Março - por Maria Estela Ximenes

Março - por Maria Estela Ximenes

Março

 

Ele se fecha como uma flor castigada,

Que de tantas transformações, sejam  climáticas ou de humores

Descansa aliviado,

Março, repleto  de gritos e  bandeiras

De absurdos políticos,

Março da contradição,

Do democrático e ditatorial,

Março das chuvas,  que gloriosamente vem para limpar a sujeira e florescer o ambiente,

Mas que   causa tumulto quando se depara com  a falta de  consciência alheia,

Mês que se coroa como o dia mundial da água,

E lentamente,  vai dando tchau ao verão,

Que permaneceu  31 dias  vividos,  marcados e verdadeiros

Mas o último dia de março não é uma mentira,

Deixamos pois,  a mentira para o primeiro dia de abril.

Porque de mentiras, o país  têm estoque para o mês inteiro.

Março, que se despede, com a promessa de florescer novamente.

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor