William Mesquita - Entrevistado

William Mesquita - Entrevistado

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

William Mesquita, nascido em 01 de maio de 1990, em São Paulo – SP. Analista de Sistemas, graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Paulista – UNIP. É poeta, escritor e blogueiro de plantão. Em seu blog, escreve poemas, prosas, contos e crônicas de temas diversos; além de contar com a participação de outros escritores e blogueiros de diferentes regiões do Brasil para a publicação dos textos.

 

“A literatura é um atrativo poderoso, como a pintura e a música. Uma distração nobre e permitida a qualquer pessoa; é um meio de viajar na imaginação, agregar valores culturais e, muitas vezes, adoçar os enfados da solidão.”

 

Boa Leitura!

 

SMC - Escritor William é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor. Conte-nos o que o motivou a ter gosto pela escrita?

William Mesquita - Olá Shirley! O prazer é meu em poder contribuir e participar deste projeto. Então, vamos lá?! Desde criança sempre tive grande apreço pela leitura; passava horas intertido na grande coleção de gibis do meu tio; depois de certo tempo comecei a ler os livros e também passei a colecioná-los. Passei grande parte da minha infância com um livro nas mãos e não havia passatempo melhor do que eles. Desde livros didáticos e técnicos aos romances espíritas e outros de ficção, como “Harry Potter” e “As brumas de Avalon”.  Com o tempo, conheci o mundo dos poemas, onde aprendi a expressar as emoções através da escrita. O exercício era árduo, mas muito prazeroso e compensador; assim tive a iniciativa de publicar meus escritos no blog e escrever meu primeiro romance.

 

 

SMC - Que temas você aborda em seus textos literários?

William Mesquita - Tenho grande apreço pela abordagem de temas espiritualistas e surreais. Sou cigano de coração e escrevo, em maioria, contos e crônicas baseando-me em sua cultura e filosofia. Também gosto de brincar com as palavras e com as diversas possibilidades de entendimento que podem ser passadas em um único poema ou prosa poética. Por este motivo, abordo os mais diversos temas; como observações do cotidiano, reflexões, textos de amor, sensuais e outros mais.

 

SMC - Qual a mensagem que você quer transmitir ao leitor através da escrita?

William Mesquita - Com exceção do romance ao qual estou trabalhando, quando começo a escrever não me atenho ao tema a ser abordado. O texto nasce por si e quanto mais escrevo, mais reflito sobre o assunto e assim nascem os meus contos, as crônicas e as obras poéticas. A mensagem que deixo é o fruto de minhas reflexões sobre todo e qualquer assunto que valha à pena escrever; das rotinas do cotidiano às fantasias de um mundo onírico. Acredito que um personagem bem criado e marcante dentro de um contexto específico pode ser lembrado por toda a vida. Um bom exemplo é o personagem Santiago do livro “O Alquimista”, escrito por Paulo Coelho. Quem sabe um dia eu acerte, não?!

 

SMC - Você esta escrevendo um romance, conte-nos um pouco sobre esta obra.

William Mesquita - A trama é de cunho espiritual, mas da forma como está escrito muitos diriam que é ficção ou surrealista. A História passa em duas dimensões, sendo elas a terrena e a etérea (espiritual). Utilizo de muitos conceitos espíritas para a narração, mas não me prendo a um dogma religioso em específico. Basicamente, duas colônias de elevado desenvolvimento espiritual identificam atividades fora do comum em uma dimensão extremamente densa e dominada por seres malignos e muito poderosos. Neste momento, decidem fazer uma incursão a este domínio e descobrem a proporção do perigo que representam aos encarnados, no plano material. Assim, uma grande equipe de médiuns é formada para a sustentação e doação dos fluídos necessários às incursões realizadas pelos seres dos planos extrafísicos. Guilherme, líder desta empreita na terra, entra em coma e vê seu espírito desligado de seu corpo, e assim passa a lutar nos planos extrafísicos tendo seu corpo na terra como grande e contínua fonte de fluídos vitais. Durante o período em que seu corpo está em coma, Guilherme passa por seu Despertar, lembrando-se de antigos conhecimentos adquiridos em outras vidas. – Bem... E a história vai longe, acredito que isso vai me render umas boas páginas...

 

SMC - Em que momento pensas em publicar o livro?

William Mesquita - Não tenho pressa para publicá-lo. Encaro que escrever um bom livro é como lapidar uma escultura, não se pode ter pressa. E à medida que escrevemos, novas possibilidades vão surgindo e a trama vai ficando mais longa. Penso em publicar o livro assim que terminar de escrevê-lo e, neste caso, temos alguns meses pela frente. Também procuro por uma boa oportunidade editorial, ainda não tenho uma editora onde possa realizar a publicação do livro; no momento estou em fase de pesquisa.

 

SMC - William, quais os seus principais hobbies?

William Mesquita - Ah, ler e escrever, com toda a certeza! E no mundo dos blogs consigo juntar os dois hobbies em um mix perfeito. Costumo ler e comentar textos de outros escritores no Site http://www.recantodasletras.com.br/ e recebo muitas visitas em meu blog também ( http://eucigano.blogspot.com.br/ ). Além disso, eu e minha companheira adoramos viajar; estamos sempre nos programando para uma boa viagem.

 

SMC - Quais escritores são as suas referências literárias? Por que eles se tornaram uma referência para você?

William Mesquita - Basicamente, me referencio em três escritores, sendo eles: Eduardo Spohr, brasileiro, autor de “A Batalha do Apocalipse” (um dos livros mais vendidos no segundo semestre de 2010); Dan Brown, renomado autor de “Anjos e Demônios” e outras obras marcantes; e o escritor Christopher Paolini, autor da quadrilogia “Eragon”. A incrível criatividade destes três escritores me encantou. O Eduardo Spohr, por exemplo, conseguiu montar um universo paralelo juntando conceitos religiosos de dogmas distintos e os aplicou em uma única trama, muito bem escrita por sinal. Não posso deixar de mencionar Machado de Assis e Paulo Coelho.

 

SMC - Que dificuldades você encontra para a publicação de livros?

William Mesquita - No momento, estou apenas iniciando minha procura e o diálogo com as escritoras, mas já consigo perceber uma clara indiferença por parte dos editores em relação aos novos escritores.

 

SMC - O que você acredita que deve ser feito para amenizar estas dificuldades?

William Mesquita - Algumas iniciativas, como o Projeto “Divulga Escritor” e “Beco dos Poetas” estão ajudando e encorajando muitos escritores novos a tentarem a publicação de seus livros. Acredito que a persistência é a melhor forma de se quebrar tabus e, no caso dos novos escritores, de conseguir mudar essas dificuldades.

 

SMC -  De que forma você divulga o seu trabalho literário?

William Mesquita - Bem, atualmente publico meus textos no blog “EuCigano” e utilizo as redes sociais para a divulgação. São elas:

Blog: http://eucigano.blogspot.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/prosacriativa

Twitter: https://twitter.com/EuCigano

Site: http://www.recantodasletras.com.br/autores/wmesquita

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor o Escritor William Mesquita, que mensagem você deixa para nossos leitores?

William Mesquita - Primeiramente, agradeço pela oportunidade de participar do projeto Divulga Escritor. A mensagem que deixo ao leitor é: “A persistência é a melhor ferramenta que temos para a conquista de nossos objetivos. Então, que saibamos escolher o que queremos e, após escolher, é só batalhar para tornar a escolha em uma realidade”.

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor