Um conto para uma fada contar... - por Elisa Pacheco

Um conto para uma fada contar... - por Elisa Pacheco

 Um conto para uma fada contar...

 

Em um mundo bem longínquo, em outra dimensão, vivia uma fadinha com a sua vara de condão. Ela sobrevoava sobre o céu com uma asa só. Uma asa só? Sim, com apenas uma asa, ela voava junto com as borboletas e com os beija-flores da floresta! Essa fadinha se chamava Florentina, porque ela nasceu na Primavera, sobre o perfume de variadas pétalas de flores. Na Fadolândia, cada vez que uma fada nascia ela se incumbia de realizar desejos. Mas, como Florentina havia nascido com uma asa só, ela só poderia realizar os desejos de muitas meninas e meninos, se ela conseguisse outra asa para aguentar as tempestades, e ventanias que o Planeta Terra tinha. Caso o contrário, ela não conseguiria fazer realizar o desejo das crianças que ela deveria ajudar!

Assim, a fada Florentina tentou de todos os jeitos, conseguir uma asa emprestada. A sua primeira tentativa foi pedir ajuda à fada madrinha, pois muitos saberes ela tinha! E com toda a sua experiência e sabedoria, ela lhe falou:

            - Florentina, minha menina de uma asa só, procure todos os seres encantados, vá a todos os lugares, atravesse os sete mares, os riachos e as montanhas, voe contra o vento, ultrapasse o arco-íris, faça-se aventurar, para a sua asa poder encontrar! Procure o que desejas na terra, no céu, no fogo, no ar, tuas aprendizagens vão te mostrar a construção para a tua estrada, voe, voe além do reino das fadas...

            E assim, Florentina, voou, voou e voou e avistou uma rocha repleta de sereias.

            - Vejam uma fada de uma asa só, disse a sereia Adolfina. Ela deve ter dificuldades para voar. O que eu posso te ajudar?

 Florentina repleta de expectativas, perguntou:

            - Dona sereia, você teria uma asa para me emprestar?

            - Não, só posso te ensinar a cantar, mas talvez o morcego Bio possa te ajudar!

            - Um morcego? Aquele bicho que tem dentes afiados de morder e assustar?

            - Sim, o morcego Bio, ele não morde, nem assusta, e muito cedo aprendeu a voar, ele é um cientista que estuda as estrelas e com certeza poderá te ajudar.

            E foi assim, que Florentina atravessou rios, montanhas, e luas brilhantes, até alcançar a caverna do morcego brilhante!

            - Alô, posso entrar?

            - Hum, uma fada de uma asa só, o que posso te ajudar?

            - Preciso de uma outra asa, para poder realizar os desejos das crianças.

            O morcego todo advinhão, respondeu:

            - Eu sou o morcego Bio, eu posso te levar às estrelas, e te ensinar um assobio, mas não tenho outra asa para te dar, mas talvez, o vagalume noturno, que vive sonhando em conhecer o Planeta Saturno, possa ter uma resposta para te dar!

            Florentina esperou anoitecer, e mergulhou sobre as arvores da floresta. Era uma noite muito escura, mas de repente ela avistou uma estrelinha que parecia ter caído do céu!

            - Eu sou o vagalume noturno, eu me chamo Rapuncéu!

            - Rapunzel?

            - Não, Rapuncéu. Sou o guardião da noite, estudioso de muitos planetas, sou um guarda, um vigia noturno, meu sonho é...

            - Eu sei conhecer Saturno.

            - Sim, é lá que tem estrelas gigantes, maiores que muitos elefantes!

            - Mas senhor Noturno, Saturno, Rapuncéu...

            - Sim, pequena fada de uma asa só...?

            - O Morcego Bio, vizinho da sereia Adolfina, disse que o senhor poderia me ajudar a ganhar uma nova asa!

            -Ah sim, uma nova asa! Uma nova asa?

            - Não, não posso não, apenas posso te ensinar como nas estrelas chegar. Mas conheço alguém, que pode te ajudar, voe até a Coruja Sabinha, ela é minha vizinha, e vive com os olhos abertos para tudo poder enxergar. Dizem que ela guarda uma varinha mágica, que conserta até a luz do luar!

            E lá se foi Florentina, voando pela madrugada, preocupada para falar com a Coruja Sabinha. O silêncio da noite é quebrado por um uuu.

            -UUU.

            -UUU, quem é?

            - Sou a coruja Sabinha, você não pode me ver? Eu estou aqui, em cima desse galho de árvore.

            - Dona Sabinha, será que a senhora pode me emprestar a tua varinha mágica, para que eu possa ganhar uma nova asa?

            - UUU!

            - Isso seria um sim?

            A coruja Sabinha sem exitar saiu voando sem deixar rastros nem notícias. Florentina, desesperada, não sabia mais a quem recorrer, e resolveu esperar o dia amanhecer. Ao acordar, ela teve uma surpresa. O galho onde dormia a coruja Sabinha tinha se transformado numa varinha. Florentina pensou, pensou e pensou, pegou a varinha e desejou ser uma fada com duas asas! E agora duas asas, ela tinha para poder realizar muitos sonhos e desejos. Ela correu para mostrar a novidade às suas amigas, primas, tias e irmãs. Mas quando ela chegou  ao reino, todas as fadas tinham desaparecido. Florentina procurou, procurou e não encontrou ninguém. Com muita velocidade e destreza, novamente Florentina foi procurar as respostas com os seres encantados da natureza. Voou, voou e voou e não encontrou ninguém! De repente, lá longe no céu, ela escutou um UUU.

            - Então Florentina você finalmente encontrou a sua outra asa, você está feliz?

            - Sim, quer dizer, quase feliz, porque todas as outras fadas sumiram da Fadolândia. Eu não tenho agora para quem mostrar as minhas duas asas, que batem tão velozmente!

            - No mundo das fadas, você deveria saber, ou ao menos ter aprendido, que quando uma fada realiza um desejo, um pedido, todas as outras fadas se transformam em meninas, essa é a regra, essa é a lei. Fadas somente realizam desejos!

            - Então agora, eu também quero ser uma menina!

            - Você perderá as duas asas! Não consiguirá  mais voar. Acordarás todos os dias pela manhã vendo o sol entrar por sua janela. Sua vida terá o branco, o cinza e o preto em sua aquarela. Você vai crescer e envelhecer, e um dia toda a sua beleza vai perder. Vai rever as suas amigas, mas também terás inimigas! Perderás todo o seu encantamento, deixarás aqui a sua varinha, talvez até fiques um pouco mais gordinha, cheinha. Não terás mais o doce perfume das flores, viverá paixões e amores. Sentirás calor e frio, e ficarás um pouco irritada, no dia que ficares menstruada. Para disfarçar as suas espinhas, deverá viver maquiada, e como és baixinha, para entrar na moda, deverás saber se equilibrar num salto alto. E se quiseres obter um corpo perfeito, terá que aprender com certas práticas, se esforçar e fazer muita ginástica. Mas, se não conseguir alcançar o padrão, muitos cientistas te indicarão a lipoaspiração ou o uso de alguma medicação para que possas emagrecer e exibir num tal de Facebook a tua silhueta de princesa de contos de fadas. UUU?

            Florentina, pensou, pensou e pensou, pensou, pensou e pensou novamente, olhou para a coruja com uma certa convicção. Foi então, que a fada quebrou a varinha mágica e voltou a voar apenas com uma asa só!

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor