Ligia Beltrão - Entrevistada

Ligia Beltrão - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Nasci em Tupã-SP em 12/03/1957. Filha de pais pernambucanos, viemos embora fixando residência em Garanhuns, de onde sai quando casei, aos dezessete anos. Depois, vim morar em Recife, onde estou até hoje. Escrevo desde muito cedo, com preferência para a poesia, mas gosto também de contos e crônicas. Tive poesias premiadas em alguns concursos nacionais, tendo um poema figurando na Antologia Valores Literários do Brasil de 1987. Fiz uma pausa na vida literária por imposição do marido. Hoje, viúva, mãe de um casal de filhos e avó de quatro netos, retomei minhas escritas e estou com livros prontos e produzindo outros, esperando publicá-los em breve. Estou me preparando para cursar Jornalismo ou ciências sociais. Escrevendo sempre. Terei dois poemas figurando na Coletânea Confissões, da Editora Darda do Rio de Janeiro, que sairá neste próximo mês.

“Fui convidada a ingressar como colunista do Divulga Escritor em Fevereiro de 2014. Desde então, minha vida literária tem avançado bastante com a divulgação do meu trabalho, vendo-o muito bem aceito no país e fora dele, visto o número crescente de visitas em minha página e os pedidos de amizade e de interação, incluindo, ai, escritores que têm me enviado mensagens elogiosas, nascendo assim, grandes e harmoniosas amizades.”

 

Boa Leitura!

 

 

SMC - Escritora Lígia Beltrão é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos o que a motivou a ter gosto pela escrita?

Lígia Beltrão - O prazer é todo meu por estar aqui, falando um pouquinho da minha vida. Era bastante tímida, foi quando descobri que poderia “falar” tudo o que sentia ao papel. Estava certa. Com quatorze anos já me destacava no grupo jovem do teatro da cidade, do qual fazia parte, inclusive escrevendo uma peça: A Órfã, que foi encenada com sucesso e o teatro lotado aplaudiu de pé. Na época, não dei muito valor a isso, não tinha consciência da importância das artes. Era muito boba. No colégio, já adolescente, era reconhecida por gostar de escrever e destacava-me nas redações tirando notas altas. O segredo para a facilidade com a escrita vinha da leitura constante de jornais, revistas e principalmente bons livros. Sonhava alto em ser uma grande jornalista e uma escritora reconhecida. Viajava mesmo pelo mundo das letras.

 

SMC - Que tipos de textos gostas de escrever?

Lígia Beltrão - Gosto de escrever, mas sei que preciso aprender muito para elaborar um bom romance, o que espero conseguir um dia. Escrevo porque tenho a sensação de extravasar todos os sentimentos de dentro de mim.  Gosto de contos e caminho pela crônica, com a mesma paixão dos poemas, mas como sou muito romântica a poesia me seduz completamente.  Algumas pessoas leem um texto meu em prosa e elogiam como se fosse um poema. É interessante isso.

 

SMC - Que temas você aborda em seus textos literários?

Lígia Beltrão -  O amor. Principalmente o amor, com todas as suas caras, características e dores, exaltando os sentimentos circunstanciais que imperam no dia a dia da vida. Tanto na minha, quanto na dos outros. Observando acontecimentos, passeando pelo romantismo, pela sensualidade, sexualidade, religiosidade, a morte e todas as coisas e dores “agoniosas” do ser humano. Mas gosto também de descontrair, passar alegria e esperança. Tenho leitores que dizem aprender muito com o que digo. Às vezes, servem como autoajuda.

 

SMC - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor através de seus escritos?

Lígia Beltrão - Tenho uma ânsia grande de mostrar os meus eus acumulados, que são muitos e aflorados, como também a necessidade de passar para o leitor, além da magia das palavras, uma reflexão a respeito da vida e dos sentimentos que habitam em nós, criaturas. Muitas pessoas me dizem que eu escrevo para elas. Há uma identificação grande, talvez porque eu escrevo as dores e os amores que todos sentem e não sabem como mostrar ou como falar. Na verdade, acordo o leitor para os sentimentos que vivemos no dia a dia, quase sem percebermos.  Isso é muito bom. Como se fosse um espelho: eu escrevo e o leitor se vê naquele texto. Há reflexo.

 

SMC - Pensas em publicar um livro?

Lígia Beltrão - Sim. Claro! Penso em publicar muitos livros, se Deus quiser. Tenho uns de poesias prontos para serem editados. Estou procurando uma boa editora. Estou organizando outro de crônicas e estou juntando alguns contos também. E em breve, quem sabe, surgirá um romance. Para isso, continuo aprendendo a escrever. Recebi alguns convites para publicar meus textos, há algum tempo, o que infelizmente, por conta de problemas pessoais, não foi possível. Acabei dando “um tempo” na minha relação com a escrita. Recomeço agora, com objetivos bem definidos, pois escrever é como respirar, ou seja, não posso parar, porque escrevendo, desnudo-me e  encontro-me com o mundo e comigo mesma.

 

SMC - De que forma divulgas os seus textos literários?

Lígia Beltrão - Eu nunca divulguei meus escritos, guardava só para mim. Meus papeis eram meus confidentes imaginários, que me ouviam e continuavam ali, mudos e confiáveis. Uma pessoa que muito amei, antes de morrer, pediu-me que eu escrevesse bastante e mostrasse ao mundo, pois iria fazer-me bem. Atendendo a esse pedido, comecei a postar nas redes sociais. Divulgo em páginas e grupos ligados à literatura, na internet. 

Tendo uma página no Facebook (www.facebook.com/ligiabeltrao ) comecei a publicar poesias, crônicas e micro contos, surgindo dos leitores elogios e cobranças por um livro.

Desde Fevereiro sou colunista do site Divulga Escritor (http://www.divulgaescritor.com/products/ligia-beltrao-colunista ) e através deste, meus escritos estão atravessando o Atlântico, trazendo-me amigos, escritores e poetas, além de grande visibilidade aos meus textos.

 

SMC - Conte-nos sobre sua experiência como colunista Divulga Escritor.

Lígia Beltrão - Fui convidada a ingressar como colunista do Divulga Escritor em Fevereiro de 2014. Desde então, minha vida literária tem avançado bastante com a divulgação do meu trabalho, vendo-o muito bem aceito no país e fora dele, visto o número crescente de visitas em minha página e os pedidos de amizade e de interação, incluindo, ai, escritores que têm me enviado mensagens elogiosas, nascendo assim, grandes e harmoniosas amizades. Quero agradecer e parabenizar a todos os que fazem esse site, ressaltando sua importância, para nós, que mexemos com as palavras e, especialmente, para mim. É um orgulho fazer parte deste elenco.

 

SMC - Quais os principais hobbies da escritora Lígia Beltrão?

Lígia Beltrão - Gosto de cinema, teatro, boa música, palestras, encontros com amigos para um gostoso papo e, claro, ler. Por falta de tempo, não estou lendo o tanto quanto gostaria, mas sempre tenho um bom livro à mão. E escrever, é para mim o maior de todos os hobbies, pois só me enche de prazer. Quando me sinto triste, gosto de olhar o mar e “conversar” com ele. Refaço-me.

 

SMC - Como você vê o mercado literário brasileiro?

Lígia Beltrão - Infelizmente, ainda anda devagar. Está melhorando, mas os passos são curtos. Nós damos muito valor aos escritores de outros países, quando temos espetaculares nomes, que inclusive estão se projetando lá fora. As editoras têm medo de investir nos autores pela insegurança do retorno, o que é compreensível, mas não deveria ser regra. Há muita gente boa por ai precisando de uma oportunidade. As magnificas Bienais e as feiras literárias, que temos hoje pelo país, estão levando o povo a viver e conviver mais próximo a autores e livros. Isso é bom e nos acena para um engrandecimento na arte literária, como um todo. É importante lembrar que as escolas têm o dever de estimular seus alunos a lerem. As coisas funcionam quando há interação.

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário no Brasil?

Lígia Beltrão - É extremamente necessário que se criem bibliotecas, se estimulem os jovens a lerem e a conhecerem este universo espetacular dos livros. Quem lê aprende a falar, a escrever, a ouvir, a pensar...  A universidade nos dá o diploma, mas não o conhecimento. A internet está se tornando um veículo propagador da literatura com editoras virtuais e a facilidade de livros e revistas. Os preços dos livros deveriam ser menores, visto que a grande maioria do povo sem um melhor poder aquisitivo fica fora desse universo. As editoras, por sua vez, deveriam ousar mais, dando oportunidade para os autores mostrarem suas obras. Certamente, surpreender-se-iam com o que poderiam ganhar, não só financeiramente.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora Lígia Beltrão, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Lígia Beltrão - Que leiam. Leiam cada vez mais e sempre. Valorizem o autor nacional porque é ele que conta a nossa história e a da nossa terra com as emoções de quem as vive. Invistam no conhecimento, porque esta é uma riqueza única, que ninguém a pode tomar. Quanto mais nosso povo souber, mais ricos seremos, o povo e a nação.

 

Eu não poderia terminar essa entrevista sem pedir licença a você, Shirley, para cumprimenta-la pelo excelente trabalho que vem prestando ao mundo literário. Parabéns! Quero agradecer imensamente por essa oportunidade de abrir a minha vida para os leitores, através desta magnífica revista Divulga Escritor e dizer que o site foi um divisor de águas na minha vida, transformando-a, engrandecendo-a e dando-me prestigio de Escritora e Poeta, quando eu sou só uma mulher de sentimentos exacerbados e apaixonada pela vida, que está aprendendo a escrever. Obrigada, mesmo!

 

Querida Ligia, fico sem palavras, parabéns a você por ser tão especial, o Divulga Escritor é nosso. Você é uma de nossas Estrelas. Parabéns, muito obrigada por fazer parte da nossa Família.

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor