Otilia Martel - Entrevistada

Otilia Martel - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Os dados biográficos de Otília Martel são, enquanto escrevinhadora, a emoção que gosta de transmitir através das palavras que oferece a ler. 

É esse o seu verdadeiro cartão de visita.

Semestralmente, desde 2004 tem publicado na Revista Singularidades, Modos de Ser Inconformista.

Em 2008 edita o seu 1.º livro de poemas, Menina Marota Um Desnudar de Alma.
Ainda, em 2012, edita o segundo livro de poemas e pequenas histórias Olhos de Vida em versão digital para iBooks.

Foi representante portuguesa no Jornal Digital Mhário Lincoln do Brasil, entre muitos.
O seu nome consta em vários sites portugueses e brasileiros bem como em várias colectâneas integradas na internet.

Patrocinou vários Concursos de Poesia que deram a conhecer novos poetas entre Portugal e Brasil.

É detentora de 7 blogues maioritariamente dedicados à divulgação de poetas e poesia, entre eles Menina Marota. 

 

Boa Leitura!

 

SMC - Escritora, Otília Martel, é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor. Parabéns pelo lançamento de seu livro “Olhos de Vida”.  O lançamento de um livro costuma mudar a rotina de um escritor, conte-nos sua experiência de como a escrita vem moldando o seu dia-a-dia?

Otília Martel  – Em primeiro lugar quero agradecer a oportunidade que me é dada de participar no projecto Divulga Escritor. São raras as publicações (pelo menos em Portugal) que ousam divulgar autores anónimos e, muito menos, os que escrevem poesia.

Por isso, os meus parabéns por este Projecto.

Escrever para mim é, desde muito jovem, uma libertação. Uma forma de, através das palavras, olhar-me e olhar o mundo que me rodeia.

A doença de um familiar muito próximo, de quem cuidei nos últimos catorze anos, moldou o meu dia a dia e procurei na escrita um refúgio de coragem e força para a minha própria sobrevivência mental. A escrita, nomeadamente a poesia, foram o balão de oxigénio da minha existência.  

 

SMC - Que temas você aborda nesta obra literária?

Otília Martel  – Temas sociais, da actualidade. Um olhar pelo mundo. A simplicidade. A família. O ser humano. E o amor em todas as suas vertentes.

 

SMC - Como foi a escolha do título para o livro “Olhos de Vida”?

Otília Martel  – Surgiu naturalmente. Pretendia um título que englobasse a visão do mundo que me rodeia, que transparecesse, num olhar, toda a argúcia que encontramos no universo interpessoal. Escrever é uma aventura que por vezes dói e abrange sentimentos transponíveis de factos e ideias.

"...
Esta noite
voltei a ser a rapariga
que foge dos sonhos,
olhando os olhos da vida,
mas que apesar de tudo
por ela quer ser seduzida
e deixar-se embalar."
in, Olhos de Vida

 

SMC -  O livro é composto por poemas ilustrados, pela ilustradora, Catarina Lourenço, temos uma ilustração para cada poema? Conte-nos um pouco sobre esta experiência.

Otília Martel  – Bem… começo por explicar que “Olhos de Vida” principiou por ser um desafio que me foi proposto pelo realizador André Gaspar que queria produzir um livro digital para iPad, que incluía som, vídeo, fotografias e… ilustrações. Foi através deste desafio que conheci a Catarina Lourenço. Após ter lido os poemas que disponibilizei para aquele desafio, a Catarina presenteou-me com ilustrações que me apaixonaram ao primeiro olhar. Nem todos os poemas foram ilustrados. Fica-se com o desejo de mais ilustrações, de aliar as palavras ao “movimento” que as ilustrações nos oferecem. Deixei ao critério da ilustradora o sentir a poesia e transmiti-la pelo risco e colorido das suas imagens.

Na actual versão em papel de “Olhos de Vida”, editada pela Modocromia, só a capa é que é a cores. As ilustrações interiores não são. Na versão digital as ilustrações são a cores. A quase candura e leveza que cada uma encerra, traduzem a sensibilidade criativa da Catarina Lourenço.

 

SMC - Podes nos dar um exemplo?

 Otília Martel  – É difícil dar um exemplo porque a significância de cada ilustração no que concerne ao poema retratado é de uma absoluta subtileza. Assim, de repente, lembro a ilustração do poema “Entre a lama e o amor”: a leitura da ilustração casa na perfeição com a leitura do poema.

 

SMC - Nossos leitores estão convidados para o evento de lançamento? Conte-nos onde vai ser?

Otília Martel  – Com certeza.  Todos os que possam deslocar-se  à margem esquerda do rio Douro, junto ao Cais de Vila Nova de Gaia,  local do evento. Será um prazer recebê-los.

O lançamento de “Olhos de Vida” ocorrerá num  monumento de grande valor patrimonial e arquitectónico, o Mosteiro Corpus Christi.

A sua edificação remonta a meados do século XIV; destaca-se, para visitarem, a Capela, o Coro-Alto e o Cadeiral, bem como a Arca Tumular de Álvaro de Cernache, alferes da bandeira da Ala dos Namorados na Batalha de Aljubarrota.

 

SMC -  Escritora Otília, onde podemos comprar o seu livro?

Otília Martel  – O livro poderá ser adquirido através do site da editora http://editoramodocromia.blogspot.pt/, pelo email da editora modocromia.editora@gmail.com ou ainda pedidos à autora através do email OMartel@sapo.pt

E ainda nas Livraria Barata, Bertrand, Porto Editora, Livraria Dargil, distribuído por Crivo das Letras.  

 

 SMC - Semestralmente, você escreve para a Revista Singularidades, que temas você aborda em sua coluna?

Otília Martel  – Maioritariamente, poesia. A Revista Singularidades é editada em papel há vários anos e aborda vários temas: desde história social, ecologia e até a temas tão controversos como a violência na sua generalidade. É vendida em cidades como Lisboa, Porto, Faro, Paris, Bruxelas, etc.

 

SMC- Como você se vê no mercado literário em Portugal?

Otília Martel  – Uma gota no oceano de um mercado de difícil acesso. 

A poesia apesar de ser uma vertente literária muito citada (até por políticos), a sua divulgação está circunscrita a autores já consagrados e com facilidades de acesso às redes de comunicação social e jornalística.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora Otília Martel, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Otília Martel - De Esperança, o título do poema que vos deixo e que consta do meu primeiro livro de poesia “Menina Marota, Um Desnudar de Alma”

 

Desenha em ti
cores vivas
de felicidade
mesmo que adiada
mesmo que não consentida
não deixes que o negro
tome conta de ti.

Exala o perfume
das flores
o aroma dos frutos
e pinta a Vida
de mil cores
mil pensamentos
felizes
audazes
coloridos.

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor