Wilmar Medeiros - por Eduardo Garcia

Wilmar Medeiros  - por Eduardo Garcia

Wilmar Medeiros

 

Wilmar Medeiros, pernambucano do Recife, nasceu no Caminho Novo 1412, hoje Av. Conde da Boa Vista, no dia 4 de dezembro de 1929. Casado, dois filhos e quatro netos. Estudou dos três aos seis anos na Escola Experimental, no Parque  Amorim, onde hoje funciona o departamento da Compesa, o primário no Instituto Pedagógico, na Rua do Hospício.

Matriculado no Ginásio da Encruzilhada, onde permaneceu até os 12 anos, pois a família mudou-se para Maceió onde o seu pai foi trabalhar na construção do Aeroporto dos Palmares, e por dominar o idioma inglês, ocuparia o cargo de Almoxarife  Chefe na empresa americana que também construíra o Aeroporto de Fernando de Noronha, onde ele também trabalhou. Para custear o curso comercial, trabalhava
pela manhã e estudava à noite, na velha Escola Perseverança- E.T.C.A.

Terminada a guerra a família regressou ao Recife, Wilmar permaneceu até 1948.,

devido ao conhecimentos do idioma inglês, foi convidado para trabalhar no Escritório de Representações Emile H. Staub, onde administrava vendas de auto peças importadas, pela manhã, e visitava os grandes importadores pela tarde . À noite trabalhava como professor no Curso Comercial Prático, parceria que o SENAC fazia com o Ginásio Henrique Dias, na Avenida Caxangá, no bairro do Cordeiro, onde dava aulas de português, aritmética, geografia, história e noções de conhecimentos gerais. 

As constantes viagens pelo país o fizeram deixar a docência.

Visitou todas as capitais e principais cidades, sempre como Profissional de Vendas, só falta conhecer Tocantins e a sua capital a cidade de Palmas.

Sócio fundador do Rotary Club do Recife Frei Caneca, Presidente no biênio 1990-1991, recebeu do Clube o título de companheiro Paul Harrys. Quatro livros: Poemar, Reminiscências, Garimpando Versos e Acrósticos, por que não?, com direitos autorais  reservados à Fundação Rotária, que resultaram na aquisição de seis títulos Paul Harrys e um Distintivo Safira. Está escrevendo um novo livro, Contando Causos, publicação prevista para o fim do ano e com a mesma finalidade. Em sete de junho de 2001 foi admitido na UBE - União Brasileira de Escritores por indicação da Escritora Adiusa Belo.

 

Publicações:

 

“Poemar” Escrito na adolescência e publicado em 1996

“Reminiscências” 2000

“Garimpando Versos” 2005

“Acrósticos, por que não?” 2015

 

Wilmar, excelente pessoa, culto, amigo, é um gentleman.

Assíduo no Programa “Quarta as Quatro na União Brasileira de Escritores”, este ano ele participa da antologia do mesmo nome organizada por Geraldo Ferraz e Salete Rêgo Barros.

O livro Poemar – 1996, traz poemas escritos na sua adolescência, o romantismo presente para as moças da época, a mesma linha no livro “Reminiscências” 2000.

“Garimpando Versos” 2005, das Edições Bagaço, contém o poema “O Brasil que eu conheço”, nele ele descreve todas as cidades que visitou em todos os estados, menos Tocantins (segundo ele), lugares que conheceu como Vendedor de peças automotivas em uma revendedora local.

A última publicação neste ano foi “Acrósticos, por que não?”, acrósticos rimados e metrificados, bela e trabalhada obra.

 

 

Pesquisa e comentários

Luis Eduardo Garcia Aguiar

Poeta - Escritor - Colunista - Palestrante

Diretor de Imprensa da UBE

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor