Onde encontrar esse sentimento tão versado - por Wilson Sylvah

Onde encontrar esse sentimento tão versado - por Wilson Sylvah

Onde encontrar esse sentimento tão versado?

 

Estaria entranhado na mais bela nota musical, mas não encontrei... Na poesia, expressada pelo mais hábil poeta ou poetisa e nada... Na composição da mais linda letra, interpretada por mais hábeis vozes Ecoadas e cantadas... No dedilhar do perfeito instrumento... Emocionado, porém não residia... Fugi para o mais alto cume desse mundo, o monte Evereste, cansado e quase sem oxigênio, não apareceu... Caminhei pelo mais ardente deserto e quem sabe, sentisse meu enorme sofrimento e viesse ao meu encontro... Sedento, desisti... Observado apenas pelo venenoso escorpião...

Como peregrino sem destino, viajei para cada cantinho desse mundo... Vasculhando... Observando cada detalhe, cada olhar, cada moribundo, e não estava lá...

Caminhando pelas estradas calmamente, ouvi os cantos dos pássaros, o relinchar do asno, o namoro dos macacos, as flores dos campos verdejantes, sendo polarizadas por lindíssimas abelhas, a relva fresca, as formigas que trabalhavam incontinentes, um suave perfume da alvorada, o calor ardente dos primeiros raios solar, sentia na pele, a penumbra, as estrelas cintilantes, a lua nova, a chuva fina, a neblina na serra, as ovelhas correndo como crianças peraltas, os olhares penetrantes das corujas, um ruído temeroso da serpente, o calor ardente, a noite longa, que de gélida, atingia meus ossos, a queda d’água que espumava como sabão, o sabiá que faminto, perfurava o mamão, um barco que descia o velho Chico, uma chalana sem pretensão, o trovão que quebrava o silêncio na madrugada fria, os enamorados que se beijavam, com a lua de testemunha, a criança inocente que brincava com a áspide, o idoso que sentado na praça, mirava em lampejos, os seus feitos da juventude viril, o padeiro que corria para sua lida da madrugada, antes do sol raiar, o atleta correndo para não se sabe onde, o pescador solitário, esperançoso por sua sonhada presa, um carro veloz que passa despercebido, uma linda mãe, que embalava suave, o sono de seu bebezinho perfeito, uma senhora idosa perfumada, que caminha a passos lentos para a igreja, na areia fria pela manhã, observo as ondas bravas que se arrebentavam na praia, o vendedor de jornais gritando por uns trocados, anunciava as mais novas notícias, e deu tempo para correr dos búfalos na ilha de Marajó... Esconder-me do poderoso raio que ligava o céu e a terra, contemplar um agricultor lançando suas sementes cheias de esperanças ao solo preparado, o caçador que busca sua presa arisca, e, ainda assim não encontrei o...

Cansado, desesperançado, quando já desistia de minha incansável e insólita busca, encontro um sábio de barbas e cabelos longos, portando um cajado em marfim, que como eu, peregrinava pelas estradas da vida. Com gestos sutis, olhar sereno, para na minha frente, me convidando gentilmente a sentar ao seu lado, frente a um lindo regaço... Em silencio, sem pressa, olha bem profundamente em meus olhos e faz uma única pergunta...

- Meu querido peregrino... o que procuras por tanto tempo?

Olhando seus olhos curiosos e sentindo sua grande energia e sabedoria, respondi.

- Estou à procura do tão falado sentimento... O Amor, você pode me ajudar a encontra-lo? Não resisti.

- Meu jovem, você procurou com certeza em todos os lugares que imaginara, certamente, ele poderia ali residir, entretanto, esqueceu-se de procurar no único lugar onde ele verdadeiramente deve residir.

– E onde esse nobre sentimento verdadeiramente reside? Insisti...

- Apenas no coração daqueles que creem que realmente ele existe, pois, para encontra-lo, é necessário jamais impor lhe condições. Ele é incondicional. Reside onde o egocentrismo, a ira, a inveja, a falta de perdão, a luxuria, a violência, jamais poderiam se juntar a ele. Nessa morada, ele vive com a humildade, a misericórdia, com a paciência, e, com a sabedoria. Pois é nesse ambiente que ele cria raízes, floresce, e produz frutos maravilhosos para alimentar e cuidar da alma da gente, imortal, assim quanto ele é. Tocando com sua suave e calejada mão em meu ombro.

Abatendo em meu coração um sentimento de alegria, sem entender oque estava acontecendo, comecei a chorar copiosamente, pois, enfim, verdadeiramente, alcançara o meu objetivo.

 Na intenção de abraçar aquele sábio em agradecimento e me despedir, ao levantar minha cabeça, já não o encontrei mais, havia desaparecido, como mágica, assim quanto aparecera. Fui embora feliz, encerrando minha longa jornada, pois, somente um coração provido de tamanho entendimento, poderia saber onde o amor verdadeiramente reside. Em seu coração!

Autoria: Wilson Rodrigues da Silva

Autor de: 51 degraus para o sucesso em vendas, O Vendedor de sonhos, Conexão 11.11 – Revelando o DNA de Deus.

 

http://www.wilsonsylvah.com.br

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor