Téia Camargo - Entrevistada

Téia Camargo - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Téia Camargo é o pseudônimo de Maria do Carmo Guimarães Rodrigues, uma carioca da gema com contornos paulistanos adquiridos no convívio com a gente e as coisas da Grande SP para onde veio em 2001 viver sua maior aventura: a vida a dois com o homem que ama, seu marido Luiz Camargo. Sorriso fácil, amante das viagens, das risadas e dos bons vinhos, esta autora novata ingressa no mundo encantado da Literatura considerando-se uma boa contadora de "causos", consciente de suas limitações, mas sonhando em um dia merecer o título de Escritora, tal como os eruditos que admira, respeita e lotam de títulos nacionais e estrangeiros as estantes de seu abarrotado escritório.

“Sempre digo que não existe literatura boa ou ruim. Existe literatura. Ler é se preparar para desenvolver o espírito crítico que embasará a seleção daquilo que acreditamos seja o melhor para nosso lazer e nosso prazer.”

 

Boa Leitura!

 

Divulga Escritor - Escritora Téia Camargo, é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, conte-nos o que a motivou a ter gosto pela escrita?

Téia Camargo - Escrever, assim como ler, são partes integrante da minha pessoa, da minha vida. Hábitos saudáveis que adquiri ainda em criança incentivada por meus pais e que se tornaram deliciosos vícios, sem os quais eu não conseguiria viver.  Leio muito e escrevo mais ainda. Através da leitura viajo, sonho, deliro e através da escrita me liberto, me conforto e vou ao encontro de mim mesma, questionando ou resolvendo meus conflitos e quando possível, espantando meus fantasmas.

 

 

Divulga Escritor - Que tipo de textos gostas de escrever?

Téia Camargo - Escrevo de tudo um pouco. Quando menina costumava escrever cartas para minhas amigas, para minha família e ainda hoje cultivo esta tradição, agora através de e-mails. Um fato curioso sobre esta mania foi ter servido de cupido para uma amiga da faculdade. A seu pedido, escrevia cartas de amor para o namorado  que vivia em outra cidade e ela, ao passá-las a limpo se emocionava tanto que costumava me dizer que seria capaz de se apaixonar por ela mesma quando as lias.  Os dois se casaram, formaram uma bela família e ele nunca desconfiou que as cartas não foram escritas por sua amada. (rs)

Como boa geminiana que sou, gosto de me comunicar e sempre procuro uma forma e um  tempinho para fazer chegar minhas palavras àqueles que quero bem mas a não ser correspondências, jamais guardei o que escrevi, talvez por vergonha, por receio do ridículo ou por considerar inexpressivo.

Em maio do ano passado, no entanto, passei por uma tempestade emocional cujas consequências poderiam ter sido desastrosas se a escrita não tivesse me salvado. Canalizei todo o sentimento  de dor, decepção e frustração para me expor e curar minhas feridas, criando uma fanpage no Facebook, onde, usando o pseudônimo TÉIA CAMARGO,   passei a divulgar minhas impressões, perspectivas, as lembranças, algumas  trapalhadas em que me envolvi e tudo o mais que os voos da minha imaginação alcançassem. Para minha surpresa a página criou vida própria a partir da gentileza e da generosidade de amigos que convidaram outros amigos, passou a agradar leitores até então por mim desconhecidos que por sua vez a seguiram e a divulgaram, fazendo com que hoje  conte com mais de 7.500 curtidores. 

Link da página:

https://www.facebook.com/#!/pages/T%C3%A9ia-Camargo/735883859767538

 

Divulga Escritor - Quais os principais temas abordados em seus textos literários?

Téia Camargo - Gosto de escrever contos, crônicas e ultimamente tenho me dedicado a criar versinhos e embora alguns leitores me classifiquem como poeta, acredito que ainda tenha muito o que trilhar nesse caminho para ser considerada como tal.

 

Divulga Escritor - Em que momento pensou em escrever o seu livro “As aventuras de Maya, a cadelinha filha única”?

Téia Camargo - Maya foi uma surpresa agradável e especial. Ela foi a única de uma ninhada de seis filhotes de nossa cadela a resistir ao parto doloroso e complicado. Passou por situação de alto risco, teve um início de vida delicado e foi uma experiência nova e muito particular  tanto para mim quanto para meu marido cuidarmos daquele bichinho indefeso, frágil, cuja mãe estava fraca e adoentada. E eu que costumava a rascunhar romances de repente me vi contando essa relação e essa vivência sob a ótica da filhotinha. Os capítulos foram escritos na medida em que os acontecimentos iam se desenrolando e alguns chegaram a ser publicados com aquela bebezinha canina no meu colo, se alimentando ou dormindo.  

 

Divulga Escritor - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor através desta obra literária?

Téia Camargo - Quando começo a escrever não penso em passar mensagens, conselhos ou  formar opinião. Apenas escrevo. As ideias vão surgindo  e são  colocadas no papel, mas considero inevitável que a experiência e o ponto de vista do escritor acabem repassando para a história, por mais que ele tente se manter isento e distante.  Se eu tivesse que citar alguns pontos apenas para afirmar que transmito alguma mensagem de forma consciência, diria que num mundo de  tanta insanidade, inversão de valores, desrespeito e valorização do ter em detrimento ao ser, estou sempre do lado do amor, da tolerância, da simplicidade e da boa energia.  

 

Divulga Escritor - Onde podemos comprar o seu livro?

Téia Camargo - No momento "As Aventuras de Maya" encontra-se em fase de editoração do livro físico  e por força de contrato foi retirado das livrarias virtuais. Faço votos que  muito  em breve ele esteja disponível  para o público.

 

Divulga Escritor - Quais os seus principais objetivos como escritora? Pensas em publicar um novo livro?

Téia Camargo - Em primeiro lugar a satisfação pessoal de descobrir e impulsionar um talento que se encontrava estagnado, adormecido. Pode parecer presunção, mas  o fato é que muitas vezes nos desprestigiamos e nos desvalorizamos ao não deixar aflorar o que sabemos repousado dentro de nós e que poderá  se tornar um projeto de sucesso se superarmos a vergonha, o medo da crítica, receio da reação dos amigos, dos parentes ou daqueles que nos são caros. Despojarmo-nos dessas barreiras é, sem dúvida, uma experiência difícil e pesada, mas que pode nos trazer créditos impensáveis e nos enriquecer de sentimentos afetuosos e gentis para conosco e para com os outros.

No final do ano passado enchi-me de coragem e participei  da minha primeira seleção num concurso literário. Não fui classificada entre os primeiros colocados, mas recebi Menção Honrosa da Academia Bragantina de Letras pela crônica Um Maravilhoso Despertar. Fiquei feliz em ser avaliada e premiada por profissionais da Literatura,  isentos, imparciais que julgaram ser o texto merecedor de tal título. Este fato me animou e em 2015 participarei de outros concursos, realizarei oficinas literárias a fim de produzir  bastante.

No momento tenho dois livros em fase de revisão, com os títulos provisórios de "VIDAS DESENCONTRADAS" e "JÁ PENSOU?", estou participando de algumas antologias, começo a redigir contos e crônicas para seleção permanentes de revistas e publicações literárias e ainda alimento toda quarta-feira e sábado a fanpage Téia Camargo com os textos que os leitores se acostumaram a curtir e interagir.

Esperto ter saúde, inspiração e discernimento para conseguir concretizar com sucesso, humildade e sabedoria todos esses planos.      

 

Divulga Escritor - Quais os principais hobbies da escritora Téia Camargo?

Téia Camargo - Prazeres bobos e simples como uma boa caminhada no calçadão à beira mar, uma tarde de bate-papo com amigos e parentes,  folhear revistas de decoração e arquitetura, idas frequentes ao cinema com o marido e dar minhas risadas, muitas risadas. Isso tudo, é claro,  sem deixar de lado os dois principais: ler e escrever. 

 

Divulga Escritor - Como você vê o mercado literário brasileiro?

Téia Camargo - Estou  engatinhando neste mundo novo, intrigante  e capcioso. Com cuidado, muita pesquisa, muita observação e a ajuda valiosa de alguns amigos que publicam há tempos, estou começando a conhecer e entender o mercado editorial.  Uma das coisas que tem me deixado satisfeita e esperançosa é o crescimento dos autores novatos nas prateleiras das livrarias. Bom sinal! Também tenho lido muitas críticas, nem sempre elogiosas ao tipo de literatura  hot,  às trilogias de vampiros  e de ficção científica, mas acredito que haja espaço para todos e que se o público tem se deixado envolver por este tipo de leitura, ótimo, pois isso significa que estão lendo e considero este fato primordial para que a população brasileira frequente mais livrarias e passe a conhecer melhor os autores, tanto nacionais quanto estrangeiros.  Sempre digo que não existe literatura boa ou ruim. Existe literatura. Ler é se preparar para desenvolver o espírito crítico que embasará a seleção daquilo que acreditamos seja o melhor para nosso lazer e nosso prazer.     

 

Divulga Escritor - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora Téia Camargo, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Téia Camargo - O que me resta neste momento mágico de minha vida é agradecer.   A tudo e a todos. A vocês do Divulga Escritor pela oportunidade da entrevista; aos meus leitores pelo carinho e pela oportunidade de deixarem que eu me aproxime, que fale aos seus corações; aos meus amigos e parentes pela compreensão e pelo incentivo; ao meu  amado marido por ser meu  porto  seguro e meu repouso sereno e a Deus por me iluminar e me permitir realizar  um sonho.

            Um grande abraço e sejam todos muito felizes!

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor