Tributo aos Loucos do passado - por Silva Neto

Tributo aos Loucos do passado - por Silva Neto

Tributo aos Loucos do passado– Por SILVA NETO

Site: www.silvanetoesilva.com.br

 

Quem não se deparou com aquelas ou aqueles jogados na rua, entre trapos e farrapos, vestindo sobras das sobras de retalhos coloridos e sujos, imundos, fedorentos do vai e vem dos dias, dos meses, dos anos, largados ao relento sem eira nem beira?

Quem não assistiu ao show dos pinguços, cachaceiros, de fogo, de pileque, bêbados, seja lá o quê,  rodopiando, resmungando, cantarolando e dizendo loas ao vento?

Quem não sentiu dó da incúria desses maltrapilhos, sem que se possa fazer nada para tirá-los  das ruas, porque o verdadeiro lugar deles é ali? O palco da vida deles é ali?

Quem não sentiu envergonhado por eles desmistificarem o nu, de fazerem  seus excrementos  a céu aberto com a simplicidade dos cães, dos irracionais?

São os loucos poetas.

São os literatos, os artistas, os filósofos, os inventores do passado  atoleimados  nos seus dotes mal resolvidos.

São aqueles que não tiveram  a chance de demonstrarem seus  inventos,  suas artes, seus talentos, seus encantos.

São os  que foram trucidados ante suas magistrais engenhocas, suas teses estelares, sendo obrigados a tomarem sicuta  se não desdissessem  diante do Tribunal  da  Inquisição.  

São os médiuns, até então adivinhos, oráculos, pitonisas, necromantes falidos que não lhe deram o direito de provar suas magias.

Ou seremos todos nós, nessa competição desigual dos dias de hoje, se não obtivermos sucesso  em nossas empreitadas?

Loucos! Loucos! Loucos! Seremos todos, se não lutarmos pelo nosso lugar ao sol. 

    

 

    

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor