade - por Conceição Oliveira

Liberdade - por Conceição Oliveira

Liberdade

 

Quis chamar a madrugada na noite arrefecida

a água correndo a língua

na boca escura

torcida.

 

Quis ser harpa ardendo, soltando faísca

contra o poder abusivo

inflamada inocência

tarefa perdida.

 

Todos os astros deveriam ser poemas

rosários de flautas

ecoando por debaixo das mesas

onde se escondem abutres

comendo morfemas

e gritos.

 

Valas comuns, nossas bocas,

onde repousam os restos.

 

No vocábulo roubado ao poeta

morrem pedaços de estrelas

apagadas em prisões

na insalubridade…

 

Restos de sonhos

e o poder corrosivo

fritando nossos olhos

olhos de poetas

nossa alma

tudo,

tudo!

 

E mais a liberdade.

 

 

In, A VOZ DA LIBERDADE – Coletânea de Contos, Crónicas e Poesias -  Editora Sol (Projeto Editorial Sol Além-Mar)

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor