Perde-se o que nunca se teve - por Isi Golfetto

Perde-se o que nunca se teve - por Isi Golfetto

Se o seu navio não chega, nade até ele. Jonathan Winters

 

Perde-se o que nunca se teve!!!

Por Isi Golfetto

 

 

Com um pequeno leme se dirige um grande navio... assim como nossas escolhas e decisões dirigem a nossa vida.

Como você tem se saído como comandante da sua nau? Você está no controle das decisões ou apenas contornando situações? Alguma vez ficou na dúvida entre o ir e o ficar e se arrependeu da decisão?

Ao longo de toda a nossa vida precisamos fazer muitas escolhas, tomar várias decisões. Para obtermos sucesso profissional e satisfação pessoal dependemos da habilidade de fazermos escolhas e decisões adequadas.

Com certeza a minha vida é o reflexo das minhas escolhas e o resultado das minhas decisões. Tenho que admitir que não acerto o tempo todo nem erro porque quero. Contudo, a decisão de aceitar o desafio de investir em uma oportunidade ou pagar o preço das consequências de uma decisão não acertada definitivamente está em nossas mãos.

Apesar de não termos uma bola de cristal para “consultarmos” o futuro, podemos minimizar os riscos de uma decisão equivocada evitando a precipitação de uma resposta fácil ou ingênua. Por isso, uma decisão exige um compromisso efetivo com a escolha feita e suas consequências.

Saber tomar decisões é uma arte a ser aprendida. Eis algumas dicas que podem ajudar nesse processo...

- Investir no autoconhecimento. Analise a sua experiência anterior. Saiba que onde está hoje se deve as suas escolhas anteriores. Analise o motivo que o levou a optar por este caminho específico. O autoconhecimento é importante porque temos a tendência a decidirmos sempre da mesma forma.

- Desenvolver a capacidade de percepção. Saiba o que está ocorrendo ao seu redor, para onde está indo ou está sendo levado. Não é fácil enxergar uma saída quando se está no meio da tempestade, mas é aí onde está a diferença entre o bom e o mau navegador. Aquele que tem controle emocional consegue avistar o farol e terá a calma suficiente para vislumbrar a rota a seguir.

- Analisar o problema. O que precisa ser decidido? Estude a questão. Escreva suas considerações. Entenda tudo o que diz respeito a ela para saber o que fazer.

- Não agir por impulso. Por mais simples que seja a decisão é melhor pensar muito bem antes de tomá-la.

- Escutar opiniões de pessoas com experiência. Depois de refletir exaustivamente, procure obter a perspectiva de outras pessoas que entendam do assunto, que já passaram pela mesma experiência. Em geral, os que estão de fora veem sempre melhor o problema do que quem está dentro.

- Seguir sua intuição. Deixe sua experiência e intuição falarem por si. A soma destas duas forças fará com que a sua decisão seja adequada. Acredite em você e em sua capacidade de tomar decisões !

Lembre-se... a vida é controlada por decisões e as boas decisões são construídas a partir de bons objetivos. Sempre há tempo para novas escolhas, mesmo que nem sempre seja possível apagar as marcas de uma escolha pouco sábia.

Ensinamos com nossas escolhas, aprendemos com nossas escolhas ou sofremos com elas. As escolhas são diárias, bem como as oportunidades para mudarmos o nosso rumo.

Conta-se que um rei ficou muito famoso por não matar os prisioneiros que fazia nas batalhas. Ele os levava para o seu castelo e os colocava em uma sala onde, de um lado havia um grupo de arqueiros e de outro uma enorme porta de ferro com caveiras cobertas com muito sangue. Dizia, então, aos prisioneiros:

- Agora vocês têm que escolher... ou serão flechados pelos meus arqueiros ou entrarão por aquela porta e ficarão trancados lá.

Invariavelmente, todos decidiam morrer pelas flechas a ter que enfrentar o desconhecido por trás daquela imensa e assustadora porta.

Um dia um soldado perguntou ao rei:

- O que há por trás desta tão assustadora porta?

- Abra e veja você mesmo, disse o rei.

O soldado abriu lentamente a porta e à medida que o fazia, raios de sol iam entrando e clareando o ambiente. Quando ela estava totalmente aberta notou que a porta levava à liberdade, a um caminho para fora do castelo. Espantado o soldado ouviu o rei dizer:

- Dou a todos os prisioneiros a possibilidade de escolha, mas todos preferem morrer ao invés de arriscarem abrir a porta.

Quantas vezes o medo de abrir novas portas faz com que a gente perca chances incríveis que podemos nunca mais ter...

Segundo Augusto Cury... nossos maiores problemas não estão nos obstáculos que enfrentamos... mas na escolha direção errada.

Que tenhamos coragem de tomar decisões e abrir as portas em nossa vida!  Boas decisões a todos nós!!!

 

Um grande abraço

Isi

 

 
 
 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor