Passagem comprada - por Elair Cabral

Passagem comprada - por Elair Cabral

PASSAGEM COMPRADA

 

Willian era americano, alto de pele branca, olhos azuis e cabelos louros. Vestia-se bem e apreciava as coisas boas da vida! Carinhoso ao extremo sabia como ninguém, como agradar uma mulher! De boa condição financeira, gostava de conhecer pontos turísticos, cidades, enfim, belezas oferecidas aos olhos de um bom observador. Fora apresentado à Ana por um casal de amigos. Ela, brasileira, pele morena, olhos verdes como o mar, cabelos levemente encaracolados, negros como as noites despidas de luar e longos até a cintura! Ana gostava de vestir-se de maneira leve como o canto dos anjos, usava nos pés sandálias confortáveis combinando com o figurino sensual e ao mesmo tempo angelical! No momento em que ficaram frente a frente, os olhares pousaram em retinas de encanto e ficaram ali, petrificados, extasiados, perdidos em ondas de algo não explicável ao entendimento de deuses mortais.  Foram sensações tão intensas que somente o som das flautas dos serafins foram ouvidas, por longos segundos. Um acordar para o real o fez convidá-la para um passeio. Ela, meiga, professora, vivendo uma fria solidão, aceitou. Breves tic-tacs dos ponteiros do tempo marcaram a caminhada em um lindo parque, onde se perdiam em olhos nos olhos e a verdadeira reação, naquele momento, versou-se em enlevo! Conversavam tão felizes como se sempre houvessem estado um ao lado do outro, de mãos dadas a caminhar pelas linhas do existir soltos ao vento como folhas de outono. Despediram-se com um beijo suave cheio de promessas de se tornar forte, quente e fascinante. Ele viajou de volta à sua casa... Já no caminho ligara para Ana contando os acontecimentos da viagem! Foram inúmeras ligações até chegar a casa, como se uma necessidade de ouvir a voz dos encantos do amor próximo, não pudesse esperar. A comunicação seguiu durante um mês. Todas as manhãs ele a acordava com o toque do telefone que era imediatamente atendido e do outro lado o que se ouvia fazia com que o sol, mesmo em dias chuvosos adentrasse o quarto e se envolvesse em lençóis de carinho!  Foi aí que ele a chamou para irem passar alguns dias na praia: - “Aguardo com ansiedade meu amor, afinal, nem sei como suportarei esperar”. Essa foi a declaração de amor feita por Willian à Ana, pelo telefone, ao comunicar que a passagem de avião rumo à felicidade estava comprada... Bastava um querer, um despertar para o espetacular para que um grande amor desse os primeiros passos rumo a concretização.  Ana, ansiosa aceitou. Chegou o dia... Dirigiu-se ao Aeroporto, tomou o avião e nem sentia o passar dos minutos, das horas... Pensamentos inebriantes povoavam sua mente!  A flutuar pelo universo intrínseco ouvia seu Apolo murmurando palavras de carinho ao seu ouvido e levando-a às mais incríveis sensações de ternura e enlevo! Assim, o céu se lhe apresentava como o paraíso em flocos de brancas nuvens! Enfim chegou. Ele a esperava com um enorme e quente sorriso... Tomou-a nos braços e o beijo que trocaram firmou a sensação de que foram feitos para se amarem! O mundo parou por alguns segundos em sons e ritmos de Danúbio...  A Viagem até a praia seguia inundada de alegria, de conversas interessantes, a costurar imagens de pura felicidade. A chegada naquela ilha foi algo espetacular, inesquecível, divino! Um passeio pelas areias da praia a sentir o vento e o cheiro de maresia, tudo temperado e colorido com um beijo a cada poucos minutos... Depois o hotel, os jantares, os passeios de barco... Um amor que cresceu em pouco tempo, amadureceu e tornou-se forte, esplêndido e sincero. As viagens tornaram-se frequentes... Ele buscava-a sempre sem má vontade de percorrer milhas de distância compensados por dias de imensa felicidade. Os dois pareciam um, e não conseguiam mais aceitar a distância... O frio da ausência que fere a alma e o corpo em noites de saudades. Então, foi com a garganta embargada pela emoção no bailar de magia que resolveram ficar juntos para sempre...  Dias depois,  dirigiu-se ao Aeroporto com todas as certezas para o amor... Foi lá, que seu coração deixou de amar... Os ponteiros do tempo pararam para ela e para o tudo!  Ele, desde então, na hora marcada para a chegada de seu amor, vai ao Aeroporto e estende o olhar para o nada...

Elair Cabral

19/06/14

 

Página de nossa colunista Elair Cabral

http://www.divulgaescritor.com/products/elair-cabral-colunista/

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor