Morte do amor - por Elair Cabral

Morte do amor - por Elair Cabral

MORTE DO AMOR
 

O som da voz dos deuses não parava

 Uníssonas, vibrantes e  fortes...

Minha mente não suportava

 Então era assim a morte?

Quanto silencio... Louca canção!

E os deuses não paravam de cantar

Inerte estava meu coração

Recusava-me a acreditar

E a música continuava... Em mim calava

A escuridão em triste breu

 O som, agora gritava...

E eu ali... Por que eu?

A canoa descia, rumo ao nada

Espectro de um imenso vazio

Gemia e me sufocava

Silêncio... A morte é isso?

 Deuses... Cadê seus gritos

Esvaíram sem anúncio...

Sem veredicto

A morte é silêncio?

A canoa aportou...

Consenso!

Morte do amor...

 

Elair Cabral

16/05/14

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor