Regina Alonso

Regina Alonso

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Regina Alonso é Pedagoga e escritora, nasceu em Santos-SP, em 18 de dezembro de 1942. Autora de vários  livros de prosa e poesia. Escreveu com o diretor Renato Di Renzo, o texto dramatúrgico “Refavela– refazendo o sentido” e "Orfeu das Palafitas"(parceria Ong TAMTAM e Instituto ARTE NO DIQUE).Tem publicações em jornais, fanzines, antologias e revistas literárias: A TRIBUNA Santos, NippoBrasil, Caderno ZASHI SP, Gozo Celestial - Santos, Poetizando-Santos, Poetas Caiçaras BS/SP e ÒMNIRA(BA). Integrante do Grêmio de Haicai Caminho das Águas e do Grupo Poetas Vivos. Coordena o Departamento Cultural da AMBEP Associação dos Mantenedores e Beneficiários da Petros, Grupo “Café com Letras”.Coordena OUTRAS PALAVRAS, projeto literário da ONG TAMTAM.

“Ao comprar um livro não esmoreçam diante do preço,  afinal, ele pode ser retirado em uma biblioteca ou emprestado de um amigo. Às vezes, o livro é mais barato que uma tarde no shopping...”

Boa Leitura!

SMC - Prezada escritora Regina Alonso, para nós é um prazer contar com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos em que momento decidiu publicar seu primeiro livro? O que a motivou a publicação?

Regina Alonso - Decidi publicar o primeiro livro, após escrever muitos poemas e acreditar que tinham alguma qualidade para passar ao leitor, porque receberam prêmios em concursos de poesia, locais e nacionais. E surgiu "Ofício", poemas que falam sobre o fazer poético dentro do cotidiano viver. Ainda tinha medo de que alguns textos não fossem poesia, mas a cronista e poeta Madô Martins, no prefácio, tece comparações com Adélia Prado, Cora Coralina e outras escritoras que trabalham com poemas narrativos e/ou prosa poética. Encorajei-me e a Litteris Editora/RJ editou.

 

SMC - Hoje você tem vários livros publicados em Haicai, conte-nos um pouco sobre seu livro “Santos- Natureza e Arquitetura em fotopoemas”.

Regina Alonso - Este livro daria uma "novela"... Lendo e pesquisando sobre o haicai, entendi a importância do Porto de Santos na história desse poema de origem japonesa: O haiku, na sua forma original, é introduzido no Brasil pelos imigrantes japonenes, que chegam em 1908, ao Porto de Santos, pelo histórico Kasato Maru. Quando o navio adentra a barra de Santos, Shuhei Uetsuka (Hyôkotsu), poeta de haiku e encarregado de conduzir os imigrantes a bordo, ao ver a Serra do Mar e a cascata com pouca água (o que acontece no inverno), compõe o primeiro haicai escrito em águas brasileiras:

*karetaki o miagete tsukinu imensen  (Hyôkotsu)

A nau imigrante chegando:

Vê-se lá no alto

a cascata seca.                                      Shuhei Uetsuka    (Tradução de H. Masuda Goga)

Considerando a estreita relação do ato fotográfico e a arte de compor haicais — pois as fotos são como haicais, surgem na maioria das vezes de fora para dentro, de um insight, satori (iluminação), estado ideal para compor haicais, ou como dizem os mestres, deixá-los se fazerem — fiz o projeto SANTOS - NATUREZA E ARQUITETURA EM FOTOPOEMAS. Em síntese, fotografar a cidade de Santos, em dois capítulos: um referente ao mar e outro referente à arquitetura, estabelecendo um diálogo poético com as imagens através do haicai. As fotografias foram tiradas por Sérgio Furtado e Tadeu Nascimento, premiados e renomados nessa arte; a Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS) cedeu fotos de Santos antiga. A edição era cara, eu não poderia arcar com esse custo; tentei parcerias, pois todos se encantavam, mas nada se concretizava. Então o projeto "foi para a gaveta", onde permaneceu por quase 5 anos e concretizou-se com o PROAC- Prefeitura Municipal de Santos - SECULT  2010, quando ficou entre os 30 selecionados. E o livro repercutiu muito! Durante o lançamento no Museu do Café, no Centro Histórico de Santos, a fila enorme de leitores estendeu-se pelas calçadas... Lançado também em escolas municipais (Educação de Adultos - Zona Noroeste), Morro da Nova Cintra (durante o Leia Santos, junto à Lagoa da Saudade) e oficinas de haicai na Casa da Frontaria Azulejada, o livro teve distribuição gratuita e venda, e  foi para o Japão, França, Irlanda, Alemanha, Portugal, Espanha... Já se encontra na 2ª impressão e continua muito procurado; sempre encanta santistas e turistas, pois é um relato da nossa história em fotopoemas.

 

SMC - Escritora Regina, qual o objetivo do projeto “Outras Palavras” coordenado por você em parceria com a ONG TAMTAM? Quem pode participar?

Regina Alonso - O objetivo é desenvolver com todos que ali chegam, o gosto e o hábito de leitura, de forma prazerosa e com base em pesquisas, discussão de textos selecionados de livros (da nossa biblioteca e de outras procedências), desmistificando a velha afirmação de que "literatura é para poucos"... Aliar à leitura propriamente dita, a recriação e criação de textos, estimulando a ilustração e diferentes formas de expressão, a interpretação do que foi lido, em diversas dinâmicas: dramatização, leitura oral individual e coletiva; leitura com imagens e leitura da imagem, do espaço, do som, do vazio; interpretar com o corpo; buscar ainda escrever na forma de ação (dramaturgia); interpretar sem falar, valendo-se do gestual; criar textos coletivos...

Qualquer pessoa (de preferência, alfabetizada) pode participar.

 

SMC - Hoje, você realiza oficinas de literatura – poesia em Haicai, onde e como são realizadas as oficinas? Quem pode participar? A oficina pode ser realizada em uma outra cidade? Como as pessoas que desejam participar devem fazer para entrar em contato com você e ter mais informações?

Regina Alonso - Faço oficinas literárias (haicai e outros gêneros literários) no Espaço sócio cultural e educativo ROLIDEI, no Café com Letras- AMBEP (outro projeto que coordeno), no CAMPS, na ONG Heitor Ribas-São Vicente, em escolas municipais, estaduais e particulares e em qualquer espaço para o qual seja convidada.

Preparo as oficinas conforme o perfil do público, usando sempre a leitura em livros, power-point, provocando a escrita de textos curtos e a troca entre todos, estimulando a publicação de antologias onde cada um vê o produto particular e o geral, vendo-se a si mesmo, aumentando sua auto-estima e o desejo de continuar a ler, a crescer, a conhecer-se, tornar-se cidadão deste mundo num eterno processo de formação cultural e ética. No Outras Palavras e no Café com Letras já vamos para a 4ª publicação de livros que contemplam as produções do grupo - dia de festa, com lançamento, autógrafos e apresentação artística dos grupos.

Podem participar todos que quiserem... A entrada é franca. É só chegar ao local,no dia e hora:

Rolidei- Canal 1- 3º Piso do Teatro Municipal de Santos (Leitura Dirigida: toda segunda feira, 16 às 18h; e na penúltima terça do mês, das 19h às 21h, oficinas literárias com escritores convidados)

AMBEP- Ana Costa, 259, conj 53 ( Café com Letras   primeira e terceira quinta-feira do mês, das 14h30 às 17h)

As oficinas podem ser realizadas em outras cidades, desde que agendadas com antecedência.

Contatos para informações e ou agendamentos -Tel (13) 3261-4481 ou orgone2011@gmail.com

 

SMC - Qual o público que você pretende atingir com o seu trabalho? Que mensagem você quer transmitir para as pessoas?

Regina Alonso - Quero atingir todos: crianças e jovens, porque são os continuadores... Adultos, velhos, porque nunca estamos prontos... A sociedade, a cultura, a história estão  sempre em mudança e precisamos ser pertencentes de fato a este mundo contemporâneo, esta aldeia global que não para, não para, como dizia o Cazuza.

Minha mensagem - é no coletivo que nos vemos como pessoa única, que nos descobrimos  os mesmos e diversos, que nos tornamos cúmplices dos outros e de nós mesmos, complacentes com as falhas (motivos para nos revermos a todo instante), fortes incrivelmente fortes, porque descobrimos que não estamos sós: nos tornamos humanos sensíveis esperançosos e alegres por estarmos participando do instante... ainda, aqui e agora!

 

SMC - Escritora Regina Alonso, você hoje tem vários livros publicados, conte-nos qual o livro que demorou mais tempo para ser escrito e publicado?

Regina Alonso - "Na ponta do laço", contos, teve um longo processo - quase 4 anos de gestação. A poesia foi o gênero em que me iniciei. Uma escritora e amiga do PROLER dizia que eu deveria experimentar a prosa. Comecei e todos os contos que enviei a concurso foram premiados, geralmente em 1º lugar; quando conquistei o Mapa Cultural Paulista - Contos 2007/ 2008, ganhei confiança e coragem.  O conto premiado deu nome ao livro. Escrevia num frenesi, cheia de imaginação e entusiasmo, mas quantas vezes rasguei, desprezei o texto ao perceber que não estava bom, verossímil... e recomeçava. Tudo pronto, aprovado pela Editora Leopoldianum- UNISANTOS, onde a revisão e edição totalizou uns 2 anos...

 

SMC - Que temas você aborda em seu livro “Na Ponta do Laço”?

Regina Alonso - O tema central é o homem. O livro divide-se em 5 capitulos: I-Da Pureza - o homem e sua ingenuidade ao vir ao mundo; II-De Amores e Desamores - o amor é um acontecimento vital, alegria de ser, mas traz ao homem, a desilusão, o outro lado da moeda; III - Do inexorável - a vida é e nos pega no cotidiano viver; o homem entende que não tem controle sobre tudo (ou quase nada); IV- Das travessias - mesmo assim, temos que cumprir nosso destino, ou melhor, viver; fazemos escolhas (e às vezes, nem tanto), percorremos caminhos, fazemos travessias, como o Riobaldo do nosso Rosa; V- Dos sonhos - e percebemos que viver só é possível através do sonho, da imaginação, da esperança; o homem inventa (sonha) para poder (sobre?)viver. Cada capítulo abre com um poema cujos versos são um preâmbulo para os contos.

Gostaria de citar também "Circularidade", poemas, que consumiram quase 3 anos, devido à exigência que me fiz de buscar uma linguagem precisa, enxuta e trabalhar com o vazio, além de abrir aos leitores, "os bastidores do poema", ao final.

 

SMC - Qual o livro que demorou menos tempo para ser escrito e publicado? O que a motivou a escrever de forma mais intensa que os demais livros escritos? Que temas você aborda neste livro?

Regina Alonso - "De papoulas e sóis vermelhos" - em menos de um ano escrito e publicado. Foi um sentimento avassalador, de poemas que sangravam paixão no sentido da própria carne e também no sentido alegórico.

A criação, o nascedouro do poema; a dor que as palavras nos causam enquanto não surgem e os cuidados do poeta para encontrá-las; a ancestralidade, o mistério, a desmistificação; o mau-agouro, os milagres, e a voz da natureza; a paixão e as cores; o desejo e as garras; o animal que nos habita; a beleza como imperativo do existir; a cidade-movimento mesmo emparedada, cidade sonhada... os contrários: contrapor-se para existir...

 

SMC - Que dificuldades você encontra para a publicação de livros?  O que você acredita que deve ser feito para amenizar estas dificuldades?

Regina Alonso - As principais dificuldades para a publicação do livro referem-se ao alto custo de edição e ao fato de a maioria das editoras não fazerem a distribuição junto às livrarias (da cidade do autor, do estado ou do país).

As editoras deveriam baixar o custo, facilitar o pagamento, dar mais apoio aos autores, interferindo junto aos livreiros para que aceitem seus livros com a nota fiscal referente à edição/compra total, quando estes estão todos entregues à responsabilidade do autor, pois em geral, exigem a emissão de outra com dados apenas dos livros sob consignação, obrigando o autor a novos e desgastantes contatos com as editoras. É claro que se a editora fizesse a distribuição, pelo menos durante 1 ou 2 anos, o problema seria resolvido ou minimizado

Se o governo intensificar os Projetos de Apoio Cultural PROAC, pelos    municípios e estados, tanto escritores como editoras serão beneficiados.

 

SMC - Escritora Regina onde podemos comprar os seus livros?

Regina Alonso - Meus livros encontram-se

Em Santos, nas Livrarias:

Realejo (Gonzaga, Rua Marechal Deodoro)

Porto das Letras (canal 1, quase esquina da praia);

Todos os livros editados podem ser adquiridos diretamente comigo, através do tel (13) 3261-4481 ou por email orgone2011@gmail.com

 

SMC - Quais seus próximos projetos literários?

Regina Alonso - HAICAI NO BENTÔ, com lançamento previsto para a segunda quinzena de outubro de 2013. No livro, o tema (kigo) do poema é o próprio  alimento, remetendo também ao cultivo, às tradições e à sobrevivência do homem. Embalado de forma especial, o livro tem ilustrações coloridas, incentivando a leitura prazerosa e atraente para o leitor de qualquer idade.  Com certeza todos vão escrever seus próprios haicais, pois o tema é decorrente do nosso cotidiano viver.

Meu primeiro romance, sobre o poder, a submissão e a árdua e dolorida conquista da liberdade de ser; venho me dedicando há 2 anos, está em processo de revisão e  pretendo lançar em 2014.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a escritora Regina Alonso, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Regina Alonso - Aos leitores, minha mensagem: continuem a buscar sempre... Ao comprar um livro não esmoreçam diante do preço,  afinal, ele pode ser retirado em uma biblioteca ou emprestado de um amigo. Às vezes, o livro é mais barato que uma tarde no shopping... Não se importem de abandonar um livro que não lhes agrada; vocês têm esse direito, pois devem ser críticos, sempre. Troquem por outro, outro e outro até chegar àquele que os agarre feito um ímã e os leve além, muito além da realidade — sem medo de sonhar, ousar na busca de outros caminhos e ser feliz!

Agradeço a oportunidade e parabenizo você, jornalista Shirley M. Cavalcante, pela iniciativa de dar espaço aos escritores, permitindo-lhes ouvir seus pares e falar de seus fazeres, numa troca que enriquece a todos. Obrigada, sempre.

Abraços,

Regina Alonso

Santos, setembro 2013

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor