Mudar, mas mudar para melhor - por Isi Golfetto

Mudar, mas mudar para melhor - por Isi Golfetto

Meu Deus, se errarmos faz-nos querer mudar; se tivermos razão, dá-nos força para vivermos com isso. Peter Marshall

 

Mudar, mas mudar para melhor!!!

Por Isi Golfetto

 

As dificuldades devem ser usadas para crescer não para desencorajar. William Ellery Channing

O tema principal deste mês foi... Você é o autor da sua história. A proposta foi refletir sobre como podemos fazer da nossa vida uma história bem-sucedida a cada dia.

Como está a sua vida pessoal e profissional?

Se estiver bem, parabéns! Continue em frente, sempre atento às oportunidades que o levam a crescer, a se desenvolver e a amadurecer através das experiências.

Mas, se você está desanimado, amargurado, desiludido e imagina que chegou ao fundo do poço tenho uma boa notícia ! 

Ao enfrentar os obstáculos e as adversidades em seu caminho você poderá descobrir que eles não têm metade da força que pensava que eles tinham. 

Pare uns minutos e reflita sobre o que pode fazer ou como pode mudar a situação. Há sempre algo ou alguém que pode servir de inspiração para você.

 

Nosso post de hoje é uma fonte de inspiração para todos nós. Você conhece ou já ouviu falar de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas? E a poetisa Ana Carolina? Exatamente... são a mesma pessoa. Como tantas outras, a história dessa mulher do interior de Goiás, teve momentos de adversidade, mas, também de superação e força para mudar as circunstâncias. Cora Coralina mesmo dá a receita... recria tua vida, sempre, sempre. Remove as pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça. 

Cora Coralina começou a escrever aos quatorze anos. Estudou até a quarta série e trabalhou como doceira. Casou-se, teve uma vida difícil com o marido, mas nunca deixou a paixão por escrever. Quando ficou viúva, teve a incumbência de criar três filhos, precisando trabalhar para sustentá-los. Aos 50 anos deixou de atender pelo nome de batismo, assumindo o pseudônimo de Cora Coralina. Aos 75 anos teve seu primeiro livro publicado. Ficou famosa quando suas obras chegaram às mãos de Carlos Drummond de Andrade, aos quase 90 anos. Sua obra se caracteriza pela espontaneidade e pelo retrato que faz do seu povo, seus costumes e seus sentimentos. Enfim, alcançou o reconhecimento.

Segundo ela... o que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.

Certa vez um repórter perguntou a ela: o que é viver bem? Sua resposta está cheia de lições preciosas:

- Não ter medo de envelhecer. Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo para você... não pense. Nunca diga estou envelhecendo... estou ficando velha. Sei que tenho muitos anos. Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não sei se sou velha não... você acha que eu sou? Eu não digo que estou velha e nem que estou ouvindo pouco. É claro que quando preciso de ajuda, eu peço.

- Colocar em prática um aprendizado. Procuro sempre ler e estar atualizada. Isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que se lê.

- Continuar produtivo. O bom é produzir sempre e não dormir de dia.

- Não dizer coisas negativas. Ahh... não diga a si mesma que está ficando esquecida, porque assim você fica ainda mais. Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima. Eu não digo nunca que estou cansada. Nada de palavras negativas. Quanto mais você diz que está cansada e esquecida, mais você fica. Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então, silêncio !

- Exercer seus direitos. Convoco os velhos como eu ou mais velhos do que eu para exercerem seus direitos.

- Superar-se a cada dia. Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade despedaçando dentro de mim tudo o que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes. O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade.

- Procurar semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.

- Persistir até o fim. Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.

E para finalizar, um dos pensamentos mais belos, entre os belos... mesmo quando tudo parece desabar cabe a mim decidir entre rir ou chorar... ir ou ficar... desistir ou lutar... porque descobri no caminho incerto da vida que o mais importante é o decidir.

Cora Coralina, 1889-1985, poetisa brasileira.

Como está sendo escrita a sua história? Qual tem sido o final de cada capítulo a cada dia? Tem aprendido boas lições e colocado em prática?

Que essa lição de vida nos seja de inspiração para escrevermos a nossa história.

Lembre-se... a vida é como um livro que deve ser folheado página por página sem se consultar o índice.

Para complementar o nosso post um vídeo do Bate-papo com Estilo, Força para mudar, música Songs for the Peace, Richard Clayderman, com pensamentos que nos levam a boas reflexões.

Um grande abraço

Isi

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor