O vento Khmer - por Marcelo Gargine Mingau Ácido

O vento Khmer - por Marcelo Gargine Mingau Ácido

O vento Khmer

 

Se o vento soprar, do mato,
Nas veredas da minha face
Prostrarei o meu olfato
Para que ele repousasse.

As poáceas nos meus sentidos
E meus olhos cerrados
Ouvirão os meus gemidos
A noite e seus legados.

E se o amanhecer me disser
Sinestesicamente
Que vermelho é o Khmer
Que luta complacente.

Abraçarei céu azul
Todo o firmamento
E soprando lá do sul
Vem, de novo, outro vento.

Mingau Ácido (Marcelo Garbine) - @mingauacido - mingauacido.com.br
 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor