Sobre o Amor - por Alexandra Collazo

Sobre o Amor - por Alexandra Collazo

Por: Alexandra Patrícia de Carvalho Collazo.

O que é o amor? Será ele o nosso maior companheiro? Aquele que te faz enxergar a vida de outra forma?
O que é o amor? Esse sentimento tão intenso e sereno que nos faz sair de nós mesmos e sem perceber cairmos na imensidão do sofrer?
Cada um, cada ser humano, tem uma forma de amar, um jeito próprio de demonstrar o amor, o afeto, o carinho, e eu, tenho o meu.

O amor!!!!

Esse sentimento tão divino que todos nós sentimos.

O amor é a letra inspiradora do compositor, é a nota mais delicada do piano, é a voz do tenor. Podemos senti-lo no tom pesado do saxofone na mais suave melodia do jazz, é a forma mais completa - É A ALMA DE TODO POETA.

Há quem diz que o amor não faz sofrer. Sinto ter que discordar, pois, posso afirmar que quem nunca sofreu por amor, não sabe o que é amar.

É a lágrima mais sincera, é a dor mais pura que carregamos no peito.

Costumo dizer que, não escolhemos o amor, pelo contrário, o amor nos escolhe.

De fato, seria muito bom podermos escolher quem amar, mas, não temos esse poder, infelizmente, ou felizmente. Quando acontece, acontece, simplesmente.

Escrever ou falar sobre o amor pode parecer simples, mas, o amor é tão mais complexo quanto uma fórmula matemática, quanto a teoria da física, quanto uma poesia feita no mais profundo sentimento de melancolia.

O amor é mais que tudo isso!

É impossível de entender, é inexplicável, ou seja, não há fórmula para o amor ou para amar. Cada um tem sua forma de amar e todos sabem amar.

O amor pode ser encontrado em todos os lugares e de todas as formas.

Para alguns, o amor pode ser sentido na imensidão do mar, na clorofila das montanhas, em um filme, e, para os mais românticos, ao contrário de mim, está na cor do céu, nas estrelas e na lua.

Para pensar no amor ou senti-lo, não necessariamente, temos que ser românticos.

O amor não acontece só para os mais românticos, basta estar preparado para amar.

Eu, por exemplo, não preciso de muito para encontrar o amor ou senti-lo. Consigo senti-lo em sua forma mais completa (para mim, é a forma mais completa), em uma noite, sim, em uma noite, porque a noite me traz a pureza da solidão, com um bom livro de poesia que fale sobre o amor em sua forma mais melancólica possível. Uma boa música suave aos ouvidos.

Todas as músicas de uma certa forma, falam de amor. Como já dizia nosso grande poeta Tom Jobim: "E há sempre uma canção para contar aquela velha história de um desejo, que todas as canções têm pra contar".

O piano e voz me encantam e me fazem pensar e viver o amor, mas, há algo que me faz sentir o amor. É tão simples, mas, tão puro e verdadeiro que nem o mais mentiroso dos seres humanos conseguiria fazer-se mentir.

Estou falando do olhar. O olhar é a expressão da alma, ele revela os maiores segredos e desejos, não há como disfarçar um olhar quando se ama.

Outro ponto que me faz pensar no amor, é um abraço. O abraço tem uma magia própria, um abraço sincero te faz queimar por dentro a aí, não tem jeito, tudo se encaixa no peito em sua forma mais perfeita.

O amor não é tão simples, só é preciso saber lidar com ele, saber esperar e se por acaso não for correspondido, é a paciência que deve predominar.

A palavra chave para o amor chama-se PACIÊNCIA.

Um dia, cedo ou tarde, o amor chega para todos, e não tem por onde fugir, o jeito é se entregar e ser feliz.

Não se deve ter medo do amor, é ele que impulsiona a vida. Deve-se, sim, ter medo de não saber o que é o amor, esse sentimento que eleva a alma.


Página da colunista no Facebook

https://www.facebook.com/poemasparaocoracao

 

Publicado em 20/12
 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor