Yara Falcon - Entrevistada

Yara Falcon - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Yara Falcon é o nome de autora de Yara Cecy Falcon Lins, nasceu em 09-10-1948, em Salvador-BA, tem dupla cidadania,brasileira e espanhola. Tem também a imigração canadense.

Formada em Economia pela Universidade Federal da Bahia/1977, Mestrado em Desenvolvimento Social-CE reconhecido pela Universidade Autônoma de Barcelona, Cursos de doutorado em Economia Aplicada na Universidade Autônoma de Barcelona/Espanha. Especialização em Gestão de Qualidade Total/UFMG 1995, Especialização em Controle de Qualidade, em 1996, no Japão.

Foi Coordenadora técnica de projetos econômicos e sociais -FIPLAN-AL, Coordenadora de Planejamento da UFAL, Pró-Reitora de Planejamento substituta, Coordenadora de Modernização Administrativa da UFAL e Pró-Reitora de Administração substituta. Consultora Empresarial e empresária. Palestrante e treinadora em Gestão de Qualidade em médias e grandes empresas. Organizadora.coordemadora e dos encartes em Gestão de Qualidade para jornal em em Maceió-AL. Organizadora e dirigente de Seminários Nacionais e Internacionais em Gestão Empresarial. Recentemente fez palestra no Japão sobre o tema para empresários brasileiros neste país.

 

“Escrevo porque gosto de falar de virtudes e do amor Universal, escrevo porque amo o que faço e gosto de explicar o que penso.”

 

Boa Leitura a todos!

 

SMC - Escritora Yara Falcon, é um prazer contarmos com a sua participação no projeto Divulga Escritor, você tem um currículo espetacular, conhecendo outras culturas, outros países, conte-nos como você vê a Literatura Brasileira?

Yara Falcon - A Literatura brasileira não deve nada a outros países mais desenvolvidos que o nosso. Não podemos querer comparar o que é bom aqui e o que é bom lá. Óbvio que há obras que transpõem territórios e são universais, mas são em menor proporção ao que se escreve. Há também muitas que se tornam Best Sellers por conta do mercado que envolve dinheiro e publicidade. Vejo a Literatura brasileira no modernismo, pós-modernismo e contemporânea, na prosa e poesia, com grandes nomes inclusive alguns publicados no exterior. Cito alguns desta plêiade: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Jorge Amado, Graciliano Ramos, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Adélia Prado, Adonias Filho, Antônio Calado, Manoel de Barros, Moacyr Scliar, Millôr Fernandes, Mário Prata, Mário Quintana,Ariano Suassuna, Cora Coralina, João Ubaldo, Pedro Nava, Jõao Cabral, Luiz Fernando Veríssimo, Lêdo Ivo, Paulo Leminski e outros menos conhecidos. A Literatura brasileira hoje permite menos enquadramento e mais liberdade ao escrever, não se podendo jamais abdicar de um bom texto e da criatividade. O que falta não são bons escritores e poetas é um mercado editorial, no sentido de oportunidades iguais entre as regiões.

 

SMC - Você hoje ministra palestras em outros países, como você se vê no mercado Internacional?

Yara Falcon -  Embora eu viaje bastante, concentro a divulgação do que eu faço no Japão e Canadá, por enquanto. Sendo países que mais frequento, moro alguns meses do ano no Canadá, procuro manter meus livros nas bibliotecas, mesmo em português. Faço lançamentos dos meus novos livros no Japão e palestras acerca de minhas impressões sobre o país e minha literatura. Este ano pretendo traduzir minhas obras para o espanhol e para o inglês. O fato de ser espanhola também e ter vivido em Barcelona um bom tempo, faz-me sentir o dever de estar na Espanha como escritora. O mesmo no Canadá onde tenho imigração.      E no Japão, tenho alguma coisa traduzida para o japonês, mas houve uma interrupção por conta da partida do meu querido tradutor.

 

SMC - Em que momento se sentiu preparada para publicar o seu primeiro livro? Podes descrever um pouco sobre esta obra?

Yara Falcon - Sempre escrevi muito, desde pequena inventava histórias e tinha meu mundo. Tudo fazia para mim, apenas publicava em jornais e livros artigos e opiniões sobre economia, conforme minha profissão. Poemas e contos eram minha reserva emocional. Recorria a lê-los quando estava com algum problema e produzia mais nestas ocasiões. Publicar somente ousei quando voltei da minha primeira viagem ao Japão, lá descobri que iria mudar de rumo, abraçar a Literatura e seguir este caminho. Meu primeiro romance Pálidos Crisântemos que saiu em 1998, a primeira edição, por sinal com alguns erros, a editora não fez a revisão ou por esquecimento ou não sei bem o que se passou, eu era inexperiente, se passa no Japão quase todo tempo. Na segunda edição saiu certinho. A obra fala de um amor impossível que se torna possível sob uma farsa que é descortinada ao longo da história que tem como pano de fundo a Restauração Meiji e as lutas pelo poder no Japão do século XIX. A história é construída mesclando amor, arte, preconceito, morte e poder. Uma arista plástica ocidental que se apaixona por um príncipe japonês e não mede consequencias para ficar com seu amor. Disfarça-se em japonesa e … O fim é trágico, mas é o princípio do segundo livro da trilogia Crisântemos, quando os personagens vivem a Segunda Guerra Mundial no Japão.

 

SMC - Yara, qual o diferencial do seu livro de ficção cientifica infantojuvenil “O Habitante de Sísifo”?

Yara Falcon - O Habitante de Sísifo é na verdade uma série que penso concluir em dez livros. Estou no terceiro que será lançado, talvez, no final deste ano, pelo menos no Recife e em Maceió. Esta série foi construída inspirada no meu filho menor que hoje é engenheiro de Computação no Canadá. Ele gostava demais de computador e isto mexia comigo. Daí criei uma história sobre esta dedicação demasiada ao computador envolvendo um menino do planeta Terra e um alienígena de Sísifo - planeta que criei super avançado. Dou meu recado sobre a disciplina que devemos ter com o uso da tecnologia, ao tempo em que abordo assuntos filosóficos, morais e éticos apropriados ao entendimento de crianças de 7 a 13 anos. Falo da Física quântica e fenômenos que consideramos desconhecidos. As viagens ao Cosmo e visita a outros planetas com vidas incríveis ocorre em meio a batalhas entre povos do bem e do mal e diversões mil. O preconceito,o respeito aos animais e tudo que eleva a alma faz parte dos diálogos entre os terráqueos e os povos de outros planetas. O encontro com os filósofos Platão e Aristóteles, com Darwin e os compositores Bach, Mozart e tantos grandes personagens que fizeram a passagem mostra a vida continuando em algum lugar do Universo.

 

SMC - Como foi a construção do enredo e personagens, do seu romance “Novos Crisântemos - Raízes de Amizade Brasil e Japão”, lançado na Embaixada do Brasil em Tóquio, em 2008?

Yara Falcon - O último livro da trilogia Novos Crisântemos - Raízes da Amizade Brasil e Japão, encerra a história de amor entre Tanaka e Yuko, personagens de Pálidos Crisântemos. Neste livro ele se chama Kioshi e ela Júlia. Um japonês e uma brasileira concretizando um amor que simboliza a união entre os dois países em foco, Brasil e e Japão. Tem como cenário, que antecede o encontro dos dois, a migração japonesa, a chegada do Kasatu-maru no porto de Santos, a construção da ponte entre o Japão e Brasil, a volta dos descendentes, nisseis, sanseis para trabalharem no país nipônico. As duas mãos no mesmo século selando uma amizade entre dois povos. Voltei ao Japão para pesquisar a fim de escrever este romance e coisas inusitadas me aconteceram, daria um outro livro o bastidor. Estive em Kobe, no Centro de Migração, de onde sairam os imigrantes japoneses para o Brasil e com pessoas mais velhas que haviam retornado para morrer no seu país de origem, como diziam. Sendo 2008 o ano da comemoração dos 100 anos da chegada dos japoneses ao Brasil o livro foi selecionado para ser apresentado na Embaixada do Brasil em Tóquio, em escolas japonesas e na JICA em Yokohama através da ABC JAPAN.

 

SMC - De que forma vem sendo planejada a sua carreira literária, quando você termina de publicar um livro, já tem outro sendo escrito?

Yara Falcon - Eu amo escrever, sou uma serva nesta missão. Não planejo muito não a carreira. O que conquistei me satisfaz. Os convites chegam, procuro atender na medida do possível e me organizo ano a ano, mais ou menos, porque tanto posso estar aqui como na Europa, Ásia, América do Norte, na Argentina ou na Antártida. Como disse, escrever é minha rotina hoje e quando publico um livro dois já vem a caminho. Quando digo alguma coisa como esta rio de mim mesma. Acho que durmo e acordo criando.

 

SMC - Qual o livro de sua autoria, você indica para eu ler? Qual o motivo que eu devo ler esta obra?

Yara Falcon - Fica difícil dizer qual o filho preferido, mas eu começaria a ler Pálidos Crisântemos, segunda edição, ou toda a trilogia,tenho um de Memórias que estou preparando a terceira edição, chama-se Mergulho no Passado - A Ditadura que Vivi, considero este interessante por ter contado com muita dor esta experiência de juventude, um livro criado com lágrimas e muito sentimento. Para quem tem filhos O Habitante de Sísifo, os três. Faltou Curtos Contos e Poemas, leitura para final de semana.

 

SMC - Soube que temos livro novo no prelo, podes nos contar um pouco sobre o seu novo lançamento?

Yara Falcon - Sim, após o lançamento de O Habitante de Sísifo III – Os Dócimos, vem aí Relatos de Viagens. Pretendo lançar o livro III da série Sísifo na Fliporto e Bienal Internacional do Livro aqui no Recife,que acontecerá ainda este mês de novembro.

 

SMC - Onde podemos comprar os seus livros?

Yara Falcon - Meus livros praticamente estão esgotados, mas o de Memórias Mergulho no Passado – A Ditadura que Vivi e Novos Crisântemos- Raízes da Amizade Brasil e Japão podem ser adquiridos no site da LivroRapido. O primeiro pode ter algum na Livraria Cultura. Curtos Contos e Poemas pode ter ainda em alguma livraria do Recife. Pálidos Crisântemos e Crisântemos Vermelhos e os dois da série O Habitante de Sísifo, espero alguém se interessar pela obra e republicarem, porque tenho poucos para colocar em Bienais e Feiras de Livros. Deixo meu e-mail para contato yarafalcon@yahoo.com.br

 

 

SMC - Quais as melhorias que você citaria para o mercado literário brasileiro?

Yara Falcon - Apesar do mercado editorial brasileiro vir crescendo em 1,9% até o ano de 2015, o Brasil ser o nono país no ranking de mercado editorial, está se capacitando a novas tecnologias, hoje a publicação digital, os e-books já fazem parte das nossas vidas, termos 88 milhões de leitores, a democratização deste mercado em relação a preços ainda é incipiente. O livro custa caro no Brasil. Por outro lado falando dos escritores não contemplados pelas 500 grandes editoras e outras renomadas, principalmente os localizados fora do eixo Rio-São Paulo, lutam com produções independentes caras e sem distribuidores; o que causa uma desproporção no mercado que somente a sorte para fazê-los conhecidos. As grandes editoras deveriam receber todos os anos obras de escritores por região, julgá-las e se consideradas de valor, publicá-las.

 

SMC - Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista, agradecemos sua participação no projeto Divulga Escritor, muito bom conhecer melhor a Escritora Yara Falcon, que mensagem você deixa para nossos leitores?

Yara Falcon - Escrever é muito gratificante. Ler é conhecer o desconhecido, sempre alguém diz alguma coisa que nos toca, impressiona e faz-nos pensar sermos viajantes arrumando a bagagem de sentimentos, preparando-nos para algum lugar além da nossa compreensão e que acreditamos existir. Escrevo porque gosto de falar de virtudes e do amor Universal, escrevo porque amo o que faço e gosto de explicar o que penso.

Agradeço a Divulga Escritores, em particular a Shirley com quem venho mantendo contato, pela oportunidade. Parabéns por esta iniciativa que promove os escritores brasileiros.

 

Participe do projeto Divulga Escritor

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

       

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor