Parada do combustivel - por Antonio Montes

Parada do combustivel - por Antonio Montes

PARADA DO COMBUSTÍVEL

O meu avião voa
Sempre com atenção
Usando óleo diesel 
Levanta todo tremendo
Fazendo um barulhão.

Voar... Sim! É preciso
Para os estados unidos
Mas o tal do óleo diesel
Tornou agora um perigo
São roubados os dividendo
Por um bando de bandido.

Bandidos todos do ninho
Que roubam sem ser detidos
Pertencem à falta de vergonha
Desse bando de partidos.

O óleo diesel acabou
Nos postos de combustível
Magoou toda paixão
O amor não é mais incrível
Tomou conta o desespero
Roubo por esse pais inteiro
Por um comando fuleiro
De bandidos indestrutíveis.

Antonio Montes 27/02/15

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor