Mulher tão simplesmente - por Maria de Fátima Soares

Mulher tão simplesmente - por Maria de Fátima Soares

Mulher tão simplesmente

 

Como definir quem se redefine? Como igualar quem se quer, ser? Se esses padrões são também de outras como tu. Capazes. Sofredoras e emancipadas. Que morreram, se sacrificam e lutam pelos seus ideias, um lugar ao sol, o respeito do parceiro. Não ser vista como mero entretém. Como objecto de prazer. Quem sofre e cala.

Ser mulher!

Sobretudo quetenta, falha, mas insiste e ganha. Quem consegue lá chegar, com tantos sonhos cá dentro… Que nos falta para pensar que somos mais que isto? Acreditar mais em nós? Que somos, cada uma, original. Únicas. Pensa, mulher! Tu és terra, és ar, fogo, água, natureza... És mãe! Trazes no ventre o futuro, que geraste no passado e proteges no presente. Vais amá-lo para sempre, no futuro. Tu crias gerações. Educas governantes. E nada jamais será igual, desde que dás vida ao mundo. Então, porque te encolhes, se das dores do parto és capaz de passar e sair fortalecida? Mais una e imensa! És pelo homem rasgada desde o teu nascer. Pela vida que lhe dás ao nascer e a ver. Tu és mais, quando do direccionas. Orientas. Amas! Tens parte com os elementos, só pode. Porque podes ventos e marés, quando moldas tempestades. Então não te encolhas! Não te relegues para o que não és! Dá a volta de baixo para cima? Em cima, sabe estar sem te deslumbrares com o poder ou fama! Sê, capaz. Simples, límpida, sincera. Mas voraz, intrépida, autoritária e sabe dizer não... Não, por capricho mas por que sofrer, não é a tua condição. Sim lutar e vencer! Foste criada do barro, e toda a tua vida, foste o escarro dos que não te olham como gente... E tu vais calar-te, anular-te para sempre? Sê doce mas determinada, forte e capacitada, mostra de que é feita a tua garra, a tua marca. Morde e queima o coração se ele te atrasa. Repara nessa asa que trazes contigo e desfralda-as ao vento. Voa! Descreve um círculo em volta do universo. Cria prosa e rima em verso... Mas não te remetas, para um canto. Atires para o fundo! Não te esqueças do que és, não te desrespeites, nem açoites... Como se define quem se redefine a cada minuto do dia? Mulher, simplesmente. Mulher, unicamente.

 

Maria de Fátima Soares

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor