Torne-me adulto - por Antônio Montes

TORNEI-ME ADULTO
 
Criança há muito tempo eu fui
Cresci tornei-me adulto, bruto
Moldei, tempo bom e ruim
Vim até aqui eu sei e passarei
E um dia eu virarei defunto.
 
Nesse dia, dinheiro deixarei
E anjos não trocarão trombeta
Nada eu também não posso levar
Pois o meu caixão, não tem gaveta
Lá também não tem como gastar.
 
Para aonde vou... Eu não sei
O que sei é que irão me enterrar
No buraco o meu fim é frágil
E sem asas eu não poderei voar.
 
Deixarei mundo que parecia encanto
Jardins com flores e pétalas a voar
Promessas sem fim de todos os santos
Amores saudades e coração para amar.
 
Antonio Montes 12/11/14
 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor