Palavra Esquecida - por Antonio Carlos Gomes

Palavra Esquecida - por Antonio Carlos Gomes

PALAVRA ESQUECIDA

 

Juventude, abarcando o mundo.

Instável. As ilusões vividas

Noites boemias que se faziam tudo

Dias longos. Ressacas doloridas.

 

Como poeta, um Eu que cochichava

Ditava os versos. O amor escrevia

E quando errado me abandonava

Era cruel, e com isto me redimia.

 

Tempo passou. As coisas assentaram

Os porres foram trocados por dinheiro

De sobra e de falta, que financiaram.

Na realidade. Falso companheiro.

 

Casa e família, outra realidade

Trabalho dia e noite sem parar

Ressaca por responsabilidade

Alternavam o que fiz, meu pensar.

 

Falta sussurrada me seguia

Por mais que quisesse não lembrava

Gritava pro meu Eu. Respondia

Mas não o ouvia. O dia a apagava.

 

O tempo passa frio a revelia

Do que pode um homem programar

Não posso reclamar.  Sim, valia

Pois fiz o mundo me respeitar.

 

Hoje, já não tão jovem pensava

Que, não mais correndo posso andar

E os sonhos loucos que acalentava

Os razoáveis. Consegui realizar.

 

Mas o que ainda me amofinava

O som que oculto a me atormentar

Meu Eu falava, mas não o escutava

Criando esta angustia de algo faltar.

 

Noite solitária penso a vida,

Objetivo que pude esquecer?

Meu Eu poeta, disse: em voz condoída!

-Foi quase tudo, faltou viver.

 

09/02/2012

tony-poeta pensamentos

 

Página de nosso colunista Antônio Carlos Gomes

http://www.divulgaescritor.com/products/antonio-carlos-gomes-colunista/

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor