Não se podem dar asas a Sapo - por Silva Neto

Não se podem dar asas a Sapo - por Silva Neto

“Não se podem dar asas a Sapo” 

Por Silva Neto

www.silvanetoesilva.com.br

 

Anfíbio, Molusco, Crustáceo, Peixe...

Bom, isso é coisa de Biólogo.

Mas, na minha ignorância do assunto, ou melhor, face ao esquecimento

comum à idade, pois, estudei biologia há muito tempo, ao que me parece, sapo é anfíbio, e lula, molusco.

Isto no minúsculo. Pois, no maiúsculo, pasmem! Ex-Presidente do Brasil.

_ E onde fica o sapo minúsculo, John?

_ Diria, amadíssimo Mestre Biólogo, que o sapo minúsculo fica na lagoa.

_ E o Sapo maiúsculo, John?

_ O “Sapo Barbudo”? Bem...! Esse fica rondando, coaxando, resmungando em meio a um Partido Político falido e bem pago chamado PT.

_ Queria ter um filho assim! Kkkkk!

 

Não sou de criticar políticos e governos ruins, mesmo porque são todos insensíveis às alfinetadas dos eleitores insatisfeitos.

A Democracia daqui do Brasil é o governo do “Demo”. Está longe, bem distante até pela lógica do tempo que a separa de ser aquela Democracia ateniense do século V AC. Clístenis, o Pai da Democracia Ateniense, iria rir de nós brasileiros se estivesse hoje, entre nós. E o que diria Péricles da sua própria definição de Democracia, como sendo: governo do povo, pelo povo e para o povo?

Ah! Santa Democracia essa em que o povo só elege, não podendo tirar os governantes inoperantes, e ao menos se beneficiar igualitariamente desse governo!

Aqui no Brasil é assim, Democracia é para privilegiados. Não se é igual perante a Lei como está escrito na Constituição.

A Presidente faz e desfaz, manda  e desmanda e o povo só se apertando, se apertando e reclamando!

Ainda ontem meu “flanelinha” me perguntou:  Quando é que a “mulé” sai?

Dona “Jia Pimenta”?...Exclamei!... Ela infla esbugalha os olhos empina o nariz e diz, assim como aquela marchinha de Carnaval:

 “Daqui não saio, daqui ninguém me tira”; “Daqui não saio daqui ninguém me tira”; “O que é que eu vou fazer”; “O que é que eu vou fazer”; Irei à Venezuela senão podem me prender. (grifo nosso)

Culpa do povo que a elegeu. Não saber o que fazer para tirá-la do poder são outros quinhentos.

Assim como diria minha mãe:

“Não se podem dar asas a sapo”

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor