Tempo sem horas - O Vício - por Conceição Oliveira

Tempo sem horas - O Vício - por Conceição Oliveira

TEMPO SEM HORAS (Contos) – Editora Vieira da Silva, Lisboa, 2013

 

(VI)  O Vício 

 

Era tarde quando regressou a casa.

– Mãe… Finalmente, o pai chegou… Tão sujo e mal cheiroso! Deve ter caído em cima de bosta… de gente!

– Caíste, pai? Estás ferido?

– Sim, caí. Ferido? Só na alma!

Alzira, que entretanto se aproximara, atira‑lhe:

– Com que então voltaste a jogar… Haja dinheirinho, não é? E eu que me nique e o estique…

– Eu? Jogar? Tás muito enganada!

– Sim, tu… Hoje, bem cedinho, deixaste cair isto na sanita!

Acenou‑lhe com o bilhete sequinho…

Felizardo, ganhando fôlego, irou‑se. Bastante. Nem sabia ao certo porquê… Se pelo facto de a família ter descoberto a continuidade do vício nocivo ao orçamento familiar, se pelo nervosismo de saber que estariam riquíssimos…

Aproximando‑se, querendo certificar‑se de que não era sonho, fez menção de lhe retirar o papel da mão …

Afastando‑o, Alzira previne:

‑Calma aí, meu caro! Antes de o levar, diz‑me como é que perdeste a tua aliança…ou pensas que sou lorpa? Depois, vais explicar‑me como vamos nós pagar as despesas do mês…falta ali dinheirinho…

E continuou a descompô‑lo pela noite dentro…

 

(Tempo sem horas [115])

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor