Sangro-me - por Conceição Oliveira

Sangro-me - por Conceição Oliveira

Sangro-me

esvaio-me

e morro nas palavras que me atravessam

a garganta

a alma

e a língua nua de prisões.

 

Sorvo da poesia todos os cantos;

o mais terno

o mais mordaz

o mais acutilante.

 

Perseguem-me lobos

famintos

e eu sobrevivo à censura

como quem arrecada a última gota de vida.

 

  

Conceição Oliveira

In  PARADIGMAS – Coletânea de Poesia e Texto Poético da Lusofonia.

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

        

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor