Meditando - por José Lopes da Nave

Meditando - por José Lopes da Nave
MEDITANDO
 
 
 
Que tempo é agora?
 
De quanto tempo, este tempo não para de parar?
 
Este tempo de amar!
 
E o mar espraia-se na areia,
 
O sol encobre-se no horizonte,
 
As estrelas nascem no firmamento,
 
Para se apagarem na tranquilidade do mar.
 
 
 
Corações solitários,
 
Folhas ao vento
 
Na tristeza,
 
Como amantes da solidão
 
Que baixou às almas.
 
Gotículas de orvalho remanescem
 
Na esperança do amanhecer.
 
 
 
Nas nuvens bailaremos
 
Em carruagem de fogo
 
Em passeio no paraíso
 
Algures sobre o arco-íris.
 
 
 
A vida, como inverno de folhas secas
 
Transformar-se-á em sopro de searas,
 
Ondulando com o vento.
 
 
 
A mais doce melodia
 
Quero ouvi-la na tua voz
 
Na liberdade de um beijo.
 
No raiar do sol,
 
Uma canção de amor dorme em meus lábios.
 
 
 
José Lopes da Nave
 
 
 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor