Saudade Doída - por Rô Mierling

Saudade Doída - por Rô Mierling

Poetas e escritoras usam sentimentos como base para seus escritos, o amor, a paixão, mas nenhum sentimento é tão usado quanto aquela palavra que só existe na língua portuguesa: saudade.

Deixo minha humilde contribuição para a produção literária focando o termo saudade.

 

Saudade Doída

Penso nele todo dia,

Pela manhã, tarde e noite.

A cada música que escuto,

A cada sonho que me entrego.

Ele não mais me pertence.

Ou quem sabe,

Nunca me foi por direito.

Quem sabe se um dia,

Ele realmente me viu ou sentiu?

Só me resta lembrar e sonhar.

Suspirar pelos momentos vividos,

Pelos beijos sentidos,

Pelos abraços esquecidos.

Quem dera um dia,

Soubesse eu, que ele igual,

Sente a minha falta.

Sonhos em um mesmo lual.

Vã esperança eu tenho.

Sigo então sozinha sonhando.

Um sonho que me acorda em lágrimas,

Lágrimas de uma saudade esquecida.

Saudades de uma dor doida.

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor